2017/02/07

Interpretação de 1 Reis 1

Comentário Devocional de Levítico

Interpretação de 1 Reis 1



1 Reis 1


I. O Reino Unido desde Salomão até Roboão. I Reis 1:1 - 11: 43.
A. Salomão Sobe ao Trono. 1:1 - 2:46.
1 Reis 1
1) As aspirações de Adonias ao Trono são frustradas. 1:1-53.
1. Sendo o rei Davi já velho. Os muitos sofrimentos de Davi por causa de Saul, antes de subir ao trono, e seus quarenta anos de reinado sobre Israel deixaram nele impressões indeléveis. Contudo, antes que a morte sobreviesse, o rei, guerreiro e poeta, atingiu a idade de setenta anos (II Sm. 5:4), que, segundo suas próprias palavras, são o limite máximo da vida. O último golpe que apressou a morte do ancião foi a rebelião de Absalão (II Sm. 15:1 – 19:10). Envolviam-no com roupas. Begadim indica roupa de cama, não roupas. Tomaram a mais simples medida de precaução para poupar o velho homem no seu declínio físico, o que, contudo, não ajudou em nada o monarca enfermo.
2. Então lhe disseram os seus servos. A sugestão dos servos para que se buscasse uma jovem para o rei a fim de lhe restaurar a vitalidade perdida e o aquecesse era uma prescrição médica aceita até a Idade Média. Nenhum significado imoral deve ser dado a esta prática um tanto estranha.
3. Procuraram, pois, . . . uma jovem formosa. Foi escolhida porque era virgem e bonita. Abisague de Sunam, uma cidade de Issacar na planície de Jezreel, ao pé do Monte Hermom, o menor.
4. Cuidava do rei ... porém o rei não a possuiu. Isto é, não manteve com ela relações sexuais. Abisague serviu de enfermeira prática junto ao moribundo Davi.
5. Então Adonias, filho de Hagite, se exaltou. Sua rebelião expressou-se nas palavras de determinação – Eu reinarei. Em sua vida atormentada Davi já experimentara a rebelião da parte de outro filho, Absalão. Adonias, cuja mãe era Hagite, foi o quarto filho de Davi. Talvez Adonias pensasse que sendo o filho mais velho vivo de Davi, tinha direito ao trono. Mas, nesse caso, ele ignorava as implicações teológicas de Deus já ter escolhido Salomão, o título de Davi com Bate-Seba, esposa de Urias, o heteu (II Sm. 12:24).
6. Jamais seu pai o contrariou. Disto podemos deduzir que Adonias tinha permissão de fazer o que entendesse, sem ser disciplinado.
7. Entendia-se ele com Joabe . . . e com Abiatar. Joabe era filho de Zeruia, irmã de Davi, e irmão de Abisai e Asael. Ao que parece ele residia em Belém. Na qualidade de comandante do exército de Davi, demonstrou ser um brilhante estrategista milita, valente na batalha, embora cruel e até mesmo traiçoeiro em certas circunstâncias. Suas principais realizações militares foram a tomada de Jerusalém e o cerco de Rabá dos amonitas. Tendo ele desnecessariamente derramado o sangue de Abner e Amasa, Salomão ordenou que Benaia o condenasse à morte. A seu próprio pedido, Joabe foi morto ao lado do altar de Deus no Tabernáculo, onde se refugiou. Abiatar foi o único sacerdote que escapou à brutal vingança de Saul contra a ordem sacerdotal em Nobe, pela ajuda concedida a Davi. Depois de fugir para junto de Davi, tornou-se o conselheiro espiritual e amigo do guerreiro fugitivo. Até esse momento Abiatar fora fiel ao rei pessoalmente, mas agora juntou-se à conspiração de Adonias contra Salomão. Seu castigo em conseqüência disso não foi a execução que merecia, mas a expulsão do sacerdócio ordenada por Salomão.
8. Porém Zadoque, o sacerdote . . . e Natã, o profeta . . . não apoiavam Adonias. Zadoque se juntara a Davi no Hebrom, imediatamente após a morte de Saul (I Cr. 12:28), acompanhou-o na sua fuga de Jerusalém durante a insurreição de Absalão e atuou como espião do rei (II Sm. 15:24-29; 17:15). Nata. Veja I Reis 1:11.
9. Imolou Adonias ovelhas e bois e animais cevados, junto à pedra de Zoelete. Como pretendente ao trono, Adonias desejava ser considerado munificente. Por isso, antecipando a coroação, deu sua festa real aos interessados. A pedra de Zoelete, isto é, a pedra da serpente, ou “o lugar escarpado e rochoso no declive ao sul do Vale de Hinom, que lança uma sombra muitíssimo profunda”. O lugar tem sido identificado como o Wadi el Rubab. Rogel. “Fonte dos pisoeiros”, ou “a fonte do pé”. Aqui os pisoeiros lavavam as roupas, pisando-as dentro das águas da fonte. Este sítio tem sido identificado como o “Poço de Jó” (mais provavelmente, Poço de Joabe), situado abaixo da junção do Vale do Cedrom com o Vale do Hinom, 165ms abaixo do Monte Sião.
10. Porém ... a Benaia ... e a Salomão, seu irmão, não convidou. Benaia, filho de Joiada o sumo sacerdote (I Cr. 27:5), nativo de Cabzeel, chefe da força policial de Davi, homem valente na luta contra os homens e feras, permaneceu fiel a Salomão. Por isso não foi convocado na rebelião de Adonias. Salomão, filho de Davi e Bate-Seba, o legítimo herdeiro do trono designado por Deus, naturalmente também não foi convidado à festa de Adonias.
11. Então disse Natã a Bate-Seba. Natã, o profeta, aparece pela primeira vez nas Escrituras anunciando a Davi que devia prorrogar a construção do Templo (II Sm. 7). Mais tarde aparece a Davi para reprovar seu duplo pecado de homicídio e adultério na questão de Urias, o heteu (II Sm. 12; Sl. 51). Agora Natã garante o reino para Salomão, o filho de Davi, denunciando as maquinações de Adonias às devidas autoridades, neste caso, à Bate-Seba.
12, 13. Natã insistiu com Bate-Seba a que apelasse diretamente ao rei para nomear seu sucessor antes de sua morte.
14. Eis que, criando tu ainda a falar ... eu também entrarei. Isto é, eu aparecerei a fim de confirmar tuas palavras diante do rei, para mostrar que não és vítima do medo ou imaginação. A notícia da rebelião de Adonias, ao que parece, foram ter aos ouvidos de Davi pela primeira vez.
20. Todo o Israel tem os olhos em ti. Bate-Seba apelou a que Davi fizesse uma declaração direta e imediata.
22. Fiel à sua promessa, Natã apareceu para apoiar Bate-Seba na sua narrativa sobre a rebelião de Adonias, que de outro modo poderia parecer ao monarca uma história exagerada.
23-27. Natã repetiu substancialmente a mesma história que Davi acabara de ouvir dos lábios de Bate-Seba.
28. Chamai-me a Bate-Seba. À moda oriental, Bate-Seba se retirou discretamente quando Natã entrou, mas agora foi novamente chamada para ouvir o rei fazer seu pronunciamento oficial.
29. Então jurou o rei, e disse: Tão certo como vive o Senhor. Pelo sagrado nome de Jeová o rei jurou que Salomão, o filho de Bate-Seba, seria realmente designado como sucessor legítimo do seu trono. Assim, toda a questão foi declarada sem efeito.
31. Então Bate-Seba se inclinou e se prostrou com o rosto em terra. Assim ela demonstrou sua gratidão pela decisão do seu marido e monarca, que atendera ao seu pedido.
32, 33. Fazei montar a meu filho Salomão na minha mula, e levai-o a Giom. Esta ordem dada a Zadoque, Natã e Benaia, foi o desmoronamento da conspiração de Adonias, pois a coroação de Salomão, o meio-irmão do rebelde, ia começar. O rei deu instruções específicas para a cerimônia da coroação. Teria de ser usada a mula de Davi, a mula real, para indicar que Salomão era o escolhido do rei.
34. Ali o ungirão rei sobre Israel. Reis e sacerdotes em Israel eram empossados no seu ofício por meio do ritual da unção, em oposição ao profeta que não era ungido. O toque das trombetas anunciaria ao povo que Salomão estava agora tomando legalmente o trono do seu pai, antes mesmo da morte deste. Viva o rei Salomão! uma piedosa combinação de alegria e oração pela longevidade e prosperidade do reinado do novo monarca.
36. Então Benaia . . . respondeu ao rei, e disse: Amém. Benaia deu sua aquiescência e promessa de que obedeceria a tudo o que Davi tinha declarado em relação à coroação de Salomão.
38. E a guarda real (os queretitas e os peletitas). A guarda pessoal do rei executou assim as instruções reais até o último detalhe. Giom ficava no Vale do Cedrom logo abaixo da colina oriental (Ophel) e era uma fonte intermitente que, naquele tempo, era a principal fonte de água em Jerusalém.
39. Zadoque, o sacerdote, tomou . . . o chifre do azeite. Zadoque, o guardião da Tenda sagrada, providenciou o material que simbolizava a unção invisível de Deus (cons. II Sm. 6:17).
40. Todo o povo . . . alegrando-se com grande alegria. Com um novo e promissor rei no trono, uma nova e promissora era estendia-se diante de Israel. Para trás ficavam as lembranças de grandes conquistas realizadas por Davi; à frente estava um futuro de paz e expansão.
41-48. Adonias e todos os convidados que com ele estavam o ouviram. Estes versículos narram o colapso da conspiração de Adonias para tomar o trono.
49. Então estremeceram . . . todos os convidados de Adonias. Ficaram com medo e com razão, pois seriam considerados traidores do estado e seriam sumariamente punidos.
50. Adonias, temendo a Salomão. Abandonado e negado por aqueles que um pouco antes chamara de seus amigos, Adonias fugiu apavorado, temendo pela própria vida, e buscou asilo no santuário do Tabernáculo.
51. Foi dito a Salomão: Eis que Adonias tem medo. De acordo com a atitude oriental, uma insurreição como a de Adonias seria severamente punida, provavelmente com a morte. Contudo, Salomão foi misericordioso com ele, revogando a pena de morte e colocando-o sob cuidadosa observação, estabelecendo assim o padrão para seu governo magnânimo. Só quando Adonias cometeu outro ato de perfídia é que sua sentença foi pronunciada.
53. Enviou o rei Salomão mensageiros, e o fizeram descer do altar. Salomão respeitou o santuário do altar. Só quem fosse comprovadamente homicida podia ser removido do altar sem misericórdia. Adonias declarou submeter-se a Salomão e obedecer ao seu governo. Se a sua submissão fosse genuína, sua vida dali para frente teria sido mais pacífica e sua história mais feliz.

Índice: 1 Reis 1 1 Reis 2 1 Reis 3 1 Reis 4 1 Reis 5 1 Reis 6 1 Reis 7 1 Reis 8 1 Reis 9 1 Reis 10 1 Reis 11 1 Reis 12 1 Reis 13 1 Reis 14 1 Reis 15 1 Reis 16 1 Reis 17 1 Reis 18 1 Reis 19 1 Reis 20 1 Reis 21 1 Reis 22

Um comentário:

  1. Pq uma virgem? Poderia ter sido uma mulher qualquer para aquecer o rei. mas pq tinha q ser uma virgem?

    ResponderExcluir