quarta-feira, 23 de dezembro de 2009


GREGO, SIGNIFICADO, EU SOU, NOVO TESTAMENTO
EU SOU
Expressão Grega: ego eimi

Descartes disse: “Penso, logo existo.” Jesus disse: “eu sou.” Quem dos dois é maior? Claro, Jesus é o maior porque ele estava fazendo uma proclamação sobre o Seu Ser divino, enquanto Descartes estava falando sobre como ele tinha consciência de que existia. A expressão grega ego eimi significa “eu sou” e denota “auto-identidade na auto-suficiência”.

Quando Jesus declarou: “Antes que Abraão existisse, eu sou”, ele afirmou Sua preexistência eterna e Sua divindade absoluta (João 8:58). Abraão, tal como todos os mortais, surgiu em um momento no tempo. O Filho de Deus, ao contrário de todos os mortais, não teve um começo. Ele é eterno, e Ele é Deus. Isto é evidente no uso das palavras de Jesus, “eu sou” para Si mesmo. Esta declaração recorda a Septuaginta (o Antigo Testamento em grego) tradução de Êxodo 3:6, 14, em que Deus revelou sua identidade a Moisés como o “Eu sou quem Eu sou.” Assim, Jesus estava afirmando ser o sempre-existente e auto-existente Deus. Nenhuma outra figura religiosa em toda a história fez tais afirmações de divindade.

O Evangelho de João registra outro “eu sou” das declarações que Jesus fez. Estas afirmações começam com as palavras “eu sou” e, em seguida, continua a manifestar uma profunda reflexão teológica em termos de declarações metafóricas. As declarações “eu sou” encontradas no Evangelho de João são: o Pão da vida, ou o pão vivo (João 6:35, 48, 51), a luz do mundo (João 8:12, 9:5), a porta (João 10:7, 9), o Bom Pastor (João 10:11, 14), a ressurreição e a vida (João 11:25), o caminho, a verdade e a vida (João 14:6), e videira (João 15:1, 5).

Versículos chave
João 6:35; 8:58; 10:7, 14; 15:1; 18:5

Estas declarações do “Eu sou” são frequentemente associados com os milagres de Jesus. A declaração e o milagre contribuem para a compreensão do outro. Assim, quando Jesus proclama que Ele é a luz do mundo, Ele continua a trazer vista ao cego. Antes de Jesus levantar Lázaro dos mortos, Ele diz a Marta que Ele é a ressurreição e a vida. A ressurreição de Lázaro é a intenção de mostrar o poder de Jesus para dar vida agora e para demonstrar Seu poder de fazer o que Ele proclamou que era capaz de fazer. Depois de Jesus ter alimentado os cinco mil, ele declarou que era o pão vivo que desceu do céu. Cada um desses milagres é interpretado pela declaração “eu sou”. Somado tudo, as declarações “eu sou” no Evangelho de João nos ajudar a identificar Jesus como divino. Ele é o Deus sempre existente.

Fonte: Holman Treasury of Key Bible Words de Eugene E. Carpenter e Philip W. Comfort.

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Bookmark Us

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos