quarta-feira, 1 de julho de 2009

introdução bíblica, livro de 1 reis, introdução a 1 reis
Escritor: Jeremias
Lugar da Escrita: Jerusalém e Judá
Escrita Completada: 580 AEC
Tempo Abrangido: c. 1040-911 AEC

O livro de 1 Reis é o de número 11 no cânon das Escrituras. As conquistas de Davi haviam estendido o território de Israel até os limites fixados por Deus, desde o rio Eufrates, no Norte, até o rio do Egito, no Sul. (2 Sam. 8:3; 1 Reis 4:21) Quando Davi já estava morto, e seu filho Salomão reinava em seu lugar, “Judá e Israel eram muitos, em multidão, iguais aos grãos de areia junto ao mar, comendo e bebendo, e alegrando-se”. (1 Reis 4:20) Salomão governava com grande sabedoria, sabedoria esta que ultrapassava em muito a dos gregos da antiguidade. Ele construiu um magnífico templo para Yehowah. Entretanto, até mesmo Salomão se desviou para a adoração de deuses falsos. Quando morreu, o reino se dividiu em duas partes, e uma sucessão de reis maus nos reinos rivais de Israel e de Judá agiu ruinosamente, acarretando angústia ao povo, precisamente como Samuel predissera. (1 Sam. 8:10-18) Dos 14 reis que reinaram em Judá ou em Israel depois da morte de Salomão, mencionados no livro de Primeiro Reis, apenas 2 conseguiram fazer o que é correto aos olhos de Jeová. Então, é este relato ‘inspirado e proveitoso’? Não resta dúvida de que é, conforme veremos, examinando os conselhos dados, as profecias e os tipos contidos, bem como sua relação com o tema do Reino, que predomina em “toda a Escritura”.

O livro de Reis era originalmente um só rolo, ou volume, sendo chamado em hebraico de Mela·khím (Reis). Os tradutores da Septuaginta o chamaram de Ba·si·leí·on, “Reinos”, e foram os primeiros a dividi-lo em dois rolos, para comodidade. Mais tarde, foram chamados de Terceiro e Quarto Reis, títulos que continuam até o presente em Bíblias católicas. Não obstante, são agora geralmente conhecidos por Primeiro e Segundo Reis. São diferentes de Primeiro e de Segundo Samuel, pois o compilador cita documentos anteriores como fonte de matéria. Nos dois livros, o único compilador se refere 15 vezes ao “livro dos assuntos dos dias dos reis de Judá” e 18 vezes ao “livro dos assuntos dos dias dos reis de Israel”, também ao “livro dos assuntos de Salomão”. (1 Reis 15:7; 14:19; 11:41) Embora estes antigos escritos tenham sido perdidos por completo, a compilação inspirada existe — a narrativa proveitosa de Primeiro e Segundo Reis.

Quem escreveu os livros dos Reis? A ênfase que se dá à obra executada pelos profetas, notadamente por Elias e por Eliseu, indica que foi um profeta de Deus que os escreveu. As similaridades de linguagem, composição e estilo sugerem que o escritor destes livros de Reis é o mesmo que escreveu o livro de Jeremias. Muitas palavras e expressões hebraicas só se encontram nos livros de Reis e em Jeremias, não aparecendo em nenhum outro livro da Bíblia. Contudo, se Jeremias escreveu os livros de Reis, por que não é ele mencionado neles? Porque não era necessário, visto que a obra que ele realizou já estava descrita no livro que leva o seu nome. Além disso, os livros de Reis foram escritos para magnificar a Yehowah e a Sua adoração, não para aumentar a reputação de Jeremias. Na realidade, os livros de Reis e de Jeremias se complementam em grande parte, um fornecendo a informação que o outro omite. Outrossim, há passagens paralelas, como, por exemplo, 2 Reis 24:18-25:30 e Jeremias 39:1-10; 40:7-41:10; 52:1-34. A tradição judaica confirma que Jeremias foi o escritor de Primeiro e Segundo Reis. Foi, sem dúvida, em Jerusalém que ele começou a compilar os dois livros, e parece que o segundo livro foi completado no Egito, por volta de 580 AEC, visto que na conclusão de sua narrativa ele se refere a eventos que aconteceram naquele ano. (2 Reis 25:27) Primeiro Reis retoma a narrativa da história de Israel donde havia sido interrompida no fim de Segundo Samuel, e prossegue até 911 AEC, ano em que Jeosafá morreu. — 1 Reis 22:50.

Primeiro Reis ocupa seu lugar legítimo no cânon das Escrituras Sagradas, sendo aceito por todas as autoridades nesse campo. Além do mais, os eventos relatados em Primeiro Reis são confirmados pela história secular do Egito e da Assíria. A arqueologia confirma igualmente muitas das declarações do livro. Por exemplo, em 1 Reis 7:45, 46, lemos que foi “no Distrito do Jordão . . . entre Sucote e Zaretã” que Hirão fundiu os utensílios de cobre para o templo de Salomão. Os arqueólogos, escavando o local da antiga Sucote, desenterraram evidência de atividades de fundição ali. Além disso, um relevo sobre a parede do templo em Carnac (a antiga Tebas) exalta a invasão de Judá por parte do rei egípcio Xexonque (Sisaque), mencionada em 1 Reis 14:25, 26.

As referências de outros escritores da Bíblia e o cumprimento das profecias atestam a autenticidade de Primeiro Reis. Jesus falou dos eventos relacionados com Elias e a viúva de Sarefá como realidades históricas. (Luc. 4:24-26) Falando sobre João, o Batizador, Jesus disse: “Ele mesmo é ‘Elias, que está destinado a vir’.” (Mat. 11:13, 14) Jesus se referia aqui à profecia de Malaquias, que falava da mesma forma sobre um dia futuro: “Eis que vos envio Elias, o profeta, antes de chegar o grande e atemorizante dia de Yehowah.” (Mal. 4:5) Jesus confirmou adicionalmente a canonicidade de Primeiro Reis, mencionando o que estava escrito nesse livro sobre Salomão e sobre a rainha do sul. — Mat. 6:29; 12:42; compare com 1 Reis 10:1-9.

2 comentários:

  1. GLORIA A DEUS
    que DEUS abençoe a sua vida
    GLORIAS AO REI JESUS

    ResponderExcluir
  2. a bíblia sagrada é um livro diferente , aprender cada dia mais , porque eu sou um profeta semeado na verdade !

    ResponderExcluir

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos