2016/05/27

Paradoxos da Onipotência

Paradoxos da Onipotência

Paradoxos da Onipotência




PARADOXOS DA ONIPOTÊNCIA

Vários paradoxos são sugeridos mediante a doutrina que ensina que Deus é o Todo-Poderoso, a saber:
1. O problema do mal (vide). É difícil reconciliar a onipotência de Deus com a presença do mal no mundo. Se Deus é o Todo-Poderoso, como ele permitiu a entrada do mal em sua criação, de uma maneira tão evidente e generalizada? Diante desse dilema, alguns teólogos têm sacrificado erroneamente a onipotência de Deus; e têm imaginado que, a despeito de ser muito poderoso, Deus foi incapaz de impedir o aparecimento de todos os problemas. Sendo muito poderoso, é de esperar-se que Deus fará o bem, finalmente, triunfar sobre o mal, mas isso através de um conflito real, que terá de invadir a eternidade para poder chegar a bom termo. O artigo sobre o Problema do Mal tenta explicar como Deus pode ser o todo-poderoso, e isso paralelamente ao fato da existência do mal no mundo.
2. O problema da liberdade. Deus conferiu ao homem uma liberdade genuína, ainda que sabendo que o homem abusaria dela e que daí resultaria o mal. Essa liberdade do homem limitou o poder de Deus, embora possamos dizer que se trata de uma autolimitação. O resultado dessa autolimitação foi a entrada do mal no mundo. Surge, pois, a pergunta: Pode Deus criar algo que, subsequentemente, ele não consiga mais controlar? Nesse caso, Deus não seria onipotente. Alguns teólogos, em busca de uma solução, têm sacrificado a onisci-ência de Deus, para impedir que esse paradoxo faça parte da teologia. E alguns teólogos têm visto a solução para o dilema na idéia de que o objetivo primário de Deus não era impedir a presença do mal na sua criação, e, sim, outorgar ao homem um plano genuíno de desenvolvimento espiritual, dentro de cujo plano o homem tivesse de fazer escolhas entre o bem e o mal, com as consequências advindas dessa escolha.
3. Deus não pode praticar o mal. Isso. de acordo com alguns, mostra que o poder de Deus é limitado. Porém, temos ai um pseudo problema, porquanto praticar o mal é uma debilidade, e não um ponto forte.
4. Um outro pseudo problema é aquele que indaga: «Pode Deus criar um peso tão grande que ele não possa erguê-lo? Se o poder de Deus, por um lado, é ilimitado, então Deus deve ser capaz de fazer isso. Mas, por outro lado, se Deus assim fizesse, o seu poder não seria ilimitado. Temos aqui, portanto, apenas um sofisma de ignorância de causa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário