terça-feira, 17 de novembro de 2009

Posted by Eduardo G. Junior In , | No comments
JUDAÍSMO, COSTUMES, FESTIVIDADES, ESTUDO
A maioria das festividades judaicas baseia-se na Bíblia e são, em geral, quer festividades sazonais, em conexão com diferentes colheitas, quer relacionadas com eventos históricos.

Sabath — O sétimo dia da semana judaica (do pôr-do-sol de sexta-feira ao pôr-do-sol de sábado) é encarado como santificando a semana, e a observância especial desse dia é parte essencial da adoração. Os judeus vão à sinagoga para leituras da Tora e orações. — Êxodo 20:8-11.

Iom Kipur — Dia de Expiação, festividade solene caracterizada por jejum e auto-exame. Culmina os Dez Dias de Penitência que começam com Rosh Hashanah, o Ano-Novo judaico, que cai em setembro, segundo o calendário judaico secular. — Levítico 16:29-31; 23:26-32.

Sucot — Festividade das Tendas, ou Tabernáculos, ou Recolhimento. Comemora a colheita e o fim da maior parte do ano agrícola. Realizada em outubro. — Levítico 23:34-43; Números 29:12-38; Deuteronômio 16:13-15.

Hanucah — Festividade da Dedicação. Festividade popular realizada em dezembro, que comemora a restauração, pelos macabeus, da independência judaica da dominação siro-grega e a rededicação do templo em Jerusalém, em dezembro de 165 AEC. Em geral destaca-se por se acender velas durante oito dias.

Purim — Festividade das Sortes. Celebrada em fins de fevereiro ou princípios de março, em comemoração da libertação dos judeus na Pérsia, no quinto século AEC, de Hamã e sua trama genocida. — Ester 9:20-28.

Pesach — Festividade da Páscoa. Instituída para comemorar a libertação de Israel do cativeiro no Egito (1513 AEC). É a maior e mais antiga das festividades judaicas. Realizada em 14 de nisã (calendário judaico), em geral cai no fim de março ou começo de abril. Todas as famílias judaicas se reúnem para participar da refeição da Páscoa, ou Seder. Nos sete dias seguintes, não é permitido comer fermento. Este período é chamado de Festividade dos Pães Não-fermentados (Matzot). — Êxodo 12:14-20, 24-27.

Alguns Costumes Judaicos

Circuncisão — Para meninos judeus, é uma importante cerimônia que acontece quando o bebê tem oito dias. Muitas vezes é chamada de Pacto de Abraão, uma vez que a circuncisão foi o sinal do pacto de Deus com ele. Os varões que se convertem ao judaísmo também têm de ser circuncidados. — Gênesis 17:9-14.

Bar Mitzvah — Ainda outro ritual judaico essencial, que literalmente significa “filho do mandamento”, um “termo que denota tanto a obtenção de maturidade religiosa e legal como a ocasião em que esse status é formalmente assumido por meninos à idade de 13 anos mais um dia”. Tornou-se costume judaico apenas no século 15 EC. — Enciclopédia Judaica.

Mezuzá — Geralmente é fácil de distinguir um lar judaico por causa do mezuzá, ou receptáculo de rolo, afixado na ombreira da porta, à direita de quem entra. Na realidade, o mezuzá é um pequeno pergaminho no qual estão escritas palavras citadas de Deuteronômio 6:4-9 e 11:13-21. Este é enrolado dentro de um pequeno receptáculo. Daí o receptáculo é afixado a cada porta de cada cômodo em uso.

Iármulque (solidéu para varões) — Segundo a Enciclopédia Judaica: “O povo judeu ortodoxo . . . considera a cobertura da cabeça, tanto fora como dentro da sinagoga, como sinal de fidelidade à tradição judaica.” Cobrir a cabeça durante a adoração não é mencionado em parte alguma da Tanakh, assim, o Talmude menciona isso como questão de costume opcional. Mulheres judias hassidianas usam sempre uma cobertura para a cabeça, ou então rapam a cabeça e usam peruca.

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos