2009/07/24

LATIM — Estudo Bíblico

LATIM, LINGUAS, ESTUDO BIBLICOS, TEOLOGICOS
LATIM

O Latim é uma íngua que pertence à família indo-européia, e língua-mãe das línguas românicas, tais como o italiano, o espanhol, o francês, o português e o romeno. A última metade do segundo século EC testemunhou um movimento, por parte das forças religiosas de Roma, para que o latim substituísse o grego como a língua do bispado romano. Entre os resultados disso acha-se a produção da Vulgata latina, por Jerônimo, no quarto século EC, atrás apenas da Septuaginta grega como a mais famosa tradução antiga da Bíblia.

O latim era a língua da Roma Imperial, de modo que, quando Jesus Cristo esteve na terra, era a língua oficial da Palestina, embora não a língua comum do povo. Assim, não surpreende encontrarmos alguns latinismos nas Escrituras Gregas Cristãs. A própria palavra “latim” ocorre só uma vez na Bíblia, em João 19:20, onde se nos diz que a inscrição colocada acima de Jesus na estaca de tortura foi escrita em hebraico, grego e latim.

O latim nas Escrituras Gregas Cristãs ocorre sob várias formas. Elas contêm mais de 40 nomes próprios latinos, de pessoas e de lugares, tais como Áquila, Lucas, Marcos, Paulo, Cesaréia e Tiberíades. Nesta parte da Bíblia se encontram os equivalentes gregos de cerca de 30 palavras latinas de natureza militar, jurídica, monetária e doméstica, tais como centurio (Mr 15:39, centurião ou oficial do exército), denarius (Mt 20:2, denário) e speculator (Mr 6:27, guarda pessoal). Também ocorrem certas expressões ou idiotismos latinos, como “desejando satisfazer a multidão” (Mr 15:15) e “receberem suficiente fiança”. (At 17:9) A sintaxe, ou disposição das frases e sentenças, às vezes sugere uma influência latina. Contudo, o quanto disso ocorreu é um assunto discutido por vários peritos.

Latinismos são encontrados principalmente em Marcos e Mateus, sendo usados mais por Marcos do que por qualquer outro escritor bíblico. Isto reforça a crença de que ele escreveu seu Evangelho em Roma, e principalmente para os gentios, em especial para os romanos. Paulo empregou poucos latinismos; não há nenhum na Septuaginta grega.

A presença de latinismos nas Escrituras é de interesse maior do que apenas acadêmico para os amantes da Bíblia. Harmoniza-se com o que a Bíblia mostra sobre a Palestina estar ocupada por Roma quando Jesus Cristo estava na terra. Ademais, o uso destes latinismos pelos melhores escritores seculares gregos do mesmo período argumenta que as Escrituras Cristãs foram deveras produzidas durante as épocas a respeito das quais relatam. Isto, portanto, comprova ainda mais a autenticidade das Escrituras Gregas Cristãs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário