quinta-feira, 2 de julho de 2009

Posted by Eduardo G. Junior In | No comments
ismael, estudo biblico sobre ismael, estudos biblicosO nome Ismael significa “Deus Ouve (Escuta)”. Ele era filho de Abraão com Agar, escrava egípcia de Sara; nascido em 1932 AEC, seu pai tendo 86 anos naquela época. — Gên 16:1-4, 11-16.

Quando foi informado de que Sara também teria um filho de quem proviriam “reis de povos”, Abraão suplicou a Deus em favor de seu primogênito: “Se Ismael tão-somente vivesse diante de ti!” A resposta de Deus, depois de declarar que o futuro filho dele, Isaque, seria o herdeiro do pacto, foi: “Quanto a Ismael, eu te ouvi. Eis que vou abençoá-lo e fazê-lo fecundo, e vou multiplicá-lo muitíssimo. Ele produzirá certamente doze maiorais, e eu vou fazer dele uma grande nação.” (Gên 17:16, 18-20) Ismael foi então circuncidado, aos 13 anos, junto com seu pai e os servos deste. — Gên 17:23-27.

Um ano depois, nasceu Isaque; Ismael tinha então 14 anos. (Gên 16:16; 21:5) Cinco anos depois, em 1913 AEC, no dia em que Isaque foi desmamado, Ismael foi pego ‘caçoando’ de seu meio-irmão mais novo. (Gên 21:8, 9) Não se tratava duma inocente brincadeira de criança por parte de Ismael. Antes, conforme subentendido pelo versículo seguinte do relato, poderia estar envolvida uma zombaria para com Isaque a respeito da condição de herdeiro. O apóstolo Paulo diz que tais eventos eram um “drama simbólico” e mostra que os maus-tratos infligidos a Isaque pelo meio egípcio Ismael eram uma perseguição. Assim sendo, isto era o começo dos preditos 400 anos da aflição de Israel, que terminaram com a sua libertação da escravidão egípcia em 1513 AEC. — Gál 4:22-31; Gên 15:13; At 7:6.

A zombaria da parte de Ismael para com Isaque resultou em ser ele próprio e sua mãe despedidos da casa de Abraão, mas não sem provisões para a sua jornada. Abraão “tomou pão e um odre de água, e deu-o a Agar, pondo-o nos ombros dela, e o menino, e então a despediu”. (Gên 21:14) Alguns têm interpretado isto como significando que Ismael, já então com 19 anos, também foi colocado sobre as costas de Agar, e, deveras, é assim que rezam algumas traduções. (BJ; LXX de Bagster) Certos peritos, porém, consideram a frase “pondo-o nos ombros dela” como sendo apenas parentética, inserida para mostrar como o pão e a água foram transportados, e, sendo assim, se esta frase for colocada entre parênteses, ou separada por vírgulas, remove-se tal dificuldade. Os professores Keil e Delitzsch asseveram que a expressão “e o menino” depende do verbo principal da sentença, “tomou”, e não do verbo “deu”, ou da palavra “pondo”. Esta ligação de “menino” com “tomou” é feita pela conjunção “e”. A idéia, portanto, é a seguinte: Abraão tomou pão e água, e deu-os a Agar (colocando-os sobre os ombros dela), e tomou o menino e também o deu a ela. — Commentary on the Old Testament (Comentário Sobre o Velho Testamento), 1973, Vol. I, O Primeiro Livro de Moisés, pp. 244, 245.

Agar, pelo que parece, perdeu-se no ermo de Berseba, e, assim, quando a água acabou e Ismael ficou exausto, “ela lançou o menino debaixo de um dos arbustos”. (Gên 21:14, 15) Esta expressão “lançou o menino” não significa que Ismael fosse um bebê de colo. A palavra hebraica yéledh (criança) não se refere necessariamente a uma criancinha, mas é muitas vezes aplicada a um adolescente ou rapaz. Assim, foi dito a respeito do jovem José (com 17 anos na ocasião) que ele foi vendido como escravo sob os protestos de Rubem: “Não pequeis contra o menino [vaiyéledh].” Lameque também falou de “um jovem [yéledh]” como o tendo ferido. — Gên 42:22; 4:23; veja também 2Cr 10:8.

O gesto de Agar ‘lançar’ o menino tampouco implica que ela o carregava nos braços ou nas costas, embora evidentemente escorasse seu filho cansado. Ela aparentemente retirou subitamente seu apoio, como fizeram aqueles que trouxeram coxos e enfermos a Jesus e “quase que os lançavam aos seus pés”. — Mt 15:30.

Em harmonia com o significado do nome de Ismael, “Deus ouviu” seu clamor por ajuda, forneceu-lhe a água necessária e permitiu que vivesse e se tornasse um arqueiro. Como habitante nômade do ermo de Parã, ele cumpriu a profecia que dizia a seu respeito: “Tornar-se-á uma zebra de homem. Sua mão será contra todos e a mão de todos será contra ele; e residirá diante da face de todos os seus irmãos.” (Gên 21:17-21; 16:12) Agar encontrou uma esposa egípcia para seu filho e este, com o tempo, gerou 12 filhos, maiorais e chefes de família da prometida “grande nação” de ismaelitas. Ismael também tinha, pelo menos, uma filha, Maalate, que se casou com Esaú. — Gên 17:20; 21:21; 25:13-16; 28:9.

Com 89 anos, Ismael ajudou Isaque a enterrar Abraão, pai deles. Depois disso, viveu por mais 48 anos, morrendo em 1795 AEC, com 137 anos. (Gên 25:9, 10, 17) Não há registro de Ismael ter sido sepultado na caverna de Macpela, o local de sepultamento de Abraão e Isaque, junto com as esposas deles. — Gên 49:29-31.

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos