2009/06/13

Comentário de João 7:23-26

7:23 - Se um homem, no dia do Sábado, recebe a circuncisão,… Como era certo em muitos exemplos:comentario do evangelho de João, comentario biblico

A fim de que a lei de Moisés não seja quebrada;… Ou a lei concernente a circuncisão, que confirmava a lei dada a Abraão, e requeria que fosse feita no oitavo dia, seja qual for o dia que caísse, mesmo no dia de Sábado, e, portanto, nesse dia, os filhos homens deviam ser circuncidados, para que a lei fosse cumprida, e não quebrada: ou, antes, a lei concernente o Sábado; e o sentido sendo, se a circuncisão fosse admitida no dia de Sábado, “sem quebrar a lei de Moisés”, como alguns vertem as palavras, que ordenava a observação do Sábado.

Estais irados comigo;… Me perseguem com tanta ira e amargura…

Porque eu tenho feito um homem inteiramente são no dia de Sábado? Ou "um homem que estava inteiro, são no "dia de Sábado”; que era completamente, ou por toda parte desordenado, todo membro seu tremendo com a paralisia: ou como alguns pensem que o sentido é que ele foi feito todo completo, tanto na alma e corpo; e então o argumento é, se fosse, nenhuma parte do Sábado para fazer uma ferida, e colocar um gesso nela, como em circuncisão; seria nenhuma violação dela, nem qualquer um devia ter sido ofendido com isto, que Cristo deveria curar um homem doente que estava assim em toda parte do seu corpo, e restabelece a sua saúde igualmente à sua alma e nada é mais comum com os judeus que dizer, o perigo de vida, e פיקוח נפש, "a preservação da alma", ou vida, afugente o Sábado.[1]

7:24 - Julgai, não de acordo com a aparência,… Ou através de acepção de pessoas, e como para agradar a homens, os escribas e os Fariseus; que tinham condenado a ação de Cristo, em curar um homem doente no dia de Sábado, e buscavam matá-lo:

Mas julgai com julgamento justo;… Dê seu sentido e o julgamento das coisas, de acordo com a verdade e a evidência delas; e não achem falta nisso, que vocês mesmos permitem, e que Moisés e sua lei, e suas próprias práticas, justificam.

7:25 - Então, alguns dos de Jerusalém disseram,… Que eram habitante de Jerusalém, e assim são diferenciados do povo, João 7:20, que subira do país a festividade; assim José ben Jochanan é chamado איש ירושלים, “um homem de Jerusalém”;[2] ou seja, um habitante dela: agora esses homens vivendo nessa cidade, sabiam mais sabiam mais das características e disposição dos principais sacerdotes, Escribas, e anciãos, de tirarem a vida de Cristo; e, portanto, dizem:

Não é este homem que buscam matar? Eles sabiam que eles tinham fomentado um plano para matá-lo, desde a páscoa retrasada; quando ele operou o milagre que se refere no texto, e que desde então eles tem estado maquinando contra a sua vida, e estava agora nessa festa buscando uma oportunidade para deitar mãos nele e matá-lo.

7:26 - Mas, no entanto, ele fala com destemor,… E com grande liberdade, aberta e publicamente no templo, como se ele tivesse uma licença dos principais sacerdotes para fazer isso:

E eles não lhe dizem nada;… Não o contradiz, ou o proíbe de falar; e ele continua sem controle; embora ele tome muita liberdade em culpar os Judeus com a intenção de matá-lo, em discutir sobre as suas práticas em vindicação de si mesmos, e em sugerir que eles julgavam em favor dos homens, e não de acordo com as verdades das coisas.

Será que os governantes sabem que, de fato, esse é mesmo o Cristo? Será que eles mudaram de opinião com respeito a eles, e assim, a conduta deles para com ele? Estão eles convencidos e sabem eles, por demonstração plena, e prova cabal, que ele é realmente o Messias que tem sido prometido desde a antiguidade, e a tanto esperado?




____________
Notas
[1] T. Bab. Sabbat, fol. 132. 1.
[2] Pirke Abot, c. 1. seç. 4, 5.

Nenhum comentário:

Postar um comentário