2020/03/19

Salmo 100 — Análise Bíblica


Salmo 100 — Análise Bíblica
Salmo 100 — Análise Bíblica

Salmo 100: Adoração jubilosa 

A exemplo dos salmos 66, 81, 95 e 96, o salmo 100 é uma convocação para louvar e adorar com alegria. As palavras deste salmo têm sido entoadas pela igreja cristã ao longo dos séculos em diversos hinos, inclusive o conhecido “A Deus, o Pai e Benfeitor”. 

100:1-3 Súditos adoradores Todas as terras, ou seja, o mundo inteiro, recebem o convite para celebrar com júbilo ao Senhor (100:1; 98:4). Assim como grupos se reúnem hoje para gritar nas ruas e celebrar a vitória de seu time em algum esporte, no tempo do salmista as vitórias militares eram assim comemoradas. Este salmo nos incentiva a celebrar o triunfo do Senhor sobre seus inimigos. Todos os que reconhecem a grandeza e a santidade de Deus devem reunir-se para adorar e louvar seu nome com alegria e júbilo (100:2). Devemos adorar a Deus como Criador, pois foi ele quem nos fez, e como Rei a quem pertencemos (100:3; 95:7). Somente aqueles que aceitam Deus como Senhor e Rei podem adorá-lo desse modo. Aqueles que adoram ídolos não têm motivos para celebrar; antes, serão “confundidos” (97:7). 

100:4-5 O local e o motivo da adoração No antigo Israel, o único local definido para o culto a Deus era o templo sobre o monte santo de Sião. O salmista exorta os adoradores, portanto, a entrar pelas portas do templo com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor (100:4; 42:4). Eles devem agradecer a Deus e louvar seu nome santo (116:17-19). Como cristãos, não precisamos mais ir ao templo em Jerusalém para adorar a Deus, porém ainda é apropriado nos reunirmos para momentos de celebração em que possamos expressar nossa gratidão e louvar a Deus pelas bênçãos concedidas Caso nos perguntemos que motivos temos para louvar a Deus, o salmista fornece uma lista de razões em 100:5. Em primeiro lugar, o Senhor é bom. Não há nenhum mal nele. Tudo que ele faz é muito bom (Gn 1:30-31). Ademais, a sua misericórdia dura para sempre. Essa oração é repetida várias vezes nas Escrituras (106:1; 107:1; 118:1; 136; 2Cr 5:13; 7:3; Jr 33:10-11). Sua misericórdia infinita excede nossa capacidade de compreensão. Ele não se mostra misericordioso hoje e implacável amanhã. É imutável em seus atributos e em seu ser. Por fim, devemos louvar seu nome porque a sua fidelidade permanece de geração em geração. Deus ama não apenas a nós mesmos, mas aqueles que virão depois de nós. Podemos entregar nossos filhos, netos e bisnetos aos seus cuidados com a mais absoluta segurança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário