2009/05/28

Comentário de João 5:25

Em verdade, em verdade eu vos digo,... Com a mesma certeza como antes, e para uma ilustração e confirmação da mesma coisa, ocasionado pela última cláusula do versículo precedente, bem como um melhoramento no argumento em João 5:21, para a sua igualdade com o Pai, que ele ainda está buscando:

Vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão. Que pode ser entendido tanto de uma ressurreição corpórea, e de alguns exemplos particulares dela, que deveria ser brevemente; e de algumas pessoas que estariam no estado de morto, e para quem a voz de Cristo seria assistida com tal poder sobre eles, os fazendo reviver novamente; como fez com a filha de Jairo na declaração dele: “Talitha Cumi”, a donzela surge, e a viúva do filho de Naim na declaração dele, o homem jovem surge, e Lazaro, na sua chamada para fora, Lázaro viveu; e que é uma prova plena do ser dele igual para com Deus que levanta os mortos: ou, antes, isto será entendido de uma ressurreição espiritual, e porque este sentido concorda melhor com o versículo precedente; e uma ressurreição corpórea é expressa em palavras um pouco diferentes, e parece ser distinguido em João 5:28. E, além disso, a hora, ou tempo da ressurreição das anteriores pessoas, em particular, não seja vindo estritamente; nem podiam eles ser ditos como estando mortos; para a qual pode ser somado, que a frase, “aqueles que ouvem viverão”, e ninguém, a não ser eles, o que melhor concorda com este sentido: então, assim, pela palavra “mortos” é significado aquele que está morto em transgressões e pecados; que estão separados de Deus, alienados da vida de Deus, e em quem é deformada a imagem de Deus; que estão mortos em todos os poderes e faculdades das suas almas, para tudo o que é espiritualmente bom; e está sem respiração espiritual, sentido, sentimento, e movimento. E “a voz” de Cristo se entende como sendo o seu Evangelho, que é uma voz de amor, graça, e clemência de vida e liberdade, de paz, perdão, retidão, e salvação por ele; e o qual é assistido com o seu poder, são os meios de vivificar os pecadores mortos; pode ser dito que eles ouvem, quando não se trata apenas de palavra, mas em poder, e opera efetivamente neles; e é espírito e vida, e o poder de Deus para a salvação deles; quando eles recebem isto, entendem, acreditam, e obedeçem: e tais pessoas “viverão”; confortável, agradavel, e graciosamente uma vida de fé em Cristo, uma vida de comunhão com ele, e viverão eternamente no futuro com ele.



Fonte: John Gill's Exposition of the Entire Bible

Nenhum comentário:

Postar um comentário