segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Posted by Eduardo G. Junior In | No comments
ASCENSÃO, JESUS CRISTO, ESTUDO BIBLICO, TEOLOGICO, NOVO TESTAMENTO
Evento, registrado mais plenamente em At 1:1-11, pela qual Cristo concluiu suas aparições pós-ressurreição, deixou a terra, e foi levado para o céu, onde não retornaria fisicamente até Sua segunda vinda. Os autores do Novo Testamento teologicamente distinguem o caso, ligando-o ao trabalho expiatório de Jesus na cruz, o ministério sacerdotal de Cristo exaltado, a reconquista da glória de Cristo com o Pai, o envio do Espírito Santo, o poder de apresentar Cristo como governante sobre todas as autoridades e domínios no céu e na terra, e o fato de que Jesus sobe para o benefício de Seu povo.

O Antigo Testamento. O Antigo Testamento contém várias histórias de, e referências a, “ascensão” que podem prefigurar a ascensão de Jesus. Enquanto o Antigo Testamento contém histórias de ascensão que ocorrem em sonhos ou visões (Gn 28:12), narrativas simples como a do anjo do Senhor que subiu na chama do altar, enquanto Manoá e sua esposa olhavam (Jud 13: 20), e particularmente de Elias subindo ao céu num redemoinho (2 Rs 2:11-12), embora não relacionadas diretamente no Novo Testamento com a ascensão de Jesus, são corretamente vistas como fundamental para a compreensão do Novo Testamento de que Jesus fisicamente desceu do céu e voltou para lá. A maioria das referências do Antigo Testamento para a ascensão ao céu enfatiza que é um ato divino feito somente pelo poder de Deus e não para ser pensado como possível pela simples humanidade (Dt 30:11-12; Pv 30:4; Isa 14:12 -15).

Novo Testamento. Há poucas referências para a ascensão no Novo Testamento, embora abundem referências à exaltação de Cristo. Em praticamente todas essas passagens, uma ascensão literal da terra ao céu parece supor, embora alguns estudiosos questionem se Paulo acreditava em ascensão por causa do seu movimento da ressurreição diretamente para a exaltação em passagens como Romanos 1:4; 8:34; e 1 Coríntios 15:12-28. Efésios 4:10 e 1 Timóteo 3:16 contradizem esta opinião, e pode-se dizer com segurança que, dadas as referências claras para a ascensão de Cristo nos outros documentos do Novo Testamento e no testemunho relativamente uniforme do Novo Testamento para uma ressurreição corporal de Cristo, que Paulo, de fato, todos os autores do Novo Testamento, concordam com Lucas, que depois de quarenta dias de aparições aos seus discípulos, Jesus experimentou uma ascensão, literal e física para o céu, ainda que em Seu corpo espiritual, como as primícias da ressurreição final, é prevista para todos nós, no final dos tempos (cf. 1 Cor. 15:20-28; 1 Tessalonicenses 4:13-18).

Referências claras para a ascensão são encontradas espalhadas por todo o Novo Testamento, de modo que não se pode afirmar que apenas Lucas acreditava no que aconteceu. As passagens mais importantes são, naturalmente, nos escritos de Lucas: 24:51 (textualmente em alguma disputa, mas geralmente aceitos) e At 1:1-11, relembra o evento na narrativa histórica, e assume At 2:31-35. As referências Joaninas (João 3:13, 6:62, 14:3-4, 16:5-7; 20:17), quando tomadas como um todo, ensinam claramente assim como em Hebreus 4:14; 6:20 e 1Pe 3:21-22. Seja qual for as conclusões teológicas que são feitas pelos autores do Novo Testamento sobre a ascensão, elas são feitas no contexto de uma crença em um evento histórico.

Fonte:Baker's Evangelical Dictionary of Biblical Theology. Editado por Walter A. Elwell.

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Compartilhe Este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise outros Estudos