2016/05/01

Êxodo 35 — Explicação das Escrituras

Êxodo 35 — Explicação de Êxodo

Êxodo 35 — Explicação de Êxodo

35.2 Quem nele trabalhar morrerá. É a morte espiritual do que põe as ambições desta vida no lugar das coisas de Deus, e ainda é símbolo da morte eterna dos que põem o próprio esforço humano no lugar do sacrifício de Cristo.
35.3 Não acendereis fogo. Deus quer tirar até a tentação de fazer vários tipos de trabalho; o único fogo, aqui que queima no sábado, é o fogo dos altares do templo de Deus.
• N. Hom. 35.5 Voluntariamente. Só a oferta feita segundo o propósito do coração, com alegria e amor, agrada a Deus (2 Co 9.7; 1 Co 13.3). Este espírito de boa vontade é uma grande coluna do caráter (Sl 51.12). Se alguém estranha que o povo no deserto tinha tantas preciosidades para oferecer, terá de se lembrar que esse povo tivera um milagroso passado: os egípcios deram essas coisas aos israelitas, após presenciar os milagres que Deus fizera (Êx 3.22; 12.35-36). Uma atitude de boa vontade deve acompanhar todas as coisas que oferecemos a Deus, inclusive nossas próprias virtudes, que dele provêm.
35.10 Os homens hábeis. Os materiais para fazer o Tabernáculo eram ofertas do povo (59), mas tinham sua origem na graça divina. Assim também a mão de obra é uma oferta do povo, mas sua habilidade vinha por inspiração divina (31).
35.11-19 Um resumo dos objetos sagrados descritos nos capítulos 25 até 30.
35.22 Fivelas, pendentes, anéis. As pequenas economias do povo nômade sempre se constituíram de jóias e enfeites. Mesmo quando os atavios não eram mais usados (33.6), eram guardados como dinheiro.
35.23 Estes materiais significativos se descrevem em 25.3-8.
35.25 Mulheres hábeis. A Igreja possuíra mulheres de grande ternura e dedicação, que deram do melhor e da especialidade do seu trabalho (Lc 8.1 -3; At 9.36-41; 16.11-15).
35.26 Pêlos de cabra. O método mais comum de fazer material para tendas; era o ofício do Apóstolo Paulo, que lhe dava o sustento durante as viagens missionárias (At 18.3). Até hoje se fabricam tendas desse tipo, no Oriente.
35.27 Príncipes. Não no sentido de filhos de família real, mas líderes entre o povo, talvez os chefes de mil (18.25). São estes que tinham privilégios, mas também o dever de usarem valiosas jóias que o povo comum não possuía.
35.29 Voluntária. Quatro vezes, nestes parágrafos, se menciona a disposição do coração e o impulso do espírito (21, 22, 26 e 29). • N. Hom. O Espírito de Deus o encheu. Se um operário precisa da plenitude do Espírito para fazer uma cópia física do Tabernáculo Eterno de Deus, quanto mais os crentes vocacionados para serem o Templo do Espírito Santo (1 Co 6.19), carecem desta plenitude (Ef 5.18). Esta plenitude inclui a habilidade, que é a sabedoria prática para cumprir a vontade de Deus neste mundo; a inteligência, que é a compreensão intelectual das coisas de Deus, seja no labor diário, seja na leitura dá Bíblia; o conhecimento, que ajudou Bezalel a guardar em mente o padrão do Tabernáculo, e ajuda o crente a ter claras diretrizes sobre sua vocação individual (Ef 2.10). Tudo isto serve para a edificação do povo de Deus e um fim proveitoso (1 Co 12.7), como vemos nos vv. 32 e 33.
35.34 Para ensinar. O servo de Deus nunca recebe bênçãos de capacidade só para o seu proveito próprio: recebe a intuição, para ir transmitindo aos outros tudo o que de Deus recebeu, seja de consolação (1 Co 1.3-5), seja de instrução (1 Co 9 16-18).

Índice: Êxodo 1 Êxodo 2 Êxodo 3 Êxodo 4 Êxodo 5 Êxodo 6 Êxodo 7 Êxodo 8 Êxodo 9 Êxodo 10 Êxodo 11 Êxodo 12 Êxodo 13 Êxodo 14 Êxodo 15 Êxodo 16 Êxodo 17 Êxodo 18 Êxodo 19 Êxodo 20 Êxodo 21 Êxodo 22 Êxodo 23 Êxodo 24 Êxodo 25 Êxodo 26 Êxodo 27 Êxodo 28 Êxodo 29 Êxodo 30 Êxodo 31 Êxodo 32 Êxodo 33 Êxodo 34 Êxodo 35 Êxodo 36 Êxodo 37 Êxodo 38 Êxodo 39 Êxodo 40


Nenhum comentário:

Postar um comentário