2009/06/13

Comentário de João 7:39

Mas isso ele falava do Espírito,… Essas são as palavras do evangelista, explicando as expressões figurativas de Cristo; mostrando que por rios de água viva, ele quis dizer o Espírito em suas dádivas e graças; e que é o pleno sentido da passagem a quem ele se referiu, particularmente Isa. 44:3, e que, como antes observado, os Judeus supunham que eram prefigurados por eles tirarem e derramarem água na festividade dos tabernáculos.

Que aqueles que nele acreditam devessem receber;… Os apóstolos, e outros, que tinham acreditado em Cristo, e tinham recebido o Espírito, como um Espírito de regeneração e santificação; como um espírito de iluminação e conversão; como um espírito de fé e adoção; mas no dia de Pentecostes eles iriam receber uma medida extraordinariamente maior das dádivas e graça dele, para os qualificar para a maior obra e serviço:

Pois o Espírito Santo ainda não foi [dado];… A palavra “dado” não está no texto original; mas é suprido corretamente, como é nas versões da Vulgata Latina, Siríaca, e Persa. A versão Árabe verte, “porque o Espírito Santo ainda não tinha vindo”; sendo ele uma pessoa divina, igual ao pai e Filho, assim ele é de eternidade; e ele tinha sido dado em sua graça nos santos do Antigo Testamento, e estava em suas dádivas sobre os profetas daquela dispensação; mas, como os próprios judeus confessavam:
[1]


“Depois da morte dos últimos profetas, Ageu, Zacarias e Malaquias, o Espírito Santo se afastou de Israel.”

E eles expressamente dizem que não estava presente no tempo do segundo templo. Maimondes diz:
[2]


“Eles fizeram o Urim e Thummim no segundo templo, completar os oito artigos de vestuário (dos sacerdotes) embora eles não indagassem por eles; e por que eles não indagaram por eles? porque o Espírito Santo não estava lá; e todo sacerdote que não fala pelo Espírito Santo, e o Shekinah, não habita nele, eles não indagam por ele.''

Eles observam
[3]
que haviam cinco coisas no primeiro templo que não existia no Segundo, e eles eram estes:

“A arca com o trono de misericórdia, o fogo (dos céus), e a Shekiná, ורוח הקודש, “e o Espírito Santo”, e o Urim e Tumim.”

Agora, embora ele tivesse se removido, ele havia de retornar; mas como o tempo ainda não havia chegado, pelo menos na sua plenitude: a razão disso era…

Por que Jesus ainda não havia sido glorificado;… Ele ainda não tinha passado pelo seu estado de humilhação; ele ainda não tinha sofrido e morrido, e se levantado, e ascendido, e se sentado a direita da mão de Deus; pois o Espírito Santo viria na sua partida, e em consequência de seus sofrimentos e morte, e sendo feito carne, e uma cura para seu povo; e através de sua mediação e intercessão, e sobre sua exaltação à mão direita do Pai; quando sendo feito e declarado Senhor e Cristo, isso deveria ser notificado pela efusão do seu Espírito; veja Atos 2:33.


___________
Notas
[1]
T. Bab. Yoma, fol. 9. 2. Sota, fol. 48. 2. & Sinédrio, fol. 11. 1.
[2]
Hilchot Cele Hamikdash, c. 10. sec. 10. Vid. T. Bab. Yoma, fol. 73. 2.
[3] T. Bab. Yoma, fol. 21. 2. Vid. Jarchi & Kimchi em Hagg. i. 8.

Nenhum comentário:

Postar um comentário