2016/04/30

Êxodo 26 — Explicação das Escrituras

Êxodo 26 — Explicação de Êxodo

Êxodo 26 — Explicação de Êxodo

26.1 Cortinas. O Tabernáculo é realmente uma tenda, um templo portátil, de lona; portanto, as cortinas são as suas paredes. • N. Hom. A tradição cristã não deixou de notar uma simetria deliberada nas medidas do Tabernáculo. Todas as medidas se formam com os números 3, 4, 7, 10, de forma simples, isolados ou multiplicados, ou divididos entre si. Esta maneira oriental de expressar por números e medidas a ideia da moradia perfeita e eterna a de Deus se vê nas descrições do Templo e da cidade de Jerusalém, que tanto Ezequiel (Ez 40 até 42) como João (Ap 21.9-27) nos legaram em seus escritos inspirados.
26.7 Tenda. Um tipo de segunda tenda, de material mais forte, e de medidas um pouco maiores (onze cortinas, no lugar de dez) para cobrir tudo e deixar uma sobra na frente e atrás, para dar entrada (9 e 13). O sistema de laçadas e colchetes é para produzir uma tenda portátil.
26.13 Côvado. Mais ou menos 46 cm. As cortinas inferiores têm comprimento de 28 côvados (2), e as exteriores, de 30 (8), permitindo assim, às exteriores pendurar mais baixo do que as interiores, cobrindo-as eficientemente.
26.14 Coberta. As duas camadas de cortinas descritas em vv. 1-13 formavam as cobertas interiores. Mais duas cortinas (uma feita de pele de carneiro, tingida, e a outra de texugo, isto é, de peles de animais marinhos) formavam uma proteção extra contra os elementos.
26.15 Tábuas. Aqui começa a descrição da armação do Tabernáculo, da estrutura básica que sustentaria as cortinas.
26.17 Encaixes. Cada encaixe era feito para ser colocado numa base firme (19) para conservar as tábuas em posição vertical (15).
26.20 Também. A ordem e a simetria no Tabernáculo de Deus são notadas em todas as direções.
26.23 Duas tábuas. São reforços para os cantos, do lado posterior, o ocidental. Tudo dá a entender que a frente e o lado oriental, por não terem vigamento, perfariam uma grande porta, aproveitando as cortinas duplas para fechá-la (9).
26.26 Travessas. Serviam para carregar a armação da tenda; havia um jogo de travessas para cada uma das três partes da armação. Parece que era utilizada uma travessa comprida, a fim de unir todo material dos lados do Tabernáculo (28) e outras quatro para suportar as várias partes do peso.
26.29 Ouro. O mais precioso dos metais então conhecidos, cobria o lugar onde Deus havia de ser adorado, inclusive as enormes travessas, Indica, isto, que devemos sempre oferecer a Deus o mais precioso, para realmente glorificá-lo.
26.30 No monte. Mais uma vez se lembra que este Tabernáculo físico e visível é feito segundo a vontade divina, sendo um símbolo das coisas eternas, reveladas em visão (Hb 8.5).
26.31 Véu. Este véu servia para separar, do resto do Santuário, o lugar chamado o Santo dos Santos (33), no qual havia apenas a Arca com o propiciatório que, evidentemente, era a tampa da Arca (34). O véu era ultrapassado pelo Sumo Sacerdote, apenas uma vez por ano, onde este reaparecia depois de fazer ofertas pelos seus próprios pecados e pelos do povo; no dia em que Cristo foi sacrificado pelos nossos pecados, este véu se rasgou (Mt 27.51) e, agora, a entrada à plenitude da comunhão com Deus só é possível através da própria pessoa de Cristo (Hb 10.19-22). Todo o décimo capítulo da Epístola aos Hebreus mostra como Cristo é a chave do Santo dos Santos e o mistério revelado no Tabernáculo de Deus.

Índice: Êxodo 1 Êxodo 2 Êxodo 3 Êxodo 4 Êxodo 5 Êxodo 6 Êxodo 7 Êxodo 8 Êxodo 9 Êxodo 10 Êxodo 11 Êxodo 12 Êxodo 13 Êxodo 14 Êxodo 15 Êxodo 16 Êxodo 17 Êxodo 18 Êxodo 19 Êxodo 20 Êxodo 21 Êxodo 22 Êxodo 23 Êxodo 24 Êxodo 25 Êxodo 26 Êxodo 27 Êxodo 28 Êxodo 29 Êxodo 30 Êxodo 31 Êxodo 32 Êxodo 33 Êxodo 34 Êxodo 35 Êxodo 36 Êxodo 37 Êxodo 38 Êxodo 39 Êxodo 40


Nenhum comentário:

Postar um comentário