2009/07/16

Altercação — Estudo Bíblico

Altercação — Estudo Bíblico
ALTERCAÇÃO. Uma disputa (De 17:8), controvérsia (Je 25:31) ou um pleito judicial (Je 11:20).

As Escrituras aconselham-nos a não ficarmos envolvidos em altercações ou disputas sem motivo. (Pr 3:30) Diz o provérbio: “Como alguém que agarra as orelhas de um cão é aquele que, estando de passagem, fica furioso com uma altercação que não é dele.” (Pr 26:17) A conversa dos estúpidos os leva prontamente a altercações, e os tolos não usam do necessário controle para evitar altercar. (Pr 18:6; 20:3) Visto que “premer a ira” resulta em altercação (Pr 30:33), a vagarosidade em irar-se produz o efeito oposto. — Pr 15:18.

A altercação destrói uma atmosfera pacífica (Pr 17:1) e pode fazer com que até mesmo a pessoa mais mansa perca o autodomínio. À guisa de exemplo: A altercação de Israel, por não haver água em Cades, moveu Moisés e Arão a agir precipitadamente, destarte perdendo o privilégio de entrar na Terra da Promessa. A altercação injustificada de Israel com representantes de Jeová constituiu realmente uma altercação com Yehowah. (Núm 20:2, 3, 10-13; 27:14; Sal 106:32) Aqueles que ficam similarmente envolvidos em altercações ou em controvérsias violentas com os servos de Deus colocam-se numa situação muito séria, uma situação que pode levá-los à morte. — Veja Is 41:8, 11, 12; 54:17.

Devido ao efeito prejudicial da altercação, o provérbio aconselha: “Retira-te antes de estourar a altercação.” (Pr 17:14) Abrão (Abraão) deu um bom exemplo neste sentido. Preocupado com que não houvesse disputas entre seus pastores de gado e os de seu sobrinho, Ló, Abrão sugeriu que se separassem. Altruistamente, concedeu a Ló a oportunidade de escolher a área em que deixaria seus animais pastar. (Gên 13:7-11) Por outro lado, os israelitas infiéis no tempo de Isaías não agiram como seu antepassado Abraão. A respeito deles, diz-se: “Jejuáveis para altercação e para rixa.” Altercavam até mesmo durante o jejum. — Is 58:4.

A Lei mosaica abrangia casos de altercação que resultassem em danos físicos. Prescrevia uma compensação à parte lesada pelo tempo de trabalho perdido. — Êx 21:18, 19.

Resmungos. Resmungar desanima e arrasa. Os israelitas, pouco depois de terem saído do Egito, resmungavam contra Yehowah, criticando a liderança que ele provera por meio de seus servos Moisés e Arão. (Êx 16:2, 7) Mais tarde, os resmungos deles desanimaram tanto a Moisés, que ele pediu a morte. (Núm 11:13-15) Resmungar pode constituir um perigo mortal para o resmungador. Yehowah considerou as coisas ditas pelos resmungadores a respeito de Moisés como realmente sendo uma queixa rebelde contra a Sua própria liderança divina. (Núm 14:26-30) Muitos perderam a vida em resultado das suas críticas.

Concordemente, as Escrituras Gregas Cristãs recorrem a exemplos antigos para avisar da destrutividade dos resmungos ou das queixas. (1Co 10:10, 11) Judas fala sobre aqueles que “desconsideram o senhorio, e falam de modo ultrajante dos gloriosos”, descrevendo tais como “resmungadores, queixosos de sua sorte na vida, procedendo segundo os seus próprios desejos, e as suas bocas falam coisas bombásticas, ao passo que admiram personalidades para o seu próprio proveito”. — Ju 8, 16.

Jesus condenou a atitude crítica quando disse: “Parai de julgar, para que não sejais julgados. Então, por que olhas para o argueiro no olho do teu irmão, mas não tomas em consideração a trave no teu próprio olho? . . . Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu próprio olho, e depois verás claramente como tirar o argueiro do olho do teu irmão.” — Mt 7:1, 3-5; compare isso com Ro 2:1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário