quarta-feira, 22 de julho de 2009

Posted by Eduardo G. Junior In | No comments
Estudo Bíblico: IsmaelitasIsmaelitas
[De (Pertencentes a) Ismael].

Descendentes de Ismael, primogênito de Abraão por meio de Agar, a serva egípcia de Sara. (Gên 16:1-4, 11) Ismael, por sua vez, casou-se com uma egípcia com quem teve 12 filhos homens (Nebaiote, Quedar, Adbeel, Mibsão, Misma, Dumá, Massa, Hadade, Tema, Jetur, Nafis e Quedemá), os maiorais dos vários clãs ismaelitas. (Gên 21:21; 25:13-16) Os ismaelitas, portanto, eram de início um quarto semitas e três quartos camitas, falando-se em sentido racial.

Conforme Deus prometera, os ismaelitas vieram a tornar-se uma “grande nação”, que ‘não podia ser contada por causa da sua multidão’. (Gên 17:20; 16:10) Mas, em vez de se fixarem (construíram poucas cidades), preferiram a vida nômade. O próprio Ismael era “uma zebra de homem”, isto é, um irrequieto peregrino que perambulava pelo ermo de Parã e vivia do arco-e-flecha. Os seus descendentes eram igualmente na maior parte beduínos habitantes de tendas, um povo que peregrinava por toda a península do Sinai, desde “defronte do Egito”, isto é, ao L do Egito e em todo o N da Arábia até a Assíria. Eram famosos por serem um povo feroz e guerreiro, com quem era difícil de conviver, assim como se dissera sobre seu pai, Ismael: “Sua mão será contra todos e a mão de todos será contra ele.” — Gên 16:12; 21:20, 21; 25:16, 18.

Numa descrição adicional dos ismaelitas, declara-se: “Estabeleceu-se [hebr.: na·fál] na frente de todos os seus irmãos.” (Gên 25:18) Similarmente, dizia-se que os midianitas e seus aliados “achavam-se estirados [no·felím, forma participial de na·fál] na baixada”, em território israelita, até que o grupo de Gideão os desarraigou à força. (Jz 7:1, 12) Assim, quando os ismaelitas ‘se estabeleciam’, era evidentemente com a intenção de deterem a posse da respectiva região até serem removidos à força.

Com o tempo, é bem provável que ocorressem alianças matrimoniais entre os ismaelitas e os descendentes de Abraão por meio de Quetura (Gên 25:1-4), resultando nos habitantes de seções da Arábia. Visto que Ismael e Midiã eram meios-irmãos, qualquer casamento de seus respectivos descendentes entre si, com a mistura de seu sangue, de seus hábitos, de suas características e de suas ocupações, poderia ter dado origem a um emprego intercambiável dos termos “ismaelitas” e “midianitas”, conforme se observa na descrição da caravana que vendeu José para a escravidão egípcia. (Gên 37:25-28; 39:1) Nos dias de Gideão, as hostes que invadiram Israel foram descritas como sendo tanto de midianitas como de ismaelitas, um dos sinais identificadores destes últimos sendo suas argolas de ouro para as narinas. — Jz 8:24; compare isso com Jz 7:25 e 8:22, 26.

A animosidade de Ismael para com Isaque parece ter sido transmitida para seus descendentes, até ao ponto de odiarem o Deus de Isaque, pois o salmista, ao relacionar os que ‘odeiam intensamente’ a Yehowah, inclui os ismaelitas. (Sal 83:1, 2, 5, 6) Evidentemente, porém, havia exceções. Sob o arranjo organizacional instituído por Davi, Obil, que é citado como ismaelita, tinha a supervisão dos camelos do rei. — 1Cr 27:30, 31.

Maomé, que viveu no sétimo século EC, afirmava ser descendente ismaelita de Abraão.

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos