2009/06/16

Comentário de João 9:28

Então o injuriaram,… O chamando de uma pessoa impertinente, insolente, descarado, por falar desta maneira atrevida com eles, o grande Sinédrio da naçãcomentario do evangelho de João, comentario biblicoo; ou, como a versão da Vulgata Latina lê, “eles o amaldiçoaram”; eles lançaram, suas anátemas contra ele, e o pronunciaram um execrável e uma pessoa amaldiçoada.

E disseram: tu és seu discípulo;… Pois eles consideravam uma coisa repreensiva e escandalosa serem chamados um discípulo de Jesus de Nazaré; embora não houvesse nada mais honroso do que ser um seguidor dele, e seguir o Cordeiro onde que ele vá:
[1] portanto estes judeus se livraram do que eles consideravam um termo de repreensão para o homem cego; e talvez eles poderiam dizer isto para o enlaçar, enquanto esperando que ele admitisse ser um discípulo de Jesus, e poderia o professar como sendo de Cristo, para que eles pudessem, de acordo com o próprio ato deles, o excomungar. As versões da Vulgata Latina, Persa, e Etíope leem, "seja tu o discípulo dele”; se tu desejas, nós menosprezamos o caráter dele; longe é de nós que deveríamos ser os seguidores dele:

Mas nós somos discípulos de Moisés. Assim eles preferiam Moisés a Cristo, e escolheram ser discípulos de Moisés, o servo, do que de Cristo, o Filho; embora eles não fossem, de fato, discípulos de Moisés; pois se eles fossem, eles teriam sido discípulos de Cristo, e acreditado nele, visto que Moisés escreveu a seu respeito
[2] e testemunhou sobre ele: eles se consideravam discípulos de Moisés, ou de sua lei, visto que eles buscavam retidão e justificação por meio da obediência da lei. Essa era uma frase entre os Judeus: assim os Targumista (i) em Num. 3:2 dizem:

“Esses são os nomes dos filhos de Arão, os sacerdotes, תלמידיא דמשה, “os discípulos de Moisés”, o mestre dos Israelitas.”

Particularmente os Fariseus, como aqui, ostentavam esse título a si mesmos: pois é dito (k):

“Todos os sete dias (antes do dia da expiação) eles o entregam (o sumo sacerdote) dois dos discípulos dos homens sábios, para instruí-lo no service (daquele dia), que eram, מתלמידיו של משה, “dos discípulos de Moisés”, em oposição aos Saduceus:”

Portanto, fica evidente que esses discípulos de Moisés eram da seita dos Fariseus, que assumiam esse caráter como peculiarmente seu; às vezes, eles se chamam discípulos de Abrão, embora a descrição que eles deram de tais, de forma alguma, pertença a tais; Veja notas de Gill em João 8:39. Eles dizem (l):

“Quem quer que tenha essas três coisas nele, é מתלמידיו של אברהם, “dos discípulos de Abraão” nosso Pai, e quem tem três outras coisas é dos discípulos de Balaão, o iníquo: aquele que tem um bom olho, (beneficente, ou tranquilo, ou contente) de espírito humilde de alma, ele é uma dos “discípulos de Abraão” nosso pai; mas aquele que tem um olho iníquo, e um espírito orgulhoso, e uma alma larga (cobiçosa), ele é um dos discípulos de Balaão.”

Essa última característica se enquadra bem com essas pessoas, que acreditavam serem discípulas de Abraão e de Moisés.






__________
Notas
(i) Jonathan ben Uzziel in ib.
(k) T. Bab. Yoma, fol. 4. 1.
(l) Pirke Abot, c. 5. sect. 19.
[1] Cf. Ap. 14:4. N do T.
[2] Cf. João 5:46. N do T.

Nenhum comentário:

Postar um comentário