2009/07/24

Mansidão — Estudos Bíblicos

estudo bíblico sobre mansidãoMANSIDÃO, Brandura de temperamento, sem altivez ou vaidade. Disposição mental que habilita a pessoa a suportar ultrajes com paciência e sem irritação, ressentimento ou retaliação vingativa. É companheira íntima de outras virtudes, tais como a humildade, a despretensão mental e a delicadeza, e raras vezes está separada delas. A palavra hebraica traduzida “manso” (‛anáw) deriva da raiz ‛anáh, que significa “afligir, humilhar, rebaixar”.

Na Bíblia, a mansidão é enfatizada como a atitude mental da pessoa em primeiro lugar para com Deus, e então para com concriaturas. Por exemplo, está escrito: “Os mansos certamente incrementarão a sua alegria no próprio Yehowah.” (Is 29:19) Os mansos são dóceis — Deus “ensinará aos mansos o seu caminho” (Sal 25:9) — e eles estão dispostos a suportar a disciplina da mão Dele, embora esta às vezes no momento seja penosa. (He 12:4-11) A mansidão induz as pessoas a esperar que Yehowah endireite os males e prejuízos sofridos injustamente, em vez de elas se acalorarem em ira. (Sal 37:8-11) Tais pessoas não ficam desapontadas, porque o designado por Deus, o ‘renovo do toco de Jessé’, repreenderá em justiça “em benefício dos mansos da terra”. — Is 11:1-4.

Moisés era um homem assim, “em muito o mais manso de todos os homens na superfície do solo”, alguém que podia suportar críticas sem ressentimento. (Núm 12:3) A ocasião deste comentário sobre a sua mansidão foi quando Miriã e Arão murmuraram contra Moisés. Na realidade, era uma queixa injustificada contra Yehowah, que ele prontamente notou e repreendeu. — Núm 12:1-15.

Alguns comentadores acusam Moisés de injustificadamente louvar a si mesmo por registrar esta referência à sua própria mansidão. Outros críticos afirmam que a declaração foi posteriormente acrescentada por outra pessoa, ao passo que mais outros citam isso como evidência de que não foi Moisés quem escreveu o Pentateuco. Todavia, o Commentary (Comentário) de Cook diz a respeito destas palavras: “Quando consideramos que foram proferidas por Moisés não ‘proprio motu [da sua própria iniciativa]’, mas sob a direção do Espírito Santo que estava sobre ele (cf. xi. 17), elas exibem certa ‘objetividade’, que atesta tanto a sua genuinidade como também a sua inspiração. Estas palavras, bem como as passagens em que Moisés não menos inequivocamente registra suas próprias faltas (cf. xx. 12 seqq.; Êx. iv. 24 seqq.; Deut. i. 37), exibem a simplicidade de alguém que dá testemunho a seu respeito, mas não para seu próprio crédito (cf. S. Mat. xi. 28, 29). As palavras são inseridas para explicar por que Moisés não tomou medidas para vindicar a si mesmo, e por que o Senhor conseqüentemente interveio com tanta prontidão.”

Jesus demonstrou mansidão por suportar toda espécie de injúria pessoal, sem uma palavra de queixa, até mesmo deixando-se levar como cordeiro à matança, sem abrir a boca em protesto. (Fil 2:5-8; He 12:2; At 8:32-35; Is 53:7) Este Maior-do-Que-Moisés também se recomendou a outros como pessoa mansa e de temperamento brando. (Mt 11:28, 29, Al; ALA; BJ; CBC; NM; PIB) Conforme Isaías 61:1 predisse, ele foi ungido com o Espírito de Yehowah “para anunciar boas novas aos mansos”. Depois de Jesus ler esta profecia na sinagoga da sua cidade, Nazaré, ele declarou: “Hoje se cumpriu esta escritura que acabais de ouvir.” (Lu 4:16-21) Deus, ao enviar assim seu amado Filho para ensinar aos mansos a respeito da salvação, deveras mostrou-lhes um favor todo especial. — Sal 149:4; Pr 3:34.

O convite expresso pelo profeta Sofonias ainda é feito aos mansos da terra: “Procurai a Yehowah, todos os mansos da terra, que tendes praticado a Sua própria decisão judicial. Procurai a justiça, procurai a mansidão [ou: humildade]. Provavelmente sereis escondidos no dia da ira de Yehowah.” (Sof 2:3 n) Além destas maravilhosas promessas, fazem-se outras a tais. Por exemplo: “Os próprios mansos possuirão a terra e deveras se deleitarão na abundância de paz.” (Sal 37:11) Tanto em sentido espiritual como em sentido literal, “os mansos comerão e se fartarão”. — Sal 22:26.

Assim, em contraste com os iníquos, que desencaminham os mansos e procuram destruí-los (Am 2:7; 8:4), Yehowah escuta os desejos sinceros destes por responder às suas orações; a sua esperança em Yehowah não é desapontada. (Sal 10:17; 9:18) Veraz é o provérbio: “Melhor é ser humilde em espírito com os mansos, do que repartir despojo com os que se enaltecem.” — Pr 16:19.

Nenhum comentário:

Postar um comentário