quinta-feira, julho 12, 2018

“Pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar”

“Pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar”
“Sabeis estas coisas, meus amados irmãos. Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.”
— Tiago 1:19

Há um forte tom igualitário nesta admoestação. Os “queridos irmãos” de Tiago sabiam que “todos” praticavam a disciplina da fala lenta ou controlada. Mais tarde, Tiago encorajou uma ação efetiva e rápida (2:12). Aqui a rapidez não se refere a agir, mas sim a ouvir. Onde quer que a sabedoria seja a meta, a audição será uma primeira virtude. De fato, “rápido” e “lento” são um conjunto frequente na descrição de qualidades de resposta à vida. Aprendizagem requer lentidão; ação requer rapidez. Nesse caso, a rapidez exigida é aquela que deve ser aprendida ouvindo. O aprendizado requerido está em falar, em cujo caso a sabedoria é facilmente abandonada em favor do interesse próprio.

A raiva pode não ser totalmente controlável, mas pode ser verificada evitando-se fala impetuosa. Tiago conectou rapidez, ou aspereza, na fala e uma explosão de raiva, uma emoção humana descontrolada (cf. Marcos 3:5). Ao praticar uma resposta cautelosa às pessoas verbalmente, as emoções iradas também serão postas em xeque. Essa conexão de fala rápida e raiva é bastante inteligível a partir da interconectividade de todo comportamento humano como entendido a partir da sabedoria bíblica. A única maneira pela qual a paz pode prevalecer com o “todo mundo” a quem as advertências se aplicam é estar pronto ouvintes e comentaristas lentos, especialmente em situações acaloradas.

Ao contrário de alguns que defendiam a ira como o último recurso para o cristão em julgamento, Tiago declarou que eles estão simplesmente errados. Abordagem de Paulo, “em sua ira não peca” e “não deixe o sol se pôr em sua ira” (Ef 4:26; cf. Col 3: 8; Pv 29:11), é comparável a “ser... lento em ficar com raiva.” A “raiva” é perigosa mesmo quando expressa em fala. A fala furiosa é parte da tentação de buscar vingança e era motivo de profunda preocupação para tanto Tiago e Paulo. Existe alguma sugestão aqui de uma justa ira para os crentes? Em Rm 12:19–21, Paulo foi enfático ao não se vingar dos inimigos. “Deixe espaço para a ira de Deus”, declarou ele.