2009/06/13

Comentário de João 7:18-19

7:18 - Quem fala de si mesmo,… O que ele mesmo tem elaborado, e é um esquema dele mesmo; porque ele não tem nenhuma autorização e comissão divina:comentario do evangelho de João, comentario biblico

Busca a sua própria glória;… Honra e glória dos homens; como faziam os Escribas e Fariseus; que ensinavam doutrinas e mandamentos de homens, as tradições dos anciãos, suas próprias explicações da lei, decisões e determinações: e como fazem os falsos instrutores, que não tinha nada mais em vista do que a si mesmo, seus interesses mundanos, ou vã glória; essas se ajustam as suas doutrinas as suas mentes e desejos dos homens, a fim de ganhar atenção:

Mas aquele que busca a glória daquele que o enviou;… Que lhe deu em comissão o que ele devia dizer e falar, e ele apenas; como fez Cristo e assim seus apóstolos depois dele:

O mesmo é verdadeiro, e não há nele injustiça;… Ele é um homem correto e fiel, e o que ele diz é verdade; ele trás a doutrina verdadeira com ele, e não há fraude qualquer ou impostura com ele; nem qualquer insinceridade “em seu coração”, como as versões Siríacas e Persas vertem a sentença; mas, como ele não é um homem com aquelas características ruins, a sua doutrina deve ser ouvida, ser recebida e podemos confiar; e tal era Cristo.

7:19 - Não vos deu Moisés a lei,.... Depois que Cristo tinha se vindicado e a doutrina dele, ele procede a reprovar os judeus pelo quebrar da lei, que continha a vontade de Deus para eles: pela qual parecia que eles não eram nenhum juiz próprio da doutrina dele, embora eles afirmassem poder fazer isso: a pergunta que ele põe não pôde ser negada por eles; porque embora, falando corretamente, Deus seja o legislador, contudo, já que foi entregue por Moisés, é designado a ele, e dita vir por ele; e foi posta em suas mãos, entregue por ele, peculiarmente para o povo de Israel; e sendo dado aos pais judeus, não só para eles, mas para a posteridade deles nas eras à frente, é dito que é dado à geração presente desde então; e pode ser entendido, de qualquer um do sistema inteiro de leis, morais, cerimoniais, e, judiciais, pertencendo isso as pessoas; ou então da lei particular, relativo ao manter o Sábado que era uma lei peculiar a Moisés e própria aos filhos de Israel apenas:

E [ainda] nenhum de vós guarda a lei;… Embora eles gabassem disso como um privilégio singular, e confiassem nisso, e a obediência dele a ela para vida e salvação, ainda assim, diariamente quebrado em vários exemplos, em pensamento, palavra, ou atos; sim, aqueles que sentam no trono de Moisés, e a ensinam, não a observam e fazem o que eles mesmos ensinam; nem poderia o mais santo e justo homem entre eles perfeitamente mantê-la: e muitos deles, que estavam sempre prontos para censurarem os outros, para a violação, davam a mínima a isso; e particularmente a lei do Sábado, que tanto os sacerdotes e as pessoas transgrediam, em um ponto ou outro; cada Sábado: portanto, nosso Senhor raciocina com eles:

Porque buscais matar-se?
Um homem inocente e inofensivo, que nunca vos injuriou em vossas pessoas e propriedades; e que é uma prova deles não guardarem aquele corpo das leis que Moisés lhes deu, visto que “não deves matar” é uma delas: embora, antes, isso deva se referir a lei do Sábado, e o sentido dele, visto que Moisés tinha dado a ele a lei do Sábado e eles não mantinha eles mesmos, porque devem eles buscar tirar a vida dele, se o que eles pretendiam fazer era uma proibição dela? Pois nosso Senhor aqui, como parece pelo que se segue, se refere ao que eles buscavam fazer, cerca de um ano e meio atrás, e ainda continuavam a buscar isso, a saber, matá-lo, porque ele tinha curado um homem no dia de Sábado, João 5:16.

Nenhum comentário:

Postar um comentário