2015/12/29

Anarquismo — O que significa?

Anarquismo — O que significa?Anarquismo

Vem do grego an, “sem”, e arche, “governo”. Uma teoria social que considera o estado como a origem da maioria dos m ales sociais e m orais. Em primeiro lugar, busca a destruição da antiga ordem, mediante métodos violentos ou outros; em segundo lugar, busca substituir a antiga ordem por uma outra que, presumivelmente, surja espontaneamente, por meio da cooperação de indivíduos livres, organizados em grupos puramente voluntários, territoriais e funcionais, que, segundo se esperava, produziria e distribuiria os bens e serviços necessários à sociedade. Essa teoria pressupõe que a natureza humana básica é boa, e que se for deixada livre para agir, produzirá o bem. Portanto, o homem não precisa de leis coercivas. Tipos. 

1. Individualista, que aceita a propriedade privada isenta de todas as restrições do controle do estado.

2. Comunista, que repudia o coletivismo forçado do marxismo, em favor da possessão comum dos meios de produção, por livre acordo e cooperação entre os elementos da sociedade.

3. Terrorista, que advoga a violência, incluindo o assassinato de figuras chaves a fim de atingir os seus propósitos.

4. Cristã, que presumivelmente deriva os seus princípios dos ensinamentos de Cristo. Os anarquistas cristãos advogaram a isenção de leis humanas, como inerente à liberdade dada por meio de Cristo.

Os proponentes dessa variedade de anarquismo puderam ser encontrados entre os Levelers e Diggers do século XVII, os anabatistas e os doukhobors. William Godwin, um escritor político inglês, pensava que o progresso moral gradual do homem terminaria no anarquismo. Tolstoy defendia a revolução moral, que levaria à abolição do estado. Em contraste com essa filosofia, Agostinho, Lutero, Calvino e outros argumentavam que o pecado requeria o governo civil, o que, naturalmente, refletia a posição da Bíblia (ver Rom. 13:1 ss.).


Links Externos

Nenhum comentário:

Postar um comentário