Significado de Isaías 20

Significado do Livro de Isaías


Isaías 20

Introdução
Este capítulo não começa com um ‘fardo’, porque Cuxe é um aliado do Egito. É por isso que este capítulo e o anterior estão intimamente ligados.

O pano de fundo da comissão que o Senhor dá a Isaías neste capítulo é que alguns em Judá esperam ajuda do Egito e Cuxe. Para poder resistir à forte Assíria, muitos países recorrem à aliança com países que veem a mesma ameaça. Para Judá, no entanto, isso seria desobediência ao Senhor e prova de falta de confiança nEle.

Começa com a conquista de Ashdod, uma cidade filistéia, pela Assíria. O comandante do rei da Assíria captura Asdode, apesar de a Filístia ser apoiada pelo Egito. A Filístia está localizada perto de Judá. A conquista de Ashdod deve ter causado grande tumulto em Judá. Judá também precisa do apoio do Egito e Cuxe, embora tenha se revelado que o apoio do Egito à Filístia não tem importância.
Ashdod fica na estrada da Assíria para o Egito e, portanto, pode ser considerada a porta do Egito. A queda de Ashdod é um aviso e um sinal para Judá não confiar nas pessoas, incluindo o Egito e seu aliado Cuxe. Aquele que confia nas pessoas ficará envergonhado.

20.1 — Tartã foi um dos três oficiais mais importantes do Império Assírio (2 Rs 18.17). Asdode era a cidade principal quando o faraó etíope Sabaco fomentou a rebelião contra Sargão II, rei da Assíria, em 713 a.C. Asdode foi derrotada por Sargão em 711 a.C. Uma inscrição que menciona o nome de Sargão foi encontrada recentemente em escavações na antiga Asdode.

20.2, 3 — Isaías abandonou o cilício, a veste do suplício espiritual, e passou a andar nu e descalço, sinais de exílio e de cativeiro. Servo. Veja uma ocorrência semelhante da palavra em Isaías 41.8. Três anos significa envolvendo três anos, um mínimo de 14 meses. Sinal e prodígio. Veja uma ocorrência semelhante em Isaías 8.18.

20:3-6 — Terminados os três anos, é dada a explicação desta atribuição (Is 20:3-4). Com sua atuação, Isaías deu a mensagem de que o povo se parecerá com ele, se mantiver sua aliança, ou seu desejo de tê-la, com o Egito e Cuxe. Pois o SENHOR permitirá que essas duas nações, das quais Ezequias e Judá buscam seu apoio, experimentem o que Isaías retratou (Isaías 20:5).

O que Isaías faz é um sinal e um sinal ou uma maravilha para o povo. Uma maravilha não precisa ser sobrenatural. Neste caso, você também pode traduzir: um sinal maravilhoso, ou seja, um sinal que evoca admiração. Um sinal significa que a maravilha tem um significado e uma mensagem.

É um aviso para o povo de Deus, e de fato para todo povo e todo ser humano, para não buscar o apoio das pessoas quando ameaçado por um inimigo (Is 20:6), mas recorrer a Deus na necessidade. O Egito não pode ajudar. Um apelo a isso é em vão. A ajuda humana sempre se mostrará completamente inadequada (Sl 60:11; Jr 17:5-8).

20.4 — Esar-Hadom, rei da Assíria, conquistou o Egito e cumpriu essa profecia em 671 a.C.

20.5, 6 — Assombrar-se-ão e desta ilha aludem, provavelmente, às nações situadas à margem oriental do mar Mediterrâneo e que esperam ser salvas da Assíria pelo Egito. Entre elas está Judá.