2015/09/04

Significado de Jeremias 12

Significado de Jeremias 12 

Significado de Jeremias 12




Jeremias 12

12.1-4 — Nesse trecho, Jeremias pergunta por que o povo ímpio de Judá prosperava. Essa confissão do profeta revela sua profunda luta com uma das questões que intrigavam os escritores de sabedoria do mundo antigo. Por que os ímpios prosperam/ O solilóquio revela os pensamentos e o sentimento de Jeremias.

12.1 — Pleito significa contenda judicial. Embora ninguém possa estabelecer um processo jurídico contra Deus, Jeremias pôde apresentar questionamentos ao Reto Juiz.

12.2 — O tema sobre Deus estabelecer a nação de Israel também está presente em Jeremias 2.21; 11.17. A planta havia arraigado, mas estava produzindo frutos ruins.

Chegado estás à sua boca, mas longe do seu coração. Frases religiosas, tais como vive o Senhor, geralmente eram proclamadas pelos líderes rebeldes de Israel, mas de maneira hipócrita (11.20). Sacrifícios, juramentos e orações não têm eficiência se o coração da pessoa não estiver inteiramente rendido.

12.3 — Tu, ó Senhor, me conheces. O relacionamento íntimo de Deus com Jeremias fica evidente nessa passagem. O profeta havia-se tornado como um manso cordeiro, que levam à matança (Jr 11.19); nesse trecho ele pede que seus inimigos sejam julgados da mesma maneira.

12.4 — Até quando. A pergunta de Jeremias com relação à demora de Deus em julgar o povo. Lamentará a terra, e se secará a erva de todo o campo [...] perecem os animais e as aves. Esses três elementos são temas recorrentes em Jeremias e em outros textos proféticos (Jr 4.28; Is 40.7; Sf 1.3). Apesar de castigos passados, o povo acreditava que Deus não daria fim à nação.

12.5,6 — A resposta de Deus a Jeremias (Jr 12.4) vem na forma de duas perguntas metafóricas. A primeira metáfora, uma corrida a pé, destinava-se a mostrar a Jeremias que os obstáculos que ele enfrentava em sua terra natal eram irrisórios se comparados aos que encontraria diante dos reis de Judá e da Babilônia (os cavalos). A segunda metáfora, paz, destinava-se a lembrar o profeta do sofrimento iminente que ele teria de enfrentar para proclamar a mensagem de julgamento aos líderes. A região relativamente pacífica de Anatote, que recebia pouca oposição por parte de membros de família traiçoeiras, serviria para preparar Jeremias quando tivesse de enfrentar opositores mais severos.

12.7-13 — A localização exata onde esse lamento foi declarado é desconhecida. Entretanto o contexto está de acordo com o período posterior ao cerco de Nabucodonosor na Palestina e a determinação de Jeoaquim como rei vassalo. Os edomitas, moabitas e outros atacavam o perímetro de Judá, saqueando cidades e fortalezas, e levando pessoas cativas.

12.7 — A amada. O amor e a preocupação de Deus em favor de Seu povo não impede a disciplina quando o pecado a torna necessária.

12.8,9 — Judá havia-se tornado como um leão rugindo contra Deus, fazendo com que o Senhor aborrecesse sua amada.

12.10,11 — Pastores nesse trecho se refere aos reis estrangeiros que se haviam tornado agentes de Deus para julgar Judá. Por causa do pecado, a terra que anteriormente havia desfrutado as bênçãos abundantes do Senhor experimentaria Seu julgamento devastador.

12.12 — A destruição viria dos lugares altos do deserto onde Israel e Judá realizavam práticas idólatras (Jr 3.2; 3.21; 4.11).

12.13 — A ilustração agora é a respeito dos campos, que os israelitas acreditavam receber a fertilidade por parte de Baal. Por causa da idolatria do povo, seus campos produziam espinhos.

12.14-17 — Após os longos oráculos condenatórios, essa seção conclui garantindo a Jeremias e ao remanescente fiel de que Deus julgaria até as nações que utilizou contra Seu próprio povo. Os exilados de Judá recebem a promessa de restauração, mas são advertidos conta as consequências de pecados futuros.

12.14 — Maus vizinhos incluem as poderosas nações da Babilônia e da Assíria, bem como os reinos oportunistas de Edom, Moabe e Amom. Esses últimos reinos tomaram terras, colheitas e reféns quando Judá se encontrava enfraquecido pela invasão.

Herança refere-se à terra que Deus deu ao seu povo sob condições bastante específicas. Arrancar geralmente é utilizado no livro de Jeremias no contexto da retribuição de Deus contra as nações ímpias. Judá seria arrancado dentre aqueles que seriam arrancados.

12.15 — Esse versículo apresenta um vestígio de esperança em meio a uma profecia de julgamento. Durante o período de punição, o Senhor lembrar-se-ia de Sua aliança com Abraão. Eventualmente, ele retornaria e se compadeceria de Seu povo. Porções de terra iriam retornar aos seus proprietários originais.

12.16 — As nações recebem diretrizes rigorosas a respeito de sua sobrevivência e das bênçãos futuras. São aconselhadas a aprenderem os caminhos de Israel de modo mais diligente do que haviam ensinado Israel a adorar Baal. Se as nações fizessem isso e se colocassem sob a aliança de Deus—jurando pelo meu nome, edificar-se-ão. Esse é o chamado para que as nações compartilhem da salvação de Israel.

2 comentários:

Cláudia Lustosa disse...

Estou lendo toda a Bíblia desde Dezembro de 2017, bem devagar não é? (rsrsrs) Das outras vezes que comecei a ler eu nunca terminava. Agora eu estou lendo e meditando por isso não terminei ainda. Eu quando não entendo o que estou lendo eu busco aqui comentários e estudo. Este site tem me ajudado muito. Deus abençoe este ministério de vocês. 🙌

Unknown disse...

Com certeza penso igual a vc!

Postar um comentário