2009/06/24

Comentário de João 16:26-27

16:26 - Naquele dia pedirás em meu nome,... Pois quando o Espcomentario biblico, evangelho de joão, novo testamentoírito foi vertido neles, eles não só receberam os seus dons extraordinários, e tiveram uma medida maior da sua graça dada neles; mas também foram santificados com ele, como um espírito de graça e súplica, de uma maneira mais notável que alguma vez eles tinham estado antes: eles melhor entenderam o trono da graça então, e as vantagens dele; tido maiores amplificações e ajudas a isto; e se familiarizaram melhor com a mediação de Cristo, e a necessidade de fazer uso do nome dele, sangue, e retidão, em todas petições e pedidos.

E eu não vos digo que eu pedirei ao Pai por vós. Isso Cristo tinha prometido antes, João 14:16; nem havia qualquer necessidade para repetir isto, do qual eles poderiam ser assegurados fortemente agora: além disso, haveria aquele dia em que o Espírito seria dado a eles em virtude da sua intercessão; de forma que, não haveria nenhuma necessidade de orar ao Pai por esta razão. Isto é dito, não como se a intercessão de Cristo pelo seu povo cessasse então; porque ele sempre é o defensor deles junto ao Pai, e está vivo para a fazer intercessão por eles; embora possa não ser continuado da mesma maneira, através de oração,[1] como quando ele estava aqui na terra, o aparecimento pessoal dele, e a apresentação do seu sangue, sacrifício, e retidão, enquanto sendo suficiente; mas com o objetivo de declarar a disposição e prontidão do seu Pai em ouvi-los, e conceder até eles tudo que eles deveriam pedir dele no seu nome.

16:27 - Pois o mesmo Pai vos ama,… O Pai os ama da mesma forma, e assim como ama o Filho, sem qualquer mérito ou motivo deles mesmos: ele os amou desde a eternidade, e tinha dado provas disso, na dádiva de seu Filho a eles, e por eles; e em chamá-los pela sua graça; e, portanto, sendo assim fortemente afetados com eles, eles podiam depender da sua resposta rápida e pronta, como sendo melhor para a sua glória e o bem deles.

Porque vós me tens amado;… Não que o amor deles a Cristo foi a causa do amor do Pai por eles; mas, pelo contrário, o amor do Pai por eles foi a causa do amor deles por Cristo; e, portanto, como uma causa é conhecida por um efeito, eles podia estar certos do amor do Pai a eles pelo amor deles a Cristo; pois se o Pai não os tivesse amado, eles nunca teriam amado a Deus, nem a Cristo; mas, visto que eles amaram verdadeiramente a Cristo, era um caso claro que Deus os amou: e o amor deles se une a fé.

E tendes crido que eu saí da parte do Pai;… Sendo enviado por ele, e não como um impostor, mas o verdadeiro Messias que devia vir ao mundo: fé em Cristo, e amor a ele, andam lado a lado; onde está um, está o outro; a fé opera pelo amor; eles são ambos as dádivas da graça de Deus, e os frutos e efeitos de seu amor eterno; e aqueles que a são possuído deles, podem ser firmemente persuadidos de seu interesse nisso.

_____________
Notas
[1] Cf. João 11:42. N do T.

Nenhum comentário:

Postar um comentário