2011/08/05

As Genealogias de Mateus e Lucas

GENEALOGIAS, MATEUS, LUCAS, EVANGELHOS, DIFERENÇAS, TEOLOGIA, ESTUDO BIBLICO
Os estudiosos têm sugerido várias explicações para as diferenças que há nas genealogias de Jesus em Mateus e em Lucas.(Quanto a uma pesquisa, ver a extensa nota no final da Harmony de Robertson, págs. 259 262.) A solução mais provável é que Lucas tenha apresentado a ascendência real de Jesus, através de Maria, Sua mãe, embora tivesse substituído o nome dela pelo de seu marido (“Era, como se cuidava, filho de José”, Lucas 3:23), porquanto não era costumeiro incluir os nomes femininos nas linhagens ancestrais. Por outra parte, Mateus expõe a linhagem do pai de criação de Jesus, porquanto na sociedade judaica (e Mateus escreveu para os judeus) os direitos legais, como por exemplo a reivindicação ao trono messiânico de Davi, passava pelo pai, apesar deste ser apenas um pai de criação. Sem embargo, a verdade é que tanto José quanto Maria descendiam de Davi, e, naturalmente, de Abraão.

Contrariamente ao costume, a geneologia de Mateus inclui quatro mulheres: Tamar, uma adúltera; Raabe, uma meretriz; Rute, uma moabita, de quem facilmente se poderia por em dúvida a propriedade do apelo que ela fez a Boaz à meia noite (Rute 3:1 14); e a esposa de Urias, Bateseba, a quem Davi seduziu. Evidentemente Mateus queria desarmar, logo de entrada, os preconceitos arrogantes contra as circunstâncias nas quais Maria deu à luz a Jesus, lembrando seus leitores judeus acerca de incidentes que envolveram mulheres em sua própria preciosa história, incidentes esses que bem poderiam lançar reparos aos olhos de pessoas de fora. Outrossim, todas aquelas quatro mulheres haviam sido gentias. A inclusão delas, nesta genealogia, aponta para o motivo da salvação universal, que figura no restante do evangelho. Na declaração de Mateus 1:16, “E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama Cristo”, a palavra grega aqui traduzida por “da qual”, também é feminina, podendo referir se exclusivamente a Maria, em consonância com a doutrina do nascimento virginal. Mateus dispõe, artisticamente, a sua genealogia em três grupos de catorze gerações cada. Mas, a fim de conseguir tal efeito, ele omitiu deliberadamente três gerações alistadas no Antigo Testamento e computou Davi por duas vezes, a fim de realçar, perante seus leitores judeus, que Jesus é o Messias davídico. É possível mesmo que Mateus tenha ressaltado mais ainda o ponto, querendo que o número catorze servisse de sutil referência a Davi, porquanto, em hebraico, o valor numérico do nome Davi é catorze. Ler Mateus 1:1 17 e Lucas 3:23 38 (§ 3).


Nenhum comentário:

Postar um comentário