2015/09/04

Significado de Jeremias 1

Significado de Jeremias 1 

Significado de Jeremias 1




Jeremias 1

1.1 — O nome Jeremias, provavelmente, significa o Senhor exalta ou então o Senhor estabelece.

1.2 — A palavra do Senhor veio literalmente a Jeremias. Ele não falou com base em sua própria imaginação, como faziam os falsos profetas como Hananias (Jr 28.1,2). Jeremias falava à medida que Deus lhe revelava Suas palavras e Sua vontade. O chamado de Jeremias veio no décimo terceiro ano de Josias, que reinou 31 anos.

1.3 — O ministério de Jeremias como profeta durou desde o início do reinado de Jeoaquim (608 a.C.) até o ano undécimo de Zedequias e a queda de Jerusalém (586 a.C.). Gedalias foi designado governador sobre Judá, basicamente povoada por camponeses, depois que os babilônios, sob o comando de Nabucodonosor, haviam deportado os principais cidadãos. Jeremias continuou ministrando até ser levado contra sua vontade para o Egito, após o assassinato de Gedalias.

1.4-19 — Esses versículos explicitam o chamado de Jeremias. O registro de seu chamado divino para o ministério é um dos mais detalhados dentre todos os profetas, perdendo apenas para o de Isaías (Is 6).

1.4 — Veio a mim a palavra do Senhor. A maneira padrão de introduzir um oráculo divino no início de um livro profético (Ez 1.3; Os 1.1; J1 1.1; Jn 1.1; Mq 1.1; Sf 1.1; Ag 1.1; Zc 1.1). Não sabemos exatamente como a Palavra do Senhor chegava aos profetas. Talvez fosse de várias maneiras, tais como visões, sonhos, vozes audíveis, impressões visuais ou uma sensação profunda a respeito das situações. Independente de como isso se dava, os profetas tinham um senso bem forte de que a mensagem não partia deles mesmos; ao contrário, era a Palavra do Senhor.

1.5 — Jeremias estava perfeitamente ciente de que o chamado em sua vida havia sido determinado pelo Senhor mesmo antes de ele ter sido concebido. Á medida que a Palavra de Deus se tornava realidade na vida de Jeremias, este compreendia que o Senhor o conhecia e o tinha chamado para proclamar uma mensagem importante em um momento crucial da história da nação. O verbo hebraico traduzido como conhecia refere-se a um conhecimento íntimo que parte de um relacionamento e de um compromisso pessoal. Esse relacionamento íntimo se tornou aparente pela obra de santificação de Deus, por meio da qual Jeremias foi separado (tornado santo) para o serviço. O papel de Jeremias era ser profeta para a nação de Judá, bem como mensageiro de Deus para todas as nações.

1.6 — Como Moisés, que foi chamado a falar ao faraó do Egito em um momento decisivo da história de Israel, Jeremias também foi convocado a pronunciar-se diante dos reis de Judá e dos líderes da Babilônia. As dúvidas de Jeremias em relação à sua capacidade de falar perante líderes nacionais se deviam ao fato de ele achar-se uma criança. A palavra criança pode referir-se a diversas idades — compreendidas da infância até a adolescência. Esse termo também pode designar um servo de qualquer faixa etária.

1.7,8 — Jeremias não iria nem falaria sozinho ou por sua própria decisão, mas de acordo com a Palavra do Senhor e com a manifestação poderosa dela. O termo livrar é utilizado em Jeremias para indicar a salvação do povo de seus captores (Jr 15.20,21), a libertação dos pobres de seus opressores (Jr 20.13) e a segurança do profeta contra possíveis perigos perante os líderes da nação. Eu sou contigo. Por duas vezes no chamado de Jeremias (v. 19), Deus garantiu ao profeta que estaria presente para protegê-lo. Em momentos de crise pessoal, Jeremias repetiu essas palavras em oração a Deus (Jr 20.11).

1.9 — Jeremias é chamado para essa tarefa, e a essência de sua mensagem é apresentada. Eis que ponho as minhas palavras na tua boca. A fonte da mensagem de Jeremias era claramente o Senhor, mas a mensagem em si seria declarada por meio da personalidade, da experiência e do talento do profeta. Esse versículo nos dá uma melhor compreensão sobre a natureza “dupla” das Escrituras. A mensagem provém do Senhor; Sua expressão fica por conta de Seus servos, os profetas (Hb 1.1).

1.10 — Ponho-te neste dia sobre as nações. As nações eram instrumentos no propósito de Deus de revelar a si mesmo. O Senhor utilizou a Babilônia para punir Judá, e os persas para punir a Babilônia. O fraseado nesse trecho sugere uma designação oficial de uma pessoa em posição de autoridade, como quando Nabucodonosor colocou Gedalias como governador de Judá. Com as palavras de Deus em sua boca, Jeremias tinha autoridade para se apresentar perante qualquer governante. Para arrancares, e para derribares [...] Para edificares e para plantares. Julgamento e restauração eram as duas mensagens do profeta de Deus. As palavras arrancar, derribar, destruir, arruinar, edificar e plantar são repetidas em pontos-chave no livro de Jeremias a fim de reafirmarem o chamado do profeta (Jr 18.7; 24.6; 31.28; 42.10; 45.4).

1.11,12 — Deus confirmou o chamado de Jeremias com duas visões. A primeira envolvia uma amendoeira, que floresce quando as outras árvores ainda estão improdutivas. A amendoeira servia como um aviso da chegada da primavera, como se “velasse” o início da estação. De modo semelhante, Deus vela por Sua Palavra e estava pronto para julgar Israel.

1.13 — A segunda visão que Deus utilizou para confirmar o chamado de Jeremias dizia respeito a uma panela a ferver tombada em direção ao sul, indicando a direção na qual o conteúdo do pote seria derramado. A mensagem dessa visão deriva da atividade comum e diária da preparação de uma refeição. Também está fundamentada no fato de que a origem do ataque contra Judá e Jerusalém partiu do norte. Ocasionalmente, a direção era a oposta (por exemplo, Egito, Cuxe, tribos árabes). A oeste, estava o grande mar; e, a leste, o grande deserto. O norte era a região de perigo. O mundo da fronteira norte era ocupado por tribos pouco conhecidas, tais como os Cítios, Cimérios e Urartu. As forças malignas de Tubal e Meseque, citados em Ezequiel (Ez 27.13; 32,26; 38.2; 38.3; 39.1), eram povos dessa região que, quando não estavam atacando vilarejos e terras produtivas no crescente fértil, serviam como tropas mercenárias. Apenas em Jeremias 20.4, este profeta identifica que o terror vindo do norte, que partia contra Jerusalém, era a Babilônia.

1.14 — O mal sugerido por essa visão era um ataque inimigo sobre Judá e Jerusalém vindo do norte. Em Jeremias 20.4, o profeta finalmente identifica o inimigo como a Babilônia. Esse reino ficava a leste de Jerusalém, mas a estrada utilizada para ir à batalha contornava o deserto, e, portanto, o exército se aproximava a partir do norte.

1.15 — A calamidade do norte (v. 14) envolvia o cerco de Jerusalém e de todas as cidades de Judá. O uso do pronome na primeira pessoa, em Eu convoco, indica que era o próprio Deus que estava em guerra com Seu povo. Não se sabe que tribo ou grupo étnico vindo do norte Jeremias tinha em mente na declaração original desse oráculo. Em última instância, a maioria dos inimigos de Israel vinha do norte. O Egito estava enfraquecido, e os povos do oeste e do sudeste não faziam grandes ameaças a Judá. No quarto ano do reinado de Jeoaquim, a óbvia identidade do inimigo vindo do norte era a Babilônia. Esse reino, obviamente, ficava a leste de Judá. Todavia, a presença do deserto exigia o avanço a partir do norte.

1.16 — Uma das principais razões de Deus lançar o julgamento sobre Judá e Jerusalém era o fato de Israel adorar deuses estranhos. O Senhor não é um entre muitos deuses; somente ele é o Deus de Israel (Dt 6.4). Na frase queimaram incenso, o verbo hebraico que significa queimar ou fazer fumaça é usado muitas vezes em Jeremias, todas elas em relação à queima de sacrifícios a outros deuses. Já o termo encurvaram significa fazer com que alguém se curve em honra ou a serviço de Deus ou de um ser humano. O primeiro mandamento (Ex 20.3) havia sido violado. A punição era certa.

1.17 — Não desanimes. Se Jeremias ficasse aterrorizado diante dos homens que Deus lhe ordenara a confrontar, o próprio Deus levaria terror à vida do profeta.

1.18 — A posição de Jeremias é descrita com linguagem militar, enfatizando a certeza de que Deus iria lutar por ele. O Senhor pôs Jeremias como uma cidade forte inexpugnável com muros de bronze. O sistema de defesa de Jeremias não podia ser derrubado nem acessado por meio de túneis subterrâneos fosse por indivíduos ou exércitos; reis, príncipes, sacerdotes. Esta lista dos vários tipos de pessoas importantes em Israel sugere que toda a nação estava contra Jeremias.



Um comentário: