2015/09/04

Significado de Jeremias 35

Significado de Jeremias 35 

Significado de Jeremias 35


Jeremias 35

35.1-19 — O encontro de Jeremias com os recabitas, como indicado em Jeremias 35.11, deu-se próximo do final do reinado de Jeoaquim, que morreu em dezembro de 598 a.C. Nabucodonosor deu ordens às tropas amonitas, moabitas, arameias (sírias) e caldeias para atacar os rebeldes de Judá sob o comando de Jeoaquim (2 Rs 24.2). Esses ataques revelam o motivo de os recabitas terem deixado seu território e buscado refúgio em Jerusalém. O relato é semelhante em forma ao relato do ato simbólico. A ligação entre o encontro com os recabitas e o relato da decisão de Zedequias de cancelar a libertação dos escravos (Jr 34) serve para ilustrar a fidelidade à aliança com um exemplo concreto.

35.1 — Nos dias de Jeoaquim. Jeoaquim reinou de 609 a 598 a.C.

35.2 — Os recabitas eram um grupo bastante unido de descendentes dos queneus (Jz 1.16; lCr 2.55). Esse grupo foi conhecido primeiramente a partir da história de Jonadabe, filho de Recabe, que ajudou Jeú a expulsar os profetas de Baal de Samaria (2 Rs 10.15-28). Os recabitas viviam como nômades, rejeitando todo tipo de vida urbana ou agrária. Eles se recusavam a beber vinho ou bebida forte e não cultivavam vinhedos. Também não faziam nenhum outro tipo de plantio. Muitos teólogos acreditam que eles fossem um clã de ferreiros. Os recabitas foram convidados por Jeremias a entrar em uma das câmaras que circundavam o pátio do templo de Deus para uma demonstração simbólica.

35.3-5 — Homem de Deus refere-se a alguns profetas conhecidos e anônimos, emissários de Deus que transmitiam mensagens específicas (1 Sm 2.27; 1 Rs 12.22; 13.1; 2 Rs 1.9). Aparentemente Hanã se agradou da pregação de Jeremias. No templo e na presença dos principais administradores daquele edifício, Jeremias testou a fidelidade dos recabitas à sua tradição colocando vinho diante deles e mandando que bebessem.

35.6-10 — Os recabitas se recusaram a beber o vinho, com base no ensino de Jonadabe, seu antepassado.

Obedecemos. Essa palavra expressa a fidelidade pura dos recabitas à suas tradições, em antítese ao fracasso de Judá em guardar a aliança (Jr 3.13; 7.23,24).

35.11 — A ameaça militar de Nabucodonosor havia trazido uma mudança. Embora estivessem contrariando sua tradição, os recabitas procuraram proteção contra os babilônios atrás dos muros de Jerusalém.

35.12-15 — Aceitareis instrução, para ouvirdes as minhas palavras. Esse fraseado baseia-se nas palavras dos recabitas (Jr 35.8) e no oráculo de Jeremias em Jeremias 7.28. Os recabitas haviam obedecido às instruções de seu ancestral Jonadabe. No caso de Judá, embora o próprio Deus houvesse instruído os israelitas a respeito da aliança e apresentado a mensagem repetidas vezes através de muitos profetas, o povo não o obedecera. Madrugando e falando ilustra a persistência dos muitos profetas na história de Israel.

35.16,17 — Os recabitas não descumpriram o mandamento de Jonadabe, mas os israelitas continuamente se rebelavam contra os ensinamentos de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário