2015/09/04

Significado de Jeremias 20

Significado de Jeremias 20 

Significado de Jeremias 20



Jeremias 20

20.1-18 — Esse trecho tem duas partes: (1) a mensagem de Jeremias a Pasur (Jr 20.1-6); e (2) a reclamação e o lamento de Jeremias (Jr 19.7-18).

20.1 — Pasur [...] presidente. Uma pessoa nesse cargo tinha de ser sacerdote. Ele detinha a supervisão do templo, dos guardas do templo, da entrada nos pátios e assim por diante. A proclamação de Jeremias contra a cidade e o templo preocupara Pasur, por causa da ameaça à continuação do culto no qual ele estava envolvido.

20.2 — Jeremias foi espancado e confinado em uma fortificação por Pasur. Essa não era uma prisão ou calabouço normal, mas, sim, um complexo de detenção para aqueles que profanavam a área por meio de impurezas ou de comportamento reprovável. A porta superior de Benjamim era chamada assim para distingui-la de outra porta da cidade com o mesmo nome. Essa porta dava acesso aos pátios do templo a partir do norte, a direção do território de Benjamin.

20.3,4 — O nome Magor-Missabibe significa terror por todos os lados. Assim como Pasur havia trazido terror para Jeremias, ele também iria tornar-se um terror para si próprio, sua família e seus aliados. O inimigo vindo do norte descrito em passagens anteriores (Jr 1.13-15) agora é identificado como a Babilônia.

20.5 — Os quatro recursos de Jerusalém que seriam levados juntamente com os exilados para a Babilônia eram a riqueza, o fruto do seu trabalho, todas as suas coisas preciosas e os tesouros Essa lista é acompanhada de quatro verbos que descrevem o confisco dos bens valiosos de Jerusalém: entregar, saquear, tomar e levar.

20.6 — Pasur, sua família e seus aliados, que fizeram oposição Jeremias, seriam deportados para a Babilônia porque Pasur havia profetizado falsamente. Aparentemente, ele havia declarado que Jerusalém não seria destruída.

20.7-18 — O desespero de Jeremias se aprofunda ao acusar Deus de tê-lo atraído a esse escárnio (Jr 7— 10), então ele irrompe em uma expressão de fé e louvor (Jr 11— 13), seguida de um novo queixume por seu nascimento e seu chamado (Jr 14— 18). Esse trecho segue quase que literalmente a forma dos lamentos individuais encontrados no livro de Salmos.

20.7 — Iludiste-me [...] e iludido fiquei. Um jogo de palavras com a intenção de utilizar duas formas do mesmo verbo em hebraico, que significa atrair. Jeremias afirmou que o Senhor o havia seduzido e que ele havia sucumbido à tentação.

20.8 — Jeremias havia proclamado oficialmente a Palavra de Deus a respeito do julgamento e da destruição, mas a profecia não havia se cumprido, fazendo com que o profeta fosse vítima de opróbrio e ludíbrio.

20.9 — Jeremias decidiu não mais declarar a palavra de Deus ou falar no seu nome. No entanto a mensagem divina não podia se contida no íntimo nem impedida de cumprir seu propósito pré-determinado (Is 46.10, 11; 55.11). A Palavra de

Deus era como um fogo ardente no coração e nos ossos de Jeremias; caso não fosse liberada, o profeta morreria. Diferente do coração do povo, a mente, o físico, as emoções e o espírito de Jeremias estavam sobrecarregados com a palavra de Deus e sua vontade para seu povo.

20.10 — Jeremias foi ridicularizado com suas próprias palavras, terror de todos os lados (Jr 20.3,4).

Denunciai. Tudo aquilo que Jeremias anunciava os líderes de Judá conseguiam reverter contra ele até o profeta se sentir totalmente desmoralizado.

20.11 — A maioria dos salmos de lamento individual contém uma confissão de confiança em Deus (SI 13). Jeremias se voltou ao Senhor em oração e louvor em seu momento de maior necessidade.

Está comigo. Em seu chamado, Deus prometeu que sua presença iria libertar Jeremias (Jr 1.8,19). Valente terrível. Deus era o guerreiro poderoso que combatia em favor do profeta. Seus inimigos não prevaleceriam (Jr 20.7,10), mas tropeçariam e cairiam perante Deus. A punição deles seria vergonha e confusão perpétua (23.40).

20.12 — Tu [...] que provas. Deus prova (Jr 17.10) e julga o justo, aquele que segue os caminhos e a verdade do Senhor.

Vês os pensamentos e o coração. Deus é capaz de enxergar o mais íntimo de uma pessoa e discernir a atitude e o espírito do indivíduo.

Vingança. Jeremias clama em busca do julgamento e da destruição prometidos por Deus, para que sejam cumpridos sem demora.

20.13 — A declaração de confiança de Jeremias transforma-se em louvor à medida que ele cita ou parafraseia um salmo ou hino. O contexto e o conteúdo desse trecho são muito semelhantes ao SI 35.9 (SI 109.30,31).

20.14-18 — Esse trecho é uma continuação do lamento em 15.10.

20.14,15 — Em Israel antigo, amaldiçoar a Deus ou os pais era uma ofensa punida com a morte. Jeremias evitou cometer uma ofensa capital amaldiçoando sua concepção e seu nascimento, e portanto seu chamado divino.

20.16,17 — A profunda depressão de Jeremias fez com que ele desejasse a morte do homem que levou as boas-novas de seu nascimento a seu pai. Sem que se arrependesse. Jeremias, em seu sofrimento, considerou que teria sido melhor se tivesse morrido antes de nascer em vez de enfrentar rejeição, perseguição e aprisionamento.

Um comentário:

Unknown disse...

Obrigada por publicarem esses estudos . Deus os abençoe

Postar um comentário