2009/06/16

Comentário de João 9:35

9:35 - Jesus ouviu que eles o tinham expulsado,… Esse sendo, talvez, o primeiro exemplo de colocar em ação o ato de que eles tinham feito, João 9:22, e foi um cumprcomentario do evangelho de João, comentario biblicoimento desse ato; que apenas ameaçava com essa expulsão, no caso de alguém que confessasse que Jesus era o Messias; que esse homem ainda não tinha feito, apenas tinha dito que ele era um profeta, e alguém enviado de Deus; e isso fez muito barulho na cidade, e o relato se espalhou rapidamente; e muitos falavam disso, e assim Jesus, como homem, veio a ouvir isso; embora ele, como Deus, sabia no exato instante que foi feito, e não precisavam que alguém lhe falasse nada:

E quando ele tinha o encontrado: Não por acaso, de uma maneira inesperada, mas ele o procurava, e sabia onde ele estava, foi para o lugar, e encontrou neste triste estado, abandonado por todos os homens: este é um emblema de Cristo na sua procura dos escolhidos, tanto no resgate e na chamada efetiva, que são como ovelhas extraviadas, e nunca chegam a Cristo por si mesmas, até que ele venha em primeiro lugar, procure, e os tome para si: ele envia seus ministros e seu Evangelho atrás deles, para onde eles estão, e seu Espírito em seus corações; porém, ele vem sozinho, e entra lá, e neles habita pela fé: ele sabe onde estão, como fez com o publicano Mateus, Zaqueu, e a mulher de Samaria, e embora estejam nas extremidades da terra, e ele olha-os e vai ao encontro deles, e ele encontra-os num estado deplorável, em um deserto, em um enorme deserto, sem esperança e desamparados, os pobres e miseráveis, e cego e nu,
[1] em um buraco onde não há água, na lama e na argila do pecado; na pata de Satanás, e sob o poder das trevas.

Ele disse-lhe: crês tu no Filho de Deus? A versão Persa soma, "que tem te curado”: isto pressupõe a existência de um Filho de Deus, ou uma pessoa conhecida por divina com os judeus sob este personagem, e que o Messias esperado seria exibido como tal e que, como tal, ele seria o objeto de fé, e, portanto, como tal, deveria ser Deus, uma vez que uma criatura, embora nunca tão digna, ou com qualquer ofício investido, não é o objeto de fé, confiança e crença, com respeito à vida eterna e felicidade: e isso pode ser observado, que quando Cristo encontra qualquer um de seu povo, ele leva-os a acreditar nele como o Filho de Deus, para a justiça e para a vida: ele é o autor da fé em si mesma, bem como o objeto dela, e sem dúvida poder saiu juntamente com estas palavras, a criação da fé neste homem: esta foi uma adequada e pertinente pergunta feita a ele em seu presente caso, e sugere que, se ele acreditava no Filho de Deus, não importava em que situação ele estava entre os homens: desde então ele seria um Filho de Deus através da adoção de graça, e, portanto, um herdeiro de Deus, e um co-herdeiro com Cristo, que iria receber a remissão de seus pecados, abertamente justificado no tribunal da consciência, bem como diante de Deus, e seria guardado eternamente: e esta questão é colocada por Cristo, não como se ele fosse ignorante, se ele acreditava nele ou não, pois ele sabia desde o início, quem iria, e quem não iria acreditar nele: ele sabia se Pedro o amava ou não,
[2] sabia que se este homem acreditava nele ou não, mas isso ele disse para evidenciar o princípio da fé, que foi operado nele, e agiu em exercício, e para orientá-lo para o seu bom objeto. E teve este efeito, como parece pelo que se segue.


__________
Notas

[1] Cf. Apocalipse 3:17. N do T.
[2] Cf. João 21:15-19. N do T.

Nenhum comentário:

Postar um comentário