2016/01/07

Anunciação — Estudo Bíblico


Anunciação — Estudo Bíblico

ANUNCIAÇÃO

No registro dos evangelhos, três pessoas recebem anunciações especiais: Zacarias (Luc. 1:13), José (Mat. 1:10), e Maria (Luc. 1:26 ss , através do anjo Gabriel). Mas o termo usualmente é empregado em relação a Maria. A Igreja tem uma festa religiosa em comemoração ao evento, celebrada a 25 de março. Lucas relata a anunciação a Maria, em seu lar, em Nazaré. Mateus narra a anunciação a José, acerca do nascimento de Jesus. Destarte, a Bíblia ensina que o Espírito de Deus pode entrar nas vidas humanas, anunciando e produzindo grandes alterações. Isso reflete o teísmo,  em contraste com o deísmo.  O primeiro ensina que Deus pode intervir e intervém na vida humana, recompensando, punindo e produzindo modificações. Em contraste, o deísmo retrata o Criador (pessoal ou com o força cósmica) que abandonou suas criaturas, permitindo que tudo fosse governado pelas leis naturais. Ver os artigos sobre esses conceitos. Essência da mensagem da anunciação:

1. No grego, xaire kexaritomenei; no latim, ave, gratia plena.  “Saudação, agraciada!” Os intérpretes protestantes veem nisso o grande benefício da graça que Deus conferiu a Maria, ao escolhê-la para ser a mãe de Jesus. Os católicos veem em Maria a própria fonte dessa graça, e não sua beneficiária, pelo que ela seria tanto a mãe quanto a filha da graça. As palavras: “Bendita és tu entre as mulheres...” pertencem ao vs. 42, e não ao vs. 28, conforme se vê em alguns manuscritos e versões. (Ver Luc. 1:26 ss ). Seja como for, onde quer que essas palavras caibam, elas falam do singular privilégio conferido a Maria.

2. Nos vss. 30-33: “Maria, não temas...”, porquanto Deus é quem a favorece, prometendo o nascimento de Jesus por meio do Espírito. Deus estabeleceria a grandeza do Cristo que nasceria. Ele reinaria em Israel, e fundaria um reino que não teria fim . As obras de Deus transcendem a tudo quanto temos em mente para nós mesmos, se estamos em posição espiritual para participar dessas bênçãos.

3. Nos vss. 35-37: “Descerá sobre ti o Espírito Santo...” A gravidez de Maria foi obra do Espirito de Deus, e não causa humana. (Ver notas completas sobre o nascimento virginal).  Essa circunstancia m ostra o cará ter único de Jesus, o Cristo, e é teologicamente importante, conforme explica a nota referida. O vs. 37 enfatiza que as obras de Deus, inesperadas e de vastíssimo alcance como são, são possíveis por serem realizações divinas. Isso aponta para uma causa sobrenatural. Não devemos rebuscar condições biológicas incomuns, como explicação desses acontecimentos. A dições lendárias. O livro de Tiago, um a obra apócrifa do séc. II D.C. ou Proto-evangelho, caps. 10 e 11, acrescenta alguns detalhes. Todos os eventos realmente grandes sofrem alguma elaboração posterior, sem importar se são sagrados ou profanos.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário