quarta-feira, 25 de novembro de 2009

O Significado de Seol no Antigo Testamento
1. No Antigo Testamento: Seol

Na Septuaginta, a palavra hades é o equivalente da palavra seol, mas traduz também outros assuntos relacionados com a morte e do estado depois da morte. A concepção grega de hades era de uma localidade onde recebia todos os mortos, mas dividida em duas regiões, um lugar de tormento, e o outro de bem-aventurança. Essa concepção não deve ser transferida precipitadamente para o Novo Testamento, pois este não está sob a influência da crença pagã grega, mas cria um ensinamento e reflete uma crença de modelo e ideia sobre o hades no Velho Testamento, através da Septuaginta. No Antigo Testamento, Seol, embora formalmente semelhante ao Hades em grego, é o receptáculo comum de todos os mortos, distingue-se, por um lado, pela ausência de uma divisão claramente definida em duas partes, e, por outro lado, pela ênfase colocada na sua associação com a morte e o túmulo como fatos anormais sobre o pecado. O Antigo Testamento, portanto, concentra a luz parcial que lança sobre o estado após a morte do lado negativo, indesejável a perspectiva para além da redenção. Quando no progresso da revelação do Antigo Testamento o estado após a morte começa a assumir características mais definidas, torna-se mais acentuadamente diferenciada na dependência da questão religiosa e moral da vida presente, mas isto não é feito nos escritos canônicos (também na literatura apocalíptica), dividindo Seol em dois compartimentos, mas mantendo a promessa de libertar os justos do seol, o que a torna mais definitivamente descrita como um lugar de mal e de punição.

Fonte: International Standard Bible Encyclopedia de James Orr, M.A., D.D., Editor General


Um comentário:

  1. Sepultura comum da humanidade, o domínio da sepultura; não um lugar de sepultamento ou sepulcro específico.

    Embora se tenham oferecido diversas derivações da palavra hebraica she’óhl, pelo visto, ela deriva do verbo hebraico sha·’ál, que significa “pedir; solicitar”. Samuel Peake, em A Compendious Hebrew Lexicon (Léxico Compendioso do Hebraico), declara que é “o receptáculo comum ou região dos mortos; chamado assim por causa da insaciabilidade da sepultura, a qual como que sempre pede ou quer mais”. (Cambridge, 1811, p. 148) Isto indica que o Seol é o lugar (e não uma condição) que pede ou exige todos sem distinção, porque recebe em si os mortos da humanidade.

    Eclesiastes 9:5,6,10 - "5 Pois os viventes estão cônscios de que morrerão; os mortos, porém, não estão cônscios de absolutamente nada, nem têm mais salário, porque a recordação deles foi esquecida. 6 Também seu amor, e seu ódio, e seu ciúme já pereceram, e por tempo indefinido eles não têm mais parte em nada do que se tem de fazer debaixo do sol. 10 Tudo o que a tua mão achar para fazer, faze-o com o próprio poder que tens, pois não há trabalho, nem planejamento, nem conhecimento, nem sabedoria no seol, o lugar para onde vais."

    Jó 14:13 - "13 Quem dera que me escondesses no seol,
    Que me mantivesses secreto até que a tua ira recuasse,
    Que me fixasses um limite de tempo e te lembrasses de mim!"

    ResponderExcluir

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos