terça-feira, 21 de abril de 2009

Comentário de Gênesis 1:1
§ 1. Introdução à Bíblia

Consideramos as palavras introdutórias de Genesis não apenas a introdução da Bíblia, mas também o princípio básico de podermos acreditar e aceitar tudo o que está escrito nela. “No princípio...” בראשׁית, εν αρχη (LXX). O começo da nossa história, como tudo começou, toda criação teve um início, assim como nós tivemos o nosso. Isso nos mostra que Deus é a Causa Primária de todas as coisas, quer no céu, quer na terra, tudo vem Dele e para Ele, Ele dá inicio a todas as coisas pois Ele é a fonte da vida (Sl. 36:9), da existência. Todas as coisas devem a existência a Yehowah, o Criador de todas as coisas. (Ap. 4:11) “...Deus criou os céus e a terra”. בָּרָא אֱלֹהִים אֵת הַשָּׁמַיִם וְאֵת הָאָרֶץ׃, εποιησεν ο θεος τον ουρανον και την γην (LXX). Como já mencionado, essa é a base para se ter fé em todas as coisas escritas na Bíblia. A partir do momento em que nós aceitamos que Deus criou todas as coisas, nossa mente se torna mais acessível às coisas que só podem ser entendidas pelo homem espiritual. (1 Cor. 2:15) A palavra usada aqui para “Deus” אלהים ('ĕlôhîym) está no plural, no entanto, não quer dizer politeísmo, ou pluralidade de deuses, devemos entender isso dentro do pensamento da mente hebraica. A pictografia em hebraico antigo para a palavra “Deus”, era o desenho da cabeça de um boi (“força”) e um cajado (“regência”, “governo”, “autoridade”), ou seja o Supremo Governador Todo-Poderoso, o plural dentro do pensamento hebraico é o que chamamos de plural majestático, uma forma que eles tinham de intensificar algum pensamento por pluralizá-lo, ou então, repeti-lo várias vezes.

A palavra “Deus” [1] aqui no versículo, em plural, representa a sua grandiosidade, majestade, e poderio, e isso fica evidente em conexão com as duas palavras que são usadas:

1. Criar. בּרא (Hebr.: bara’) “criar”.
2. Céus. שׁמים (Hebr.: shâmayim) “céus”.

A grandiosidade da criação é sinônima da grandiosidade de Deus, por isso o plural, assim como também é ilustrado pelo termo “céus” em plural, o que denota a grandiosidade e a expansão do mesmo. Digno de toda é a palavra “Deus”, que ocorre tantas quantas 2.601 vezes no A.T.[2]

Outra palavra digna de atenção é a traduzida por “criou” que ocorre 46 vezes no A.T: Gen. 1:1, 21, 27; 2:3, 4; 5:1, 2; 6:7; Exo. 34:10; Num. 16:30; Deu. 4:32; Jos. 17:15, 18; 1Sa. 2:29; Sl. 51:10; 89:12, 47; 102:18; 104:30; 148:5; Ecl. 12:1; Isa. 4:5; 40:26, 28; 41:20; 42:5; 43:1, 7, 15; 45:7, 8, 12, 18; 48:7; 54:16; 57:19; 65:17, 18; Jer. 31:22; Eze. 21:19, 30; 23:47; 28:13, 15; Amos 4:13; Mal. 2:10. Vine comenta: “Esse verbo é de profundo significado teológico, uma vez que só Deus é tido como o sujeito. Só Deus pode "criar" no sentido implícito por bara'. O verbo exprime criação do nada, uma idéia vista claramente em passagens que têm a ver com a criação, em uma escala cósmica: "No princípio Deus criou os céus e a terra" (Gen. 1:1; cf. Gen. 2:3; Isa. 40:26 ; 42:5). Todos os outros verbos para "criar" permitir um leque muito mais amplo do significado; eles têm tanto o ser divino e humano como sujeitos, e são utilizados em contextos em que trazer algo ou alguém em existência não é o assunto.”

Podemos aplicar em nossas vidas a idéia de Gn 1:1, por permitir que esse pensamento venha a governar a nossa vida. Aquele que criou todas as coisas pode fazer por nós muito mais do que possamos imaginar, mas para que isso ocorra, precisa acontecer o que está em Gn. 1:1, Deus precisa estar em primeiro lugar, no princípio, ou início, em nossas vidas, e deve ser o princípio moral básico de tomarmos as nossas decisões na vida. (Mt. 6:33) Isso também dá fé na ressurreição dos mortos. Alguns objetam a ressurreição, pois dizem que depois da destruição do corpo físico, a pessoa simplesmente não existe mais, então é impossível ela voltar a existir. Mas, para quem crer em Gn. 1:1 a ressurreição é algo tão simples, como vê a foto de um ente querido falecido, e vê-lo como que vivo na memória, pois Deus não precisa do mesmo corpo para levantá-lo, Ele pode ressuscitá-lo, ou recriá-lo, pois Ele é o Deus que בָּרָא , ou seja, “cria do nada”, todas as coisas, todo o kosmos, imaginem recriar um mero humano.


________________
Notas
[1]Cf. Isaías 6:3
[2]basicamente só perde para o nome próprio de Deus YHWH.

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos