2009/08/10

Comentário de John Gill: João 2:20

comentário do evangelho de joão 2:20 - Então disseram os Judeus,... Para ele, como lê as versões Siríaca, Árabe, Persa e Etíope:

Quarenta e seis anos levaram para esse templo ser construído;… Que não pode ser entendido do templo construído por Salomão, porque este levou sete anos para ser construído, 1 Reis 6:37-38. Mas, antes, do templo construído por Zorobabel, normalmente chamado de segundo templo e pode ser mais apropriadamente dito como “esse templo”; os cálculos feitos por homens eruditos são vários e sem fim para se citar. As sete semanas de Daniel, ou quarenta e nove dias, que são tantos anos, não podem ter nada haver com esse relato; visto que eles não dizem respeito à construção do templo; embora do segundo ano de Ciro, no qual o templo começou a ser construído, o trigésimo segundo de Dario, eram quarenta e seis anos; Ciro reinou três anos, Artaxexes Asuero quarenta anos, e Artaxexes Dario trinta e dois; mas o relato deles é mais provavelmente que começa no primeiro ano de Artaxexes Longimano, que reinou quarenta anos, e terminou no sexto ano de Dario, seu sucessor, em cujo ano o templo foi terminado, Esdras 6:15. Mas para mim, parece antes, que o templo de Herodes, ou o templo como reconstruído, ou reparado por Herodes, é aqui mencionado; que os Judeus chamavam de, בניין הורודוס, “a construção de Herodes”;[1] e diz disso, que...

“Aquele que não tem visto o templo de Herodes, nunca viu um templo bonito.”

E este, de acordo com Josefo,[2] foi começado no “décimo oitavo” ano do seu reinado, no “trigésimo quinto”, do qual Cristo nasceu, que tinha agora “trinta” anos de idade: de forma que ou considerar o décimo oitavo ano de Herodes, ou o trigésimo de Cristo, o ano presente exclusivamente, apenas quarenta seis anos tinham corrido desde então, desde a reconstrução ou as reparações dele; e ainda não foram terminadas; durante alguns anos depois disso, observado do escritor anterior,[3] o templo tinha sido acabado, até mesmo nos tempos de Nero e Agripa: e concordemente com isso, as palavras podem ser vertidas, “quarenta seis anos têm este templo estado em construção;” e que ainda acrescenta mais força ao raciocínio seguinte dos Judeus

E tu construirás em três dias?... A coisa é impossível e impraticável; é loucura de último grau dizer isso: assim do comprimento de tempo que tinha ocorrido de Herodes ter começado a consertar e embelezar o templo primeiro, até agora, e ainda não terminou, eles discutem o absurdo de fingir levantar tal templo, devesse ser demolido, em três dias; eles o entendendo ignorantemente, ao falar do templo material, quando o sentido dele era outro, como parece das palavras do evangelista, no próximo versículo. Os Judeus[4] objetam esse relato do templo que demorou quarenta e seis anos para ser construído; eles observam que “de acordo com o sentido dos Nazarenos, este era o edifício do rei Herodes que era do tempo de Jesus; e o tempo inteiro do reinado dele sendo de trinta e sete anos, como é manifesto do livro de José ben Gorion, c. 65. Além disso, aquele que Herodes construiu, foi construído em oito anos, como é evidente do mesmo autor, c. 55, portanto, o número de quarenta e seis anos, nas palavras do escritor, (o evangelista,) é, um erro palpável.” Para o qual pode ser respondido, que admitidamente há um erro neste número, mas não é o erro do evangelista, mas dos Judeus cujas palavras o evangelista apenas relata; e supondo isto ser um engano seu, ou fazendo assim ignorantemente, para agravar o absurdo e impossibilidade de Cristo reconstruir o templo; e que até mesmo o evangelista sabia ser isso um engano; ainda ele age de forma mais fiel e correta, em repetir as palavras dos Judeus, como eles as entregaram; e está sobre os Judeus provar que estas palavras não foram ditas por eles, ou que não é acreditável que eles devessem: que este era o edifício de Herodes ao qual recorre aqui; e que ele reinou trinta e sete anos, que será concedido; mas esta não é nenhuma objeção a seu ser quarenta seis anos construindo, visto que este relato não diz que era quarenta e seis anos sendo construído por Herodes; o sentido é apenas que tais vários anos tinham se passado, visto que primeiro começou a ser construído por ele: como José ben Gorion diz, como de ser construído por ele no espaço de oito anos, disto não será dependido, visto que ele não é o verdadeiro Josefo que escreveu a história dos Judeus e será corrigido pelo historiador genuíno; e do que antes foi observado, do tempo que, de acordo com o verdadeiro Josefo, foi começado este edifício, pois este ano presente de Cristo, quando este discurso foi tido, era de quarenta e seis anos; e admitindo que o principal edifício tinha sido acabado em oito anos cronometricamente, contudo, foram feitas adições continuamente a ele, de forma que não estava completamente acabado, até muitos anos depois disso.


___________
Notas

[1] T. Bab. Bava Bathra, fol. 4. 1.
[2] Antiqu. Jud. l. 15. c. 14.
[3] Antiqu. Jud. l. 20. c. 8.
[4] R. Isaac Chizzuk Emuna, par. 2. c. 43. p. 434.

Nenhum comentário:

Postar um comentário