Significado de Gênesis 50

Gênesis 50

50:1 José expressou um amor genuíno e intenso por seu pai (Gn 45.1-3; 46.29).

50:2 José ordenou que seu pai fosse embalsamado (hb. hanat, refere-se a especiarias), a fim de que pudesse ser sepultado em Canaã. Tempos depois, o próprio José também seria embalsamado (v- 26).

50:2, 3 O embalsamento teve sua origem no Egito. Os órgãos vitais eram removidos e colocados em recipientes para serem sepultados com a múmia. As cavidades do corpo eram preenchidas com sal, soda cáustica (carbonato de sódio), substâncias aromatizantes e resina, para que este secasse e fosse preservado. A cabeça, o troco e os membros eram fortemente enrolados com muitas camadas de tecido de linho. A posição de uma pessoa na sociedade determinava os rituais de sepultamento e os dias de luta.

50:4-9 José pediu o consentimento do faraó para que deixasse o Egito, a fim de sepultar o corpo de seu pai em Canaã. A expressão a casa de faraó ou a corte do faraó (NVI) indica que nem mesmo José tinha acesso direto ao rei do Egito.

50:10, 11 Na eira do espinhal, perto do Jordão, a delegação egípcia que acompanhava José permaneceu durante sete dias. Esta era a entrada da Terra Prometida. Os cananeus ficaram tão impressionados com a cerimônia de luto solene que nomearam o lugar em homenagem aos pranteadores.

50:12-15 Os irmãos de José novamente temeram a ira daquele que fora vendido anos antes como escravo. E se a bondade de José para com eles tivesse sido demonstrada somente para agradar a seu pai? Agora, com a morte de Jacó, José tentaria se vingar? Realmente eles não conheciam o coração do irmão!

50:16, 17 A mensagem que os irmãos enviaram a José pode ter sido sincera e verdadeira ou uma reação ao medo que sentiam diante do “braço direito” do rei do Egito. Eles se referem ao mal que fizeram a José. (Para verificar o uso das mesmas palavras de Jacó para Labão, veja Gn 31.36.) Então, José chorou. Ele aceitou a mensagem como uma confissão sincera de seus irmãos [mas também pode ter ficado triste de novamente terem pensado mal dele].

50:18-21 José falou abertamente de como via os acontecimentos de sua vida (Gn 45.4-8). Deus transformara as atitudes perversas daqueles homens em uma obra extraordinariamente boa. José não apenas teve a oportunidade de salvar muitas vidas no mundo antigo, como também testemunhou o poder e a benevolência do Deus vivo. O Senhor fez com que Sua boa obra fosse realizada a despeito dos planos maléficos das pessoas. Até os piores acontecimentos podem ser usados pela divina Providência para que sejam convertidos em bem. O maior e mais impressionante exemplo que temos disso é a morte de Jesus. O mal (a Queda) trouxe o melhor de Deus: Jesus Cristo. A experiência de José com seus irmãos foi uma demonstração em escala menor das ações divinas de salvação em Jesus, o Messias. Aqui, a descrição de José aponta para a vida do Salvador. Então, com palavras de grande alento, ele confortou seus irmãos e dispersou deles o medo.

50:22 Deus abençoou José com uma vida longa de 110 anos, assim como abençoara Abraão com os 175 (Gn 25.7). Isaque, com 180 (Gn 35.28) e Jacó, com 147 anos (Gn 47.28).

50:23 A menção aos filhos de Efraim antes dos filhos de Manassés é uma indicação do cumprimento da bênção de Jacó. O filho mais novo de José foi elevado perante seu irmão mais velho
(Gn 48.8-22).

50:24 Certamente, vos visitará Deus. Em seu leito de morte, José expressou sua fé inabalável nas promessas de Deus. Ele assegurou a seus irmãos que o Senhor continuaria a obra na família deles. A Seu tempo (Gn 15.12-16), Deus cumpriria a promessa de dar a terra de Canaã aos descendentes de Abraão (Gn 12.7; 26.3; 35.12; 46.4). A Abraão, a Isaque e a Jacó: esta expressão é a forma padrão de fazer referência à aliança de Deus com a família de Abrão (Gn 48.15; 49.25; Ex 2.24; 3.16). A citação dos três nomes reafirma a certeza da promessa e do comprometimento do Senhor em cumpri-la.

50:25 José sepultou seu pai em Canaã (Gn 50:7-14). Agora ele fez com que seus irmãos jurassem que levariam os restos mortais dele à Terra Prometida quando toda a nação de Israel retornasse a Canaã. No juramento, José expressou sua completa fé no fato de que Deus manteria a promessa de dar a terra de Canaã aos israelitas (Hb 11.22). Muitos anos mais tarde, Moisés sustentaria o juramento dos filhos de Israel ao levar os ossos de José junto com o povo ao deserto (Êx 13.19). Por fim, Josué enterraria os restos mortais de José em Siquém, após a conquista de Canaã (Js 24.32).

50:26 José foi embalsamado, como Jacó (v. 1-3) e todos os membros do governo egípcio.

Índice: Gênesis 1 Gênesis 2 Gênesis 3 Gênesis 4 Gênesis 5 Gênesis 6 Gênesis 7 Gênesis 8 Gênesis 9 Gênesis 10 Gênesis 11 Gênesis 12 Gênesis 13 Gênesis 14 Gênesis 15 Gênesis 16 Gênesis 17 Gênesis 18 Gênesis 19 Gênesis 20 Gênesis 21 Gênesis 22 Gênesis 23 Gênesis 24 Gênesis 25 Gênesis 26 Gênesis 27 Gênesis 28 Gênesis 29 Gênesis 30 Gênesis 31 Gênesis 32 Gênesis 33 Gênesis 34 Gênesis 35 Gênesis 36 Gênesis 37 Gênesis 38 Gênesis 39 Gênesis 40 Gênesis 41 Gênesis 42 Gênesis 43 Gênesis 44 Gênesis 45 Gênesis 46 Gênesis 47 Gênesis 48 Gênesis 49 Gênesis 50