Biblioteca com mais de 5 mil estudos bíblicos gratuitos e centenas de livros evangélicos para baixar em PDF.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Melquisedeque — Estudo Bíblico

MELQUISEDEQUE, ESTUDOS BIBLICOS, TEOLOGIA, EVANGELHO
Melquisedeque
[Rei da Justiça].

Rei da antiga Salém e “sacerdote do Deus Altíssimo”, Yehowah. (Gên 14:18, 22) Ele é o primeiro sacerdote mencionado nas Escrituras; ocupava esta posição algum tempo antes de 1933 AEC. Sendo o rei de Salém, que significa “Paz”, Melquisedeque é identificado pelo apóstolo Paulo como “Rei da Paz”, e, à base do seu nome, como “Rei da Justiça”. (He 7:1, 2) Entende-se que a antiga Salém tenha sido o núcleo da posterior cidade de Jerusalém, e seu nome foi incorporado no de Jerusalém, que às vezes é chamada de “Salém”. — Sal 76:2.

Depois de Abrão (Abraão) derrotar Quedorlaomer e seus reis confederados, o patriarca veio à Baixada de Savé, ou “à Baixada do rei”. Ali, Melquisedeque “trouxe para fora pão e vinho”, e abençoou Abraão, dizendo: “Bendito seja Abrão do Deus Altíssimo, Produtor do céu e da terra; e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus opressores na tua mão!” Abraão entregou então ao rei-sacerdote “um décimo de tudo”, isto é, “dos principais despojos” que conseguira na sua guerra bem-sucedida contra os reis aliados. — Gên 14:17-20; He 7:4.

I. Tipificado o Sacerdócio de Cristo.

Numa notável profecia messiânica, o juramento afiançado de Jeová ao “Senhor” de Davi é: “Tu és sacerdote por tempo indefinido à maneira de Melquisedeque!” (Sal 110:1, 4) Este salmo inspirado deu aos hebreus motivos para considerar o prometido Messias como aquele em quem se conjugariam os cargos de sacerdote e de rei. O apóstolo Paulo, na carta aos hebreus, eliminou qualquer dúvida a respeito da identidade de quem fora predito, falando de “Jesus, que se tornou sumo sacerdote para sempre à maneira de Melquisedeque”. — He 6:20; 5:10.

II. Designação direta.

Evidentemente, foi Yehowah quem designou Melquisedeque para ser sacerdote. Ao considerar a condição de Jesus como o grande Sumo Sacerdote, Paulo mostrou que nenhum homem assume esta honra “por si mesmo, mas apenas quando é chamado por Deus, assim como também Arão foi”. Ele explicou também que “o Cristo não se glorificou a si mesmo por se tornar sumo sacerdote, mas foi glorificado por aquele que falou com referência a ele: ‘Tu és meu filho; hoje eu me tornei teu pai’”, e o apóstolo, a seguir, aplica as palavras proféticas do Salmo 110:4 a Jesus Cristo. — He 5:1, 4-6.

III. ‘Recebeu dízimos de Levi.’

A condição sacerdotal de Melquisedeque não estava vinculada com o sacerdócio de Israel, e, conforme as Escrituras salientam, era superior ao sacerdócio arônico. Um fator que indica isso é a deferência demonstrada a Melquisedeque por Abraão, antepassado de toda a nação de Israel, inclusive da tribo sacerdotal de Levi. Abraão, “amigo de Yehowah”, que se tornou “pai de todos os que têm fé” (Tg 2:23; Ro 4:11), deu um décimo, ou “dízimo”, a este sacerdote do Deus Altíssimo. Paulo mostra que os levitas coletavam dízimos de seus irmãos, que também procediam dos lombos de Abraão. Todavia, ele salienta que Melquisedeque “que não derivou deles a sua genealogia tomou dízimos de Abraão”, e, “por intermédio de Abraão, até mesmo Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos, porque ele estava ainda nos lombos de seu antepassado quando Melquisedeque foi ao encontro dele”. Assim, embora os sacerdotes levíticos recebessem dízimos do povo de Israel, eles, conforme representados pelo seu antepassado, Abraão, pagaram dízimos a Melquisedeque. Além disso, a superioridade do sacerdócio de Melquisedeque é mostrada por ele abençoar Abraão, Paulo indicando que “o menor é abençoado pelo maior”. Esses fatores estão entre os que tornam Melquisedeque um tipo apropriado do grande Sumo Sacerdote Jesus Cristo. — He 7:4-10.

IV. Sem predecessores nem sucessores.

Paulo indica claramente que a perfeição era inalcançável por intermédio do sacerdócio levítico, tornando assim necessário o aparecimento dum sacerdote “à maneira de Melquisedeque”. Ele indica que Cristo veio de Judá, tribo não-sacerdotal, mas, citando a similaridade de Jesus com Melquisedeque, mostra que ele tornou-se sacerdote, “não segundo a lei dum mandamento dependente da carne, mas segundo o poder duma vida indestrutível”. Arão e seus filhos tornaram-se sacerdotes sem juramento, mas o sacerdócio conferido a Cristo foi ordenado por um juramento de Yehowah. Também, ao passo que os sacerdotes levíticos morriam e precisavam de sucessores, o ressuscitado Jesus Cristo, “por continuar vivo para sempre, tem o seu sacerdócio sem quaisquer sucessores”, e, portanto, é capaz de “salvar completamente os que se aproximam de Deus por intermédio dele, porque está sempre vivo para interceder por eles”. — He 7:11-25.

Em que sentido é que Melquisedeque não tinha “nem princípio de dias nem fim de vida”? Paulo destacou um fato notável a respeito de Melquisedeque, ao dizer sobre ele: “Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo nem princípio de dias nem fim de vida, mas tendo sido feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote perpetuamente.” (He 7:3) Igual a outros humanos, Melquisedeque nasceu e morreu. Todavia, não se fornecem os nomes de seu pai e de sua mãe, nem se revelam seus ancestrais e sua posteridade, e as Escrituras não contêm informações sobre o início dos seus dias ou o fim da sua vida. De modo que Melquisedeque, apropriadamente, podia prefigurar Jesus Cristo, que tem um sacerdócio infindável. Assim como Melquisedeque não tem predecessor ou sucessor registrados no seu sacerdócio, assim tampouco Cristo foi precedido por um sumo sacerdote semelhante a ele, e a Bíblia mostra que nenhum jamais o sucederá. Além disso, embora Jesus nascesse na tribo de Judá e na linhagem real de Davi, sua linhagem carnal não tinha nenhuma influência sobre o seu sacerdócio, nem foi em virtude da genealogia humana que os cargos de sacerdote e de rei se conjugaram nele. Estas coisas foram resultado do juramento do próprio Deus feito a ele.

Um conceito que aparece nos targuns de Jerusalém e de Jonatã, e que obteve ampla aceitação entre os judeus e outros, é que Melquisedeque era Sem, filho de Noé. Sem vivia naquele tempo e até mesmo sobreviveu a Sara, a esposa de Abraão. Também, Noé especificamente abençoou Sem. (Gên 9:26, 27) Mas esta identificação não foi confirmada. Resta o fato de que a nacionalidade, a genealogia e a descendência de Melquisedeque não são reveladas nas Escrituras, e isto por um bom motivo, porque assim ele podia tipificar a Jesus Cristo, o qual, pelo juramento afiançado de Yehowah, “se tornou sumo sacerdote para sempre à maneira de Melquisedeque”. — He 6:20.
Deixe seu comentário:
Anônimo disse...

Eu creio plenamente que Melquisedeque é o mesmo Jesus, por tudo que li e relir, vejo completamente a semelhança entre ambos!
Ainda que muitos acham que não, mas eu creio que Melquisedeque é Jesus!
Muito obrigado!

Postar um comentário