sexta-feira, 26 de junho de 2009

20:30 - E muitos outros sinais, de fato, Jesus realizou,… Além dessas apariçõecomentario biblico, evangelho de joão, novo testamentos maravilhosas aos seus discípulos frequentes, essas duas quando as portas estavam trancadas: e cujos sinais se refere aos que foram feitos depois de sua ressurreição e não antes; e que ele fez...

Na presence de seus discípulos;… Pois ele apareceu e conversou com mais ninguém, a não ser com eles depois de sua ressurreição:

Que não estão escritos neste livro;... Do Evangelho de João, embora possam estar presentes noutros locais, tais como o de aparecer para os dois discípulos no caminho de Emaús,
[1] e aos onze em uma montanha na Galiléia, e a quinhentos irmãos de uma só vez,[2] que outros inspirados escritores mencionaram: e há muitas outras coisas que ele fez, que não estão escritas neste livro em particular, nem em qualquer outro livro; pois ele foi visto pelos seus discípulos quarenta dias, e mostrou-se vivo, por muitas provas infalíveis,[3] todos os quais não são registrados.

20:31 - Mas esses estão escritos,… As muitas finalidades por registrar o que está nesse livro, em prova da ressurreição de Cristo, são como se segue: uma é para...

Que possais crer que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus;... Que Jesus, que foi diminutivamente chamado Jesus, o filho de Maria, o filho de José, o filho do carpinteiro, Jesus de Nazaré, e da Galiléia, era o Cristo, ou verdadeiro Messias, que significa ungido, e engloba neste título todos os seus ofícios de profeta, sacerdote e rei, para a qual ele foi ungido, e é um artigo de fé da maior importância, e deve ser acreditado pelos sinais, pelas provas da sua ressurreição, que, segundo as Escrituras, deveria levantar-se novamente, e que, pelos sinais registrados aqui, mostra-se que ele realmente levantou-se, e, portanto, deve ser o verdadeiro Messias dos profetas, e também “o Filho de Deus”, que era muito conhecido como um título do Messias entre os Judeus, e não é um nome de cargo, mas da natureza e da relação com Deus; Cristo designa sua natureza divina, ou pessoa divina, e é um artigo de grande momento; e bem atestada, por Deus, pelos anjos, e os homens, e ainda recebe uma confirmação da ressurreição de Cristo, que é, assim, para ser declarado o Filho de Deus com poder, e com esta perspectiva que este evangelista escreve os sinais, provando a realidade do fato. E sua outra finalidade em registrar isso é:

E acreditando, possais ter vida através de seu nome: Os crentes têm a sua vida espiritual e eterna através de Cristo; a vida da graça, da justificação sobre ele, de santificação, e comunhão com ele, o apoio e a sustentação da sua vida espiritual, e todos os confortos dela: e também a sua vida de glória, ou a vida eterna, eles têm, através, ou em seu nome, que reside na sua pessoa, chega a eles através dele como a aquisição e causa da mesma; é por sua causa que lhes são conferidas, sim, ela está em suas mãos para dá-los, e o recebimento dessa fé não é causada pela crença: pois acreditar não é a causa da obtenção e gozo desta vida, ou o seu título para ela; os motivos são o nome, pessoa, sangue e a justiça de Cristo; mas a fé é a forma e os meios para desfrutar dela, e, portanto, estes sinais são escritos pelo evangelista para o fomento desta fé em Cristo, que é a forma de se ter o gozo desta vida, através, e por meio dele. A antiga cópia de Beza, duas cópias de Estevão, a versão Copta, Siríaca, Árabe, Persa e Etíope leem: “vida eterna”.

____________
Notas

[1] Cf. Lucas 24:13-35. N do T.
[2] Cf. 1 Coríntios 15:6. N do T.
[3] Cf. Atos 1:3. N do T.

Um comentário:

Bookmark Us

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos