quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Posted by Eduardo G. Junior In , | 1 comment
ANJOS, ESTUDO BIBLICO, ANGEOLOGIA
“Cerca de 3.000 peritos religiosos se reuniram durante quatro dias em Nova Iorque, semana passada, para ouvir mais de 500 relatos sobre assuntos que variavam do papel do humor nos sermões à importância do ritual para os pentecostais. Ninguém mencionou os anjos.” — Jornal Daily News, 26 de dezembro de 1982.

Atualmente, muitos anos se passaram, o clero ainda diz muito pouco sobre os anjos. Por quê? Poderia ser que tais mensageiros celestes sejam considerados uma simples parte dum mito antigo? Ou será que realmente existem? Se existem, o que devia saber sobre eles?

O que são os anjos?

Os anjos não são simples “poderes”, ou “movimentos do universo”, como alguns filósofos afirmam. São bastante reais para serem mencionados centenas de vezes na Palavra de Deus, a Bíblia. Nas línguas originais da Bíblia, as palavras traduzidas “anjo” (hebraico, mal’ákh; grego, ággelos) literalmente significam “alguém que traz uma mensagem”, ou, simplesmente, “mensageiro”. Tais palavras ocorrem cerca de 400 vezes em toda a Bíblia, às vezes referindo-se a mensageiros humanos, mas, em geral, a mensageiros espirituais.

O anjo que apareceu à esposa estéril de Manoá, anunciando a concepção de seu filho, Sansão, era real para ela. Também o eram os três anjos que apareceram a Abraão e sua esposa, Sara, e os dois que procuraram por Ló, e aquele que se sentou debaixo de uma grande árvore e conversou com Gideão. (Gênesis 18:1-15; 19:1-5; Juízes 6:11-22; 13:3-21) Por ocasião do nascimento de Jesus, um anjo subitamente apareceu a um grupo de pastores, no meio de uma luz deslumbrante e reluzente. — Lucas 2:8, 9.

Tais anjos eram reais. Não eram fruto da imaginação, nem uma força impessoal. Cumpriram determinado propósito, como mensageiros de Deus, e os relatos foram registrados apropriadamente na Bíblia, para nosso benefício atualmente. (2 Timóteo 3:16) A Bíblia assim revela importantes pormenores sobre anjos, que o leitor precisa saber, alguns dos quais colidem com os conceitos tradicionais.

Qual a Aparência Deles?

Talvez o leitor imagine os anjos como lindas mulheres ou como criaturas fofinhas, parecidas a bebês, dotadas de asas, sorridentemente doces e trajando mantos brancos, dedilhando pequeninas harpas, e pairando no ar. Se assim for, deve saber que se trata de conceitos errôneos, derivados de idéias pagãs, tais como na mitologia grega. Ou tais idéias foram adotadas depois de concluída a escrita da Bíblia. Nas visões simbólicas da Bíblia, as criaturas espirituais, tais como os serafins e os querubins, possuem asas. — Isaías 6:2; Ezequiel 10:5; Apocalipse 14:6.

A Palavra de Deus descreve os anjos como espíritos muito poderosos, e um espírito é invisível. (1 Reis 22:21; Salmo 34:7; 91:11) Foi um “anjo de Jahweh” que abateu 185.000 assírios no acampamento do inimigo de Israel, em uma única noite! (Isaías 37:36) Quando alguns anjos apareceram a humanos, eles sempre apareceram como homens plenamente vestidos, e não como mulheres ou crianças, e jamais em forma subumana.

De onde provieram tais poderosas criaturas espirituais? A Bíblia diz que “mediante ele [Jesus] foram criadas todas as outras coisas nos céus e na terra, as coisas visíveis e as coisas invisíveis”. (Colossenses 1:16) Deus, por meio de seu Filho primogênito, não só criou os anjos, muito antes do homem, mas também os fez como forma de vida mais elevada do que o homem. — Jó 38:4, 7; 2 Pedro 2:11.

Possuem Personalidade?

Os anjos, assim como os humanos, têm sentimentos. Depois de testemunharem a criação da terra, diz-se-nos que os anjos ‘juntos gritavam de júbilo’, até mesmo ‘bradando em aplauso’. (Jó 38:7) A Bíblia também revela que “surge alegria entre os anjos de Deus por causa de um pecador que se arrepende”. (Lucas 15:10) Por certo, nenhum “poder” impessoal poderia ter sentido a imensa alegria descrita nesses versículos.

Os anjos também tem limitações. Certos fatos sobre Cristo e o futuro foram revelados aos profetas humanos, mas não aos anjos. A Palavra de Deus nos diz que “nestas coisas é que os anjos estão desejosos de olhar de perto”. (1 Pedro 1:10-12) Quanto à data exata escolhida por Deus para a vinda do Senhor, Jesus disse: “Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente o Pai.” — Mateus 24:36.

Ademais, os nomes de dois anjos, Miguel e Gabriel, aparecem na Bíblia. (Daniel 12:1; Lucas 1:26) Não supre isto evidência adicional de sua individualidade? Como indivíduos, eles não foram programados, como um computador ou um robô, para agir de certo modo. Antes, os anjos são dotados do poder de raciocínio e têm a liberdade de formar decisões morais pessoais. Assim, sendo dotados de livre-arbítrio, certos anjos escolheram rebelar-se contra Deus e se tornar Satanás e seus demônios. — Gênesis 6:1-4; Judas 6; Apocalipse 12:7-9.

Devem Ser Adorados?

Embora possamos reconhecer a existência dos anjos como realidade, e não uma fábula, temos de evitar os extremos. Algumas organizações religiosas têm dado indevido destaque aos anjos, embora a adoração de anjos seja condenada na Bíblia. (Colossenses 2:18; Apocalipse 22:8, 9) A Igreja Católica transformou Miguel e Gabriel em objetos de devoção. E, nas igrejas ortodoxas orientais, os anjos são extremamente importantes na litania. Que contraste com o aviso dado pelo anjo de Deus, quando o apóstolo João caiu a seus pés: “Toma cuidado! Não faças isso! Sou apenas co-escravo teu.” Apocalipse 19:10.

Por que existe tanta confusão sobre os anjos? Satanás, que se mascara de “anjo de luz”, “tem cegado as mentes dos incrédulos”. (2 Coríntios 4:4; 11:14) Assim, não seria razoável esperar que muitos, hoje em dia, se apegariam a suas próprias opiniões sobre a existência e a natureza dos anjos, em vez de aceitar o que a Palavra de Deus tem a dizer? Sim, embora os clérigos, atualmente, talvez falem muito pouco sobre os anjos, temos a garantia de Deus, por meio do registro da Bíblia, de que eles realmente existem e realizam um honroso serviço, como mensageiros de Deus. — Hebreus 1:7, 14; 6:18.

Um comentário:

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos