2009/12/23

A Ciência e a Interpretação Bíblica

CIÊNCIA, INTERPRETAÇÃO BÍBLICA, ESTUDO BÍBLICO, GALILEU
Galileu cria que a Bíblia dizia a verdade. Quando as suas descobertas científicas contradiziam a interpretação corrente de certos versículos bíblicos, ele concluía que os teólogos não entendiam o sentido correto desses versículos. Afinal, “duas verdades jamais podem contradizer uma à outra”, escreveu. Ele opinava que os enunciados corretos da ciência não contradiziam as palavras coloquiais da Bíblia. Mas os teólogos não se convenciam disso.

Insistiam que todas as declarações bíblicas a respeito da Terra deviam ser tomadas literalmente. Assim, não só rejeitaram as descobertas de Galileu como também não captaram o sentido correto dessas expressões bíblicas.

Realmente, segundo a própria lógica, quando a Bíblia fala de “quatro cantos da terra”, isso não significa que os escritores bíblicos cressem que a Terra fosse literalmente quadrada. (Apocalipse 7:1) A Bíblia foi escrita na linguagem do povo, muitas vezes usando vívidas expressões figuradas. Assim, quando a Bíblia fala da Terra como tendo “quatro cantos”, um “alicerce” duradouro, “pedestais” ou uma “pedra angular”, ela não está fornecendo uma descrição científica da Terra; obviamente, está falando por metáforas, prática comum na nossa linguagem diária. — Isaías 51:13; Jó 38:6.

Em seu livro Galileo Galilei, o biógrafo L. Geymonat observou: “Teólogos de mente estreita, que desejavam coibir a ciência à base de raciocínios bíblicos, apenas lançavam descrédito sobre a própria Bíblia.” E foi o que fizeram. Realmente, foi a interpretação da Bíblia pelos teólogos — não a própria Bíblia — que impôs restrições desarrazoadas à ciência.

Similarmente, os religiosos fundamentalistas atuais deturpam a Bíblia ao insistirem que a Terra foi criada em seis dias de 24 horas. (Gênesis 1:3-31) Tal conceito não condiz com a ciência nem com a Bíblia. Na Bíblia, como na linguagem coloquial, a palavra “dia” é um termo flexível que expressa unidades de tempo de duração variada. Em Gênesis 2:4, todos os seis dias criativos são mencionados como um “dia” global. A palavra hebraica traduzida por “dia”, na Bíblia, pode significar simplesmente “um longo tempo”.

Portanto, não há razão bíblica para insistir que os dias da criação tenham sido de 24 horas cada um. Por ensinarem diferente, os fundamentalistas distorcem a Bíblia. — Veja também 2 Pedro 3:8.

Por toda a História, teólogos muitas vezes distorceram a Bíblia, e isso muitas vezes levou as pessoas a perder o respeito por Ela.

Um comentário:

Thiago disse...

Se o dia não era de 24 horas, porque até Jesus Cristo guardava o sétimo dia? Assim, Ele deveria guardar um grande tempo, e não um dia de 24 horas. Eu creio que o Deus que criou o mundo, pode criar tudo em 6 dias de 24 horas e descansar no sétimo dia.

Postar um comentário