2009/05/14

Comentário de João 4:7

Veio uma mulher de Samaria,... Ou “proveniente de Samaria”; não da cidade de Samaria, mas do país da Samaria; de Sicar, uma cidade da Samaria: sua vinda não foi por acaso, mas pela providência de Deus e de acordo com seu propósito, que ordena todas as coisas de acordo com o conselho de sua vontade; e é um exemplo incrível da graça, que uma mulher, uma mulher samaritana, uma lasciva e infame, devesse ser escolhida como um vaso da salvação, devesse ser o objeto do favor divino, e ser efetivamente chamada pela graça de Deus; quando tantos homens sábios, eruditos e religiosos em Jerusalém foram passados por cima; e não apenas isso, mas ela foi o meios de levar o conhecimento do Salvador para muitos de sua vizinhança: ela veio, de fato...

Para tirar água;... Para o uso e serviço temporal presente dela; ela pouco pensou de se encontrar na fonte de Jacó, com Cristo a fonte dos jardins, e fonte da água viva; ela veio para apanhar água natural, enquanto não tendo nenhuma noção de água em um sentido espiritual: ou de levar com ela de volta a água da vida, até mesmo uma fonte dela, borbulhando para dá vida eterna:

Jesus disse-lhe: dá-me de beber;... Ou seja, água para beber, na vasilha ou balde que ela trouxe consigo, porque ele estava com sede; que é uma outra prova da verdade de sua natureza humana, e de que ele a assumiu sem a pecaminosa fraqueza: embora, de fato, esse pedido fosse feito para introduzir a uma conversa com a mulher, ela tendo ainda maior sede espiritual, e um mais forte desejo pelo bem estar de sua alma imortal.




Fonte: John Gill's Expositon of the Entire Bible

Nenhum comentário:

Postar um comentário