2009/08/07

Comentário de John Gill: João 1:39-41

comentário do evangelho de joão 1:39 - Ele disse a eles, vem e vê,... Ele lhes fez um convite, para ir com ele diretamente, e ver com seus próprios olhos onde ele habitava, e lá, então, conversar com ele, e em qualquer outro tempo; para a qual eles tiveram uma acolhida calorosa:

Eles vieram e viram onde ele habitava;... Eles aceitaram o convite, e foram com ele imediatamente, e viram, e tomaram nota do lugar onde ele repousava, para que eles pudessem saber isso, e achassem um outro tempo; o Dr. Lightfoot conjectura que fosse em Cafarnaum, o que é muito provável; visto que essa era sua própria cidade, onde ele pagava tributo, na costa do Jordão, perto do Lago de Genesaré; e esses discípulos eram Galileus:

E ficaram com ele esse dia;... Permaneceram essa parte do dia, que eles passaram com uma conversa agradável com ele; pela qual eles souberam que ele era o Messias; para que pelo menos ele fosse melhor instruídos dessa maneira, e mais confirmado nisso. A versão Árabe verte assim: “eles permaneceram com ele aquele dia”; e Dr. Lightfoot acha que o próximo dia é a referência aqui, e que era o sábado deles, em que eles ficaram com ele em devoção privada e conferência:

Era por volta da décima hora;... Que, de acordo com a forma Romana de contar, deve ser dez horas da manhã; de forma que havia uma parte considerável do dia diante deles; mas de acordo com a forma Judaica de contar, que contavam doze horas para um dia, e deviam assim ser 4 horas da tarde, mas havia apenas duas horas para a noite: e esse sendo mais ou menos o tempo onde o cordeiro do sacrifício diário da noite era oferecido, e muito apropriadamente João coloca isso, nesse tempo, Cristo o Cordeiro de Deus, o antitípico daquele sacrifício; porque o sacrifício diário era feito de oito e meia e era oferecido às nove e meia,[1] ou entre a nona e décima hora do dia. A versão Etíope verte assim: “eles permaneceram com ele aquele dia até a décima hora”.

1:40 - Um dos dois que ouviram João falou,... As coisas acima, concernentes Jesus, sendo o Cordeiro de Deus:

E o seguiram;... Ou seja, Jesus, como as versões Siríaca e Árabe lêem: e a versão Persa, Cristo: e a versão Etíope, “o Senhor Jesus”; porque eles seguiram a Jesus, e não a João:

Era André, o irmão de Simão Pedro: Veja Mat 4:18 o outro, como antes observado, pode ser o escritor desse Evangelho.

1:41 - Ele primeiro achou seu próprio irmão,... Ou, antes do outro discípulo, ou antes que ele achasse qualquer outra pessoa: depois que ele e o outro discípulo partiram de Cristo, enquanto sendo afetados com a graça que tinham nele, e o coração dele morno com a conversação ele tinha tido, e transbordando com alegria em achar o Messias, entra com toda a pressa à procura dos seus parentes, amigos, e conhecidos, para comunicar o que ele tinha visto e tinha ouvido, para os trazer ao conhecimento do mesmo; para a tal é a natureza da graça, que é muito comunicativa, e esses que a têm, são muito cobiçosos de que todos os outros fossem parceiros dela: e a primeira pessoa nele iluminado era Simão, que foi chamado Pedro, que era o irmão dele; não um cunhado, mas o seu próprio irmão, pelo pai ou pela mãe, e tão querido por ele pelos laços da natureza e sangue:

E disse a ele;... Com toda a honestidade, e alegria:

Nós achamos o Messias;... Eu, e um discípulo companheiro temos achado o Messias, que por tanto tempo foi predito pelos profetas, e tanto esperado pelos nossos Pais, mostrado a nós; e nós o seguimos e tivemos uma conversa com ele, e estão bem seguros de que ele é uma pessoa ilustre:

Que é, sendo interpretado, o Cristo;... O qual, como em João 1:38, são as palavras do evangelista, e não a de André, e é omitido então na versão Siríaca; a palavra Messias, que precisa de nenhuma interpretação naquele idioma, e que era o idioma no qual o André falou. Este nome, Messias, era bem conhecido entre os Judeus, porque esse foi prometido, e eles esperavam como um Salvador e Redentor; embora esse termo não seja muito frequentemente mencionado nos livros do Antigo Testamento, principalmente nos lugares seguintes, Sal 2:2; mas é muito usado nas paráfrases dos Caldeus: Elias o Levita[2] diz que ele achou isto em mais de cinquenta versículos; e Buxtorf[3] acrescentou outros a eles, e a palavra aparece em “setenta e um” lugares em que ele toma nota, e é merecedor de consideração; porque eles mostram o sentido da sinagoga antiga, relativo às passagens do Antigo Testamento, com respeito ao Messias: esta palavra hebréia é interpretada pela palavra grega, “Cristo”; e ambas significam “ungido”, e é bem aceita com a pessoa a quem elas pertencem, para o qual há uma alusão à Cântico de Salomão 1:3 “teu nome é como o olho que se derrama”: ele é chamado assim, porque ele foi ungido de eternidade, para ser o profeta, sacerdote, e rei; veja Sal 2:6 Pro 8:22, e ele foi ungido como homem, com o óleo de alegria, com as graças do Espírito, sem medida, Sal 45:7. E é dele que os santos recebem a unção, ou a graça em medida; e é dele que são chamados os cristãos, e que realmente são ungidos; veja 1Jo 2:27, consequentemente é um nome precioso para os santos, e salvação para eles. Estas palavras foram entregues por André, em uma mesma tensão exultante, expressando grande alegria; como realmente o que pode ser maior da alegria a uma alma sensata, do que achar o Cristo? O qual em um sentido espiritual, é ter uma visão clara dele por fé, ir até ele, como o único Salvador e Redentor: que será achado nas Escrituras Sagradas da verdade, que dá testemunho dele; nas promessas da graça que está cheia dele e no Evangelho do qual ele é a soma e substância; e nas ordenações dela, onde ele se mostra para ele; porque ele não será achado pela luz da natureza, ou através de razão carnal, nem pela lei de Moisés, mas por meio do Evangelho, e o Espírito de Deus que assiste a compreensão, como um espírito de sabedoria e revelação, no conhecimento dele: e feliz são essas almas que acham o Cristo debaixo da sua direção; porque eles acham vida, espiritual e eterna nele; uma retidão justificada; perdão livre e pleno dos seus pecados; comida espiritual para as suas almas; e paz, conforto, alegria, e glória eterna: portanto, isto deve ser uma questão de alegria para com eles, visto que tal achado é uma riqueza, uma pérola de grande valor, um bem durável e riquezas; e o qual o homem que achou, não se separaria de todo o mundo; mas reparte tudo que ele tem para ter isso; e é o que nunca pode ser perdido novamente; e, particularmente para tais pessoas, o achado de Cristo dá um prazer peculiar, e uma alegria inexprimível; porque como está debaixo de um sentido de pecado e condenação, e para a tal esteve debaixo de deserção. A frase de “achar” uma pessoa, duas vezes usada neste texto, e daqui por diante em alguns versículos seguintes, e é frequente encontrado nos escritos Talmúdicos e escritos de Rabínicos:

“E ele veio, אשכחיה לרב, “e achou ele com o Rabbi”[4]


_______________
Notas
[1] Misn. Pesachim, c. 5. sec. 1.
[2] Prefat ad Methurgemen, & em voce משח.
[3] Léxico Talmud p. 1268.
[4] T. Bab. Sabbat, fol. 108. 1. Zohar em Lev. fol. 15. 3.

Nenhum comentário:

Postar um comentário