2011/02/16

Racionalismo — Teologia do Novo Testamento

Racionalismo — Teologia do Novo Testamento
(Enciclopédia Bíblica Online)
TEOLOGIA, NACIONALISMO, HISTÓRICA

A teologia bíblica como disciplina é um produto do impacto do Iluminismo sobre os estudos bíblicos. No século dezoito surgiu uma nova perspectiva do estudo da Bíblia, a qual libertou-se gradativamente de todo controle eclesiástico e teológico e procurou interpretá-la com “completa objetividade”, encarando-a simplesmente como um produto da história. Este movimento foi produzido por várias influências interrelacionadas. O surgimento do racionalismo, uma reação ao supernaturalismo, o desenvolvimento do método histórico, o surgimento da crítica literária, foram fatores que resultaram em uma nova concepção acerca dos registros bíblicos, que deixaram de ser vistos como a Palavra de Deus, dada por inspiração do Espírito, mas como registros históricos humanos, como qualquer outra literatura antiga.

Essas influências levaram à conclusão de que os estudiosos não deveriam procurar uma teologia na Bíblia, mas apenas a história da religião. Dessa maneira, a Bíblia foi considerada como uma compilação de escritos religiosos da antiguidade que preservam a história de um povo semítico antigo, e devia ser estudada com as mesmas pressuposições utilizadas nos estudos de outras religiões semíticas. Esta conclusão foi articulada de modo claro pela primeira vez por J. P. Gabler, que, durante uma aula inaugural em 1787, fez uma nítida separação entre a teologia bíblica e a dogmática. A primeira deve ser estritamente histórica e independente da teologia dogmática, procurando traçar o surgimento das idéias religiosas em Israel e identificando o que os escritores bíblicos pensaram a respeito de assuntos de natureza religiosa. A teologia dogmática, por outro lado, faz uso da teologia bíblica, extraindo dela aquilo que tem relevância universal por intermédio da utilização de conceitos filosóficos. A teologia dogmática é aquilo que um teólogo particular decide sobre assuntos divinos, considerados racional e filosoficamente de acordo com a perspectiva e exigências de sua própria época, mas a teologia bíblica preocupa-se somente com aquilo que os homens criam há tempos atrás.

Cf. Por que Deus não Responde Algumas Orações?
Cf. OBEDIÊNCIA — Significado em Grego e Hebraico
Cf. Resumo do Livro de Isaías
Cf. Atos dos Apóstolos

Gabler foi essencialmente um racionalista, e sua abordagem metodológica para o estudo da teologia bíblica prevaleceu por aproximadamente cinqüenta anos. Várias obras sobre a teologia da Bíblia foram escritas por Kaiser (1813), De Wette (1813), Baumgarten-Crusius (1828), e von Cõlln (1836). Alguns estudiosos desse período foram extremamente racionalistas, descobrindo na Bíblia idéias religiosas que estavam em consonância com as leis universais da razão. Outros procuraram conciliar a teologia cristã com as formas de pensamento do período moderno. Embora um racionalismo como este possa ser considerado ultrapassado, é óbvio que essa perspectiva básica em relação ao estudo da Bíblia ainda é utilizada por parte dos estudiosos modernos; e até mesmo o estudioso evangélico emprega o método histórico, muito embora com limitações.


FONTE: Teologia do Novo Testamento - Ladd, George Eldon.

Nenhum comentário:

Postar um comentário