2009/06/16

Comentário de João 9:38-39

9:38 - E ele disse: Senhor, eu creio,… Ele imediatamente achou fé em sua alma, e nesse exercício, se encaminhando e agindo para com Cristo, reconhecendo-o como o Fcomentario do evangelho de João, comentario biblicoilho de Deus, e o verdadeiro Messias, por vida eterna e salvação; e assim que ele percebeu isso, ele fez uma profissão aberta e de coração a ele:

E ele o adorou: Como Deus, com adoração religiosa, não apenas confiando nele, mas lhe atribuindo glória, honra e benção, que é devido apenas a Deus, e não a uma criatura.

9:39 - E Jesus disse: eu vim a este mundo para juízo,... A versão Siríaca lê: "para o julgamento deste mundo vim", e que concorda com a versão Etíope: "para o julgamento do mundo vim para o mundo" e as versões Árabes e Persa ainda mais explicitamente, "para julgar este mundo", ou "o mundo, estou para vir", o que parece contrário do que Cristo diz em outros lugares, João 3:17. Também não é o sentido das palavras que Cristo veio para trazer uma sentença de julgamento de Deus, ou a ordem da divina providência, ou para administrar a justiça no governo do mundo, de uma maneira providencial, ou para distinguir o seu próprio povo a partir de outros, embora todas estas fosse verdadeiras, mas para cumprir o objetivo e os decretos de Deus em revelar a verdade para alguns, e escondendo-a de outros, ou na forma de uma sentença judicial para infligir cegueira em alguns, enquanto que, em uma forma de misericórdia, ele iluminou outros. Então, interpreta Nonnus de κριμα θισσον, um duplo "julgamento", que é diferente um do outro.

Para que aqueles que não veem possam ver;... Querendo dizer, não tanto corporal como espiritualmente, visto que a cláusula oposta a cegueira espiritual não tem lugar; pois Cristo restaurou a visão corporal de muitos, e nunca a tirou de ninguém. O sentido é que Cristo veio como luz no mundo, para que aqueles que estão na escuridão do pecado, da ignorância, e descrença, e que estão cientes dos mesmos, e desejam uma iluminação espiritual, assim como esse homem, possam ver o que eles são por natureza, que eles precisam dele, e da plenitude de sua graça, vida, justiça e salvação, tudo isso há Nele para eles.

E que aquele que veem possam ser feitos cegos;... Que aqueles que são sábios e eruditos na própria vaidade deles, que se imaginam como tendo a grande luz e conhecimento, como tendo a chave do conhecimento, e tendo a verdadeira compreensão de coisas divinas, e serem guias de cegos, como os Escribas e Fariseus, poderiam ser entregues à cegueira judicial e dureza do coração, para fechar os seus olhos, e endurecer os seus corações contra o Evangelho, e as verdades dele, e que estava em julgamento a eles: tais efeitos diferentes Cristo e o Evangelho dele têm, sobre iluminar e amolecer alguns, e encobrir e endurecer outros; da mesma maneira que algumas criaturas, como morcegos e corujas, são incomodados pelo sol, ainda outros veem claramente pela sua luz; e como o sol também tem efeitos diferentes para amolecer a cera, e endurece o barro; veja Isa. 6:9.

Um comentário:

Fernanda Novais disse...

Cristo veio para trazer uma sentença de julgamento de Deus, ou a ordem da divina providência, ou para administrar a justiça no governo do mundo, de uma maneira providencial, ou para distinguir o seu próprio povo a partir de outros, embora todas estas fosse verdadeiras, mas para cumprir o objetivo e os decretos de Deus em revelar a verdade para alguns, e escondendo-a de outros, ou na forma de uma sentença judicial para infligir cegueira em alguns, enquanto que, em uma forma de misericórdia, ele iluminou outros.

Postar um comentário