Significado de Isaías 50

Significado de Isaías 50

Significado de Isaías 50


Isaías 50

50.1-3 — Nessa profecia, o Senhor se defende (Is 42.18-25; 43.22-28) da acusação implícita dos exilados descrentes da segunda geração, segundo a qual Ele não queria ou não podia salvá-los.

50.1 — O Senhor mandará Israel para longe, assim como o marido pode mandar a esposa embora, mas o exílio será de curta duração (Is 54-5-7; 62.4), e não permanente. O exílio definitivo exigiria uma carta de divórcio (Dt 24-1-4). Se o Senhor emitir a carta, não poderá trazer Israel de volta (Dt 24.1-4; Jr 3.1,8). Nenhum profeta sugere o rompimento definitivo da aliança entre Deus e Israel. Em vez disso, preveem a fidelidade de Deus a um remanescente, que haverá de retornar (Mq 4.9,10). Vossa mãe é Jerusalém, mais especificamente os habitantes da geração anterior, os exilados. Se o Senhor tivesse vendido Israel a um credor (Êx 21.7; 2 Rs 4.1; Ne 5.5), Ele não teria autoridade nenhuma sobre o destino deles. Mas os israelitas se venderam por conta das próprias maldades (Is 42.23-25). Assim, Deus, Redentor deles, pode resgatá-los por meio de pagamento (Is 41.14; 52.3).

50.2 — Deus se fez presente em Israel na época do exílio por meio dos profetas que enviou. Mais tarde, Deus veio à terra na pessoa de Seu Servo e Filho, Jesus (Is 41.9). Mas ninguém lhe deu atenção (Is 6.9,10; 66.4). Se encolheu a minha mão...? Veja uma variação dessa pergunta retórica em Números 11.23. Faço secar o mar é uma referência à abertura do mar Vermelho e também do rio Jordão, para lembrar o povo do poder que ele possui (Is 43.16,17; 44.27; 51.9-11).

50.3 — A negridão pode ser uma referência à nona praga do Egito, quando o Senhor fez a escuridão cobrir a terra (Ex 10.21).

50.4-11 — O terceiro cântico sobre o Servo consiste de um monólogo do Servo (v. 4-9) e de um discurso do profeta endereçado tanto ao Israel crente como ao descrente (v. 10,11).

50.4 — O título Senhor Jeová fica em evidência nessa seção (v. 5,7,9). O título Senhor significa Mestre; Jeová representa o nome divino Yahweh. O Senhor educara a língua do Servo pelo sofrimento. A palavra erudita é traduzida em outros locais por discípulo (Is 8.16). Cansado. Diferentemente do incrédulo Israel (Jr 31.25), o Senhor desperta o ouvido do Servo para que ouça (compare com Is 42.18,19).

50.5 — Me abriu. A ideia é a mesma de Salmos 40.6 — a abertura do canal auditivo como símbolo de ouvir e obedecer. Não fui rebelde. Compare com Isaías 1.2.

50.6 — As vezes, as pessoas ferem os tolos pelas costas (Pv 10.13; 19.29; 26.3). Jesus sofreu humilhação igual (Is 42.2; 49.4; 53.12; Mt 27.26; Jo 19.1). Puxar os cabelos de alguém era sinal de desprezo e desrespeito (2 Sm 10.4, 5; Ne 13.25).

Me afrontam e me cospem. Essa profecia cumpriu-se com o sofrimento de Cristo (Mt 27.30).

50.7 — O Senhor é a única fonte de ajuda do Servo (Is 41.10,13,14; 49.8). A expressão me não confundo significa sou honrado (49.7; 52.13). Como um seixo indica determinação diante da adversidade (Ez 3.8,9). Essa profecia se concretiza com Cristo (leia Lc 9.51).

50.8 — Me justifica. Deus verá esse Homem como totalmente justo. Essa profecia cumpriu-se na pessoa de Cristo (1 Tm 3.16).

50.9 — O Senhor Jeová me ajuda. Veja a mesma declaração confiante no Senhor em Salmos 118.6-12, outra profecia acerca do sofrimento de Jesus, o Salvador.

50.1 0 — Que tema ao Senhor. O temor do Senhor— isto é, a reverência ou respeito por Deus — é o princípio da sabedoria verdadeira (Pv 1.7).

50.11 — Quem acende o fogo representa a pessoa que confia em si própria, em vez de se orientar pela luz do Senhor e de Seu Servo (Is 2.5; 42.6). Quando a Luz vier ao mundo, alguns hão de preferir a escuridão (Jo 3.17,18). Tormentos aqui é um castigo de Deus para a descrença.