2009/07/14

Enigma — Estudos Bíblicos

estudo biblico sobre enigma
ENIGMA

Uma declaração intrigante. A palavra hebraica para enigma também pode ser vertida ‘declaração ambígua’ ou ‘pergunta desconcertante’. (Veja Da 8:23 n.) Enigmas são contrastados com linguagem clara que pode ser facilmente entendida. (Núm 12:8) Essa palavra às vezes é usada como expressão paralela de “dito proverbial”, porque um enigma bem que pode ser uma declaração cheia de significado, mas que é expressa em linguagem obscura. (Sal 49:4) A mesma palavra hebraica traduzida “enigmas”, também, num contexto diferente, é vertida “perguntas difíceis”. (2Cr 9:1) É preciso uma mente arguta para formular um enigma, que amiúde envolve uma analogia obscura, porém exata, e desvendar tal enigma exige a habilidade de ver as coisas em sua relação umas com as outras; assim, a Bíblia se refere aos enigmas como produto de pessoas sábias e como algo a ser discernido pelo homem de entendimento. — Pr 1:5, 6.

A própria Bíblia contém enigmas que envolvem os propósitos de Yehowah. (Sal 78:2-4) São declarações que, de início, podem deixar o leitor perplexo; talvez sejam propositalmente obscuras, empregando comparações significativas que não se destinavam a ser entendidas pelas pessoas do tempo em que foram escritas. Por exemplo, em Zacarias 3:8, Deus se refere de modo profético a “meu servo Renovo”, mas não explica ali que este é um renovo ou descendente da linhagem real de Davi, e que, na realidade, este é o próprio Filho de Deus, então nos céus, que nasceria duma virgem que descendia do Rei Davi. E Apocalipse 13:18 diz que o “número da fera” é “seiscentos e sessenta e seis”, mas não explica ali o significado deste número.

Às vezes se usaram enigmas, não para aturdir aqueles que os ouviam, mas, pelo que parece, para suscitar interesse e tornar mais vívida a mensagem transmitida. Este foi o caso do enigma das duas águias e a videira, que o profeta Ezequiel propôs à casa de Israel. (Ez 17:1-8) Logo depois de apresentar este enigma, Yehowah instruiu Ezequiel que indagasse do povo se o havia entendido, e então o explicasse a este.

Alguns enigmas foram propostos para serem adivinhados pelos homens, e frequentemente em verso, como se deu com o enigma que Sansão propôs aos filisteus. Quando disse: “Do comedor saiu comida, e do forte saiu o doce”, ele deliberadamente fazia comparações que não seriam facilmente percebidas. (Jz 14:12-18) Seu enigma baseava-se numa experiência pessoal que tivera pouco antes disso, quando removeu o mel da carcaça dum leão, onde tinha sido depositado por um enxame de abelhas. — Jz 14:8, 9.

Nenhum comentário:

Postar um comentário