2009/06/13

Comentário de João 7:38

Aquele que acredita em mim,… Que explica o que significa vir a Cristo e beber; pois esses atos não são outros a não ser o homem sair de si mesmo e vir a Cristo, e viver por fé e graça. Para a qual segue se de grande encorajamento.comentario do evangelho de João, comentario biblico

Como as Escrituras têm dito: Alguns referem essas palavras a cláusula concernente acreditar em Cristo, que os escritos do Antigo Testamento falam, como em Deut. 18:15, e o sentido é que aqueles que acreditam em Cristo, o objeto da fé que as Escrituras apontam, como que se dirige e se requer; que acreditam nele como o Deus Todo-Poderoso, e como o profeta, sacerdote, e Rei, e como a única fundação da igreja, e vive pela fé sobre ele, assim como fazem os homens.

Do seu ventre manarão um rio de águas vivas;... Embora, antes, eles pertençam ao que segue; e não projeta qualquer lugar particular das Escrituras; para a tal será achado, onde a passagem seguinte é expressa nestas palavras; mas em todos esses a Bíblia fala de graça, debaixo das metáforas de água, e abundância de água, como rios e inundações de água, e da efusão do Espírito Santo, debaixo de tais expressões figurativas, como Isa. 41:17. Consequentemente a versão Siríaca lê no plural, "como as Escrituras têm dito"; recorrendo a mais que uma: "de seu ventre fluirão rios de água viva"; a graça do Espírito de Deus é significado através da água, porque é de uma limpeza e natureza purificadora, como fé e esperança são, enquanto tendo que ver com o sangue de Cristo que limpa de todo pecado; e porque frutifica os santos, como árvores de retidão, crescem, e produz frutos; e especialmente porque está esfriando a esses que são chamuscados com o calor de uma lei rígida, e refrescando a almas sedentas: e é chamado água "viva", porque por isto são vivificados os pecadores mortos, enquanto se inclinando os santos são reavivados, e confortados; vida espiritual neles é mantida e é sustentada, e tem a sua origem, em vida eterna: e é expresso por "rios" de água viva, por causa da abundância dela em regeneração, justificação, e perdão; é graça por graça,[1] os crentes recebem abundância de graça por meio de Cristo; e dele, em quem estão essas medidas grandes de graça, eles "fluem" novamente, até mesmo "do ventre" dele: de dentro dele, do coração dele, a sede de suas motivações e desejos, pelos seus lábios, tanto em oração para com Deus, e a quem ele comunica as suas ricas experiências de graça, para o conforto deles, em conduta com os santos, e a glória de Deus: pois a graça é de uma natureza comunicativa; da abundância do coração que a boca fala:[2] e também flui pela vida dele e na sua conduta que são sóbrias, íntegras, e religiosas; e este a graça de Deus ensina e influência: e esta graça, como é permanente e duradora, até mesmo perpétua, e sempre sustentadora; assim continua fluindo, e mostrar para si mesmo em seus atos e efeitos, em de uma maneira ou de outra. Os judeus não devem achar falta com Cristo que está usando tais expressões, entendo-as misticamente, visto que eles, enquanto comparando com Moisés e o Messias juntos, dizem:

“Como primeiro Redentor fez uma fonte forrar, assim o ultimo Redentor faria água jorrar, de acordo com Joel 3:18.”[3]



____________
Notas
[1] Cf. João 1:16. N do T.
[2] Cf. Mateus 12:34. N do T.
[3] Midrash Kohelet, fol. 63. 2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário