2009/06/25

Comentário de João 19:18-20

19:18 - Quando eles o crucificaram,… A saber, em Golgotha, o mesmocomentario biblico, evangelho de joão, novo testamento que Calvário; e assim tiveram o que eles tanto queriam:

E dois outros vom ele, em cada lado, e Jesus no meio: Esses outros dois homens eram ladrões, como outros evangelistas declaram; entre quem Cristo foi colocado, sendo contado e considerado entre os transgressors: ele não era um transgressor da lei de Deus, mas ele foi considerado como tal por homens, e foi tratado como se ele tivesse sido um pela justice de Deus; Ele, como uma segurança, ficou no lugar legal, e no lugar de seu povo; portanto, ele morreu no lugar deles, e pelos seus pecados: isso mostra o estado humilde de Cristo, o rigor da justiça, a sabedoria de Deus na salvação, e a graça e amor do Redentor; que condescendeu em todas as coisas, e cada circunstância, embora tão repreensível, que era necessário para a redenção de seu povo, e a glória das perfeições divinas, e pelo cumprimento dos propósitos, promessas e predições.

19:19 - E Pilatos escreveu um título,... Lucas chama-a uma inscrição, Marcos, uma inscrição de acusação, e Mateus, a acusação em si, que continha a substância da acusação contra ele, e foi escrito sobre uma placa ou tabuleiro, e pregado na cruz, como sugere Nonnus; para isso é a alusão, Col. 2:14. A forma de que foi elaborada por Pilatos, o juiz, que ordenou a ser transcrita em um bom instrumento, e colocada sobre ele:

E colocá-lo na cruz;… Não com suas próprias mãos, mas por seus agentes, que fez ao seu comando, por outros são ditos fazê-lo, Mat. 27: 37. Ela foi colocada em “no topo da cruz”, como a versão Persa lê; “sobre ele”, ou “sobre sua cabeça”, como dizem os outros evangelistas, e pode identificar a origem de seu reino, que é a partir de cima, a visibilidade da mesma, bem como o alargamento da mesma, através da cruz:

E a escritura era;… As palavras escritas no título eram…

Jesus de Nazaré, o Rei dos Judeus: Jesus era o seu nome, pelo qual ele era comumente chamado e conhecido, e significa um Salvador, como ele é de todos os escolhidos de Deus, quem salva de todos os seus pecados, tendo por elas em seu próprio corpo na cruz, e de quem é a capacidade e vontade, a perfeita e completa, o único e eterno Salvador: ele é dito ser de Nazaré; este foi o lugar do qual ele era um habitante; aqui José e Maria viveram antes de sua concepção, aqui ele foi concebido, embora nascido em Belém; onde ele não ficou por muito tempo, mas constantemente neste local, até que ele tinha cerca de trinta anos de idade; este título foi-lhe dado às vezes como uma expressão de censura, embora nem sempre: “o rei dos judeus”, que tanto exprime a sua acusação, e afirma-lhe que seja assim.

19:20 - Portanto, muitos dos Judeus leram esse título,… Que estava em grandes letras, no lugar de execusão, regozijando-se em sua crucificação, e insultando-o como alguém pregado numa cruz:

Pois o lugar onde Jesus foi crucificado, era perto da cidade;… Gólgota, o lugar da crucificação de Cristo, não era mais de 402 metros, ou um quarto de milha a partir da cidade de Jerusalém: visto que multidões iam continuamente de lá para ver isso; a cidade também sendo então, muito cheia de pessoas, em razão da festa da Páscoa, para que possa ser adicionado, que as pessoas iam e vinham continuamente, como aparece de Mat. 27:39 e onde era usual se eregir cruzes para fazer exemplos públicos para os malfeitores, e para deter outros de cometer os mesmos crimes: assim Alexandre, o imperador, ordenou um eunuco ser crucificado, na qual seus servos costumava normalmente ir para o seus bairros (s) ou casas de campo: Cícero diz (t) que os Mamertines, de acordo com o próprio uso e costume deles, crucificava, atrás da cidade, no caminho de Pompeian; E Quinctilian observa (u), tanto quanto crucificamos criminosos, as forma mais notadas são escolhidas, onde muitos podem observar, e muitos podem ser movidos pelo temo: e agora Cristo sendo crucificado pela estrada pública, a inscrição sobre a cruz foi sem dúvida lido por mais de outra forma seria:

E foi escrito em hebraico e grego, e latim;... Para que ela pudesse ser lida por todos, Judeus, Gregos e Romanos, e para mostrar que ele é o salvador de algumas de todas as nações, e que ele é rei sobre todos. Estas palavras foram escritas em letras hebraicas no dialeto Siríaco, o qual foi utilizado pelos Judeus, e é chamado a língua hebraica, João 19:13 e em que é mais provável que Pilatos pudesse escrever estas palavras, ou ordenar que fossem escritas e que, segundo a versão Siríaca que temos agora, foram, assim, colocadas, ישוע נצריא מלכא דיהודיא; em grego as palavras era como no texto original, assim, Ιησους ο Ναζωραιος ο βασιλευς των Ιουδαιων: e na língua latina, como pode ser supostamente desta forma, “Jesus Nazarenus Rex Judaeorum”. Estas três línguas podem ser muito bem pensadas como sendo entendidas por Pilatos, pelo menos a ponto dele se qualificar para escrever uma inscrição tal como esta. A língua latina era a sua língua materna, que ele deve ser suposto como a entendendo bem, e a língua grega foi muito utilizada pelos romanos, devido a conquista deles da monarquia grega, e os editos dos imperadores foram publicados geralmente em grego, que para Pilatos era, portanto, necessário ter uma compreensão dela, e como ele foi um governador da Judéia, e tinha sido assim há algum tempo, ele deve ter adquirido algum conhecimento da língua hebraica, e sendo estes os principais idiomas do mundo, ele escolheu escrever este título em si mesmas, para que as pessoas provenientes de todos os lugares pudessem ser capazes de lê-la e compreendê-la em alguns um deles.


_____________
Notas

(s) Lipsius de Crucc, l. 3. c. 13. p. 158.
(t) Orat. 10. em Veriem. l. 5. p. 604. (u) Declamat. 275.

Nenhum comentário:

Postar um comentário