segunda-feira, 13 de julho de 2009

estudo biblico sobre abigail
Abigail
[(Meu) Pai se Fez Alegre].

1. Uma das esposas de Davi. Originalmente, a esposa do abastado Nabal, de Maom, cidade à beira do ermo de Judá, ao O do mar Morto. (1Sa 25:2, 3; Jos 15:20, 55) Ela possuía “boa discrição e bela figura”, ao passo que seu primeiro marido, cujo nome significa “Insensato; Estúpido”, era “duro e mau nas suas práticas”.
Depois da morte do profeta Samuel, Davi e seus homens passaram para a região em que pastavam os rebanhos do marido de Abigail. Os homens de Davi, depois disso, eram como que uma “muralha” protetora em torno dos pastores e rebanhos de Nabal, noite e dia. Assim, quando chegou a época da tosquia, Davi enviou alguns moços a Carmelo, para trazer à atenção de Nabal os bons serviços que lhe foram prestados e para solicitar uma oferta de alimento da parte dele. (1Sa 25:4-8, 15, 16) Mas o sovina Nabal berrou invectivas contra eles e insultou Davi, como se ele fosse uma pessoa inconsequente, e como se todos eles fossem possíveis escravos fugitivos. (1Sa 25:9-11, 14) Isto irou tanto a Davi que ele se cingiu da espada e conduziu cerca de 400 homens em direção a Carmelo, para exterminar Nabal e os homens da sua casa. — 1Sa 25:12, 13, 21, 22.

Abigail, informada do incidente através dum servo perturbado, mostrou sua percepção sábia por imediatamente juntar amplo suprimento de alimentos e cereais, e então enviá-los à sua frente, aos cuidados de seus servos, assim como Jacó fizera antes de contatar Esaú. (1Sa 25:14-19; Gên 32:13-20) Sem dizer nada ao marido, cavalgou para encontrar-se com Davi e, num longo e fervoroso apelo, que manifestava sabedoria e lógica, bem como respeito e humildade, convenceu Davi de que as palavras insensatas do seu marido não justificavam o injusto derramamento de sangue, nem a falta de confiança em Yehowah, de que Ele próprio resolveria este assunto dum modo correto. (1Sa 25:14-20, 23-31) Davi agradeceu a Deus o bom senso e a pronta ação de tal mulher. — 1Sa 25:32-35; compare isso com Pr 25:21, 22; 15:1, 2.

Voltando para casa, Abigail esperou que seu marido recobrasse a sobriedade, depois duma festa de bebedeira, e então o informou de suas ações. Então, “o coração dele ficou morto dentro dele e ele próprio ficou como pedra”, e, depois de dez dias, Deus o fez expirar. Quando as novas chegaram a Davi, ele enviou uma proposta de casamento a Abigail, que ela não hesitou em aceitar. Partilhou as afeições de Davi com Ainoã, uma jezreelita, a quem Davi tomara previamente como esposa. A primeira esposa de Davi, Mical, já havia sido dada por seu pai, Saul, a outro homem. — 1Sa 25:36-44.

Abigail esteve com Davi em Gate, na extremidade ocidental da Sefelá e, mais tarde, embaixo no NO do Negebe, em Ziclague. Durante a ausência de Davi, um grupo incursor de amalequitas do S incendiou Ziclague e levou todas as mulheres e crianças, inclusive Abigail e Ainoã. Davi, com a garantia de Yehowah de que teria êxito, liderou seus homens em persegui-los e, num ataque de surpresa, sobrepujou os amalequitas, recuperando os cativos e os bens. — 1Sa 30:1-19.

De volta a Ziclague, três dias depois, chegaram as notícias da morte de Saul. (2Sa 1:1, 2) Abigail acompanhou então seu marido até Hébron, de Judá, onde Davi foi ungido pela primeira vez como rei. Ali ela deu à luz um filho, Quileabe (2Sa 3:3), também chamado Daniel em 1 Crônicas 3:1. As esposas de Davi aumentaram para seis em Hébron, e nem Abigail nem seu filho são mais mencionados no relato. — 2Sa 3:2-5.

2. Uma das duas irmãs de Davi. (1Cr 2:13-17) Alguns peritos crêem ter sido ela apenas meia-irmã, aparentada por parte de mãe, mas não por parte de pai. Em 2 Samuel 17:25, Abigail é chamada de “filha de Naás”. A tradição rabínica sustenta que Naás é simplesmente outro nome de Jessé, pai de Davi. A Septuaginta grega (edição de Lagarde) reza “Jessé”, ao invés de “Naás”, neste versículo. Várias traduções modernas também rezam dessa forma. (Veja BJ; BMD.) No entanto, é digno de nota que o registro em 1 Crônicas 2:13-16 não chama Abigail e Zeruia de ‘filhas de Jessé’, mas, antes, de “irmãs” dos filhos de Jessé, inclusive Davi. Isto permite a possibilidade de que a mãe deles tivesse primeiro casado com um homem chamado Naás, a quem deu à luz Abigail e Zeruia, antes de se tornar esposa de Jessé e mãe de seus filhos. Não se pode, por conseguinte, declarar dogmaticamente que Abigail fosse filha de Jessé.

Abigail, irmã de Davi, é mencionada como dando à luz apenas um filho, Amasa. O marido dela é chamado Itra, o israelita, em 2 Samuel 17:25, mas nos outros lugares é chamado Jeter (1Rs 2:5, 32), e em 1 Crônicas 2:17 é mencionado como “Jeter, o ismaelita”. É possível que Abigail contraísse matrimônio com Jeter durante o tempo em que Jessé e sua família moravam na terra de Moabe. (1Sa 22:3, 4) Seu filho, Amasa, não recebeu nenhuma atenção evidente durante o reinado de Davi, até a rebelião de Absalão. O primo dele, Absalão, então o fez chefe de suas forças armadas. Todavia, depois da morte de Absalão, o irmão de Abigail, o Rei Davi, teve tratos com o filho dela, Amasa, para obter apoio para sua volta ao trono, e, depois disso, fez de Amasa o chefe do exército, substituindo Joabe. (2Sa 19:11-14) Esta designação logo trouxe a morte para o filho de Abigail, às mãos de seu amargurado primo, Joabe. — 2Sa 20:4-10.

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos