2009/06/13

Comentário de João 7:3

Quer dizer, os irmãos de Jesus, como as versões Siríaca e Persa expressam; que não era o Tiago e José, e Simão e Judas, os filhos de Alfeu, o irmão de José, o marido de Maria, Mat. 13:55, porque alguns destes eram do número dos doze; e todos eles crentes em Cristo; comentario do evangelho de João, comentario biblicoconsiderando que os irmãos dele não eram. O judeu[1] então está enganado, que supôs as anteriores pessoas são aqui mencionadas; e contesta este a incredulidade deles para com Jesus, como se eles o conhecessem muito bem para dar qualquer crédito; considerando que eles acreditaram nele, e se apegaram a ele até o fim; e alguns deles, se não todos, sofreram uma morte por ele. Eles serão entendidos então de algumas relações distantes de Maria ou José que morava em Nazaré, ou Cafarnaum, ou em algumas dessas partes; e a festividade dos tabernáculos que está próximo, eles o sugere a subir, estando dispostos a se livrarem deles: dizendo,

Passa daqui: Que é a linguagem do homem carnal, que não deseja a companhia de Cristo, nem o conhecimento de seus caminhos; como os Gergesenos, que foram rudes com ele, e desejaram que ele fosse embora da costa:

E entra na Judéia;… Entre seus mais veteranos inimigos, que buscavam tirar a sua vida; e que sem dúvida eles conheciam; que mostraram uma bem diferente opinião deles, do que a de seus discípulos, João 11:7, pela a qual eles deram algumas razões plausíveis:

Para que teus discípulos também possam ver as obras que fazes: Querendo dizer, não seus doze discípulos, que estavam agora com ele, mas os discípulos que ele tinha feito e batizador na Judéia, João 4:1. Ou seus discípulos em várias partes da terra, que estariam todos em Jerusalém, por causa da festa dos tabernáculos; e assim, devia ele ir.




___________
Notas
[1] R. Isaac Chizzuk Emuna, par. 2. c. 45. p. 434, 435.

Nenhum comentário:

Postar um comentário