Significado de Isaías 16

Significado do Livro de Isaías

Isaías 16

16.1 — O cordeiro é uma designação coletiva para as centenas de pessoas reunidas desde Sela, no deserto, e mandadas ao dominador de Judá (Nm 32.4; 2 Rs 3.4).

16.2 — O pássaro vagueante traduz a situação desesperadora das filhas de Moabe, as mulheres da nação.

16.3 — Toma conselho também pode ser traduzido por fazei planos. Moabe encontrará salvação à sombra de Sião (Is 2.2-4).

16.4,5 — A salvação de Moabe encontra-se, em última análise, no Predestinado, Jesus, o Messias, cujo trono se firmará (Is 9.1-7; 22.1-5; Am 9.11,12; At 15.16,17).

16.6 — A soberba é alvo constante do juízo do Senhor (Is 2.5-22; 13.11).

16.7 — Quir-Haresete é outro nome para Quir (Is 15.1).

16.8 — Vinha é uma metáfora para Moabe (compare com a descrição de Israel como vinha em Is 5.1-7). O mar aqui pode ser o mar Morto, porque é a massa de água situada mais perto de Moabe.

16.9 — Hesbom e Eleale estavam entre os assentamentos mais importantes na antiga Moabe (Is 15.4).

16.10 — Compare a falta de alegria nesse versículo com o júbilo e o êxtase de Isaías 9.3.

16.11 — Quir-Heres é outra ortografia possível para Quir-Haresete (v. 7) ou Quir (Is 15.1). O profeta Isaías exprime sua determinação de, um dia, alegrar-se com Moabe. Trata-se de uma promessa de restauração.

16.12 — Altos [...] santuário. Enquanto o povo reverenciar os falsos deuses, estará condenado à dor, ao juízo e aos problemas daí recorrentes (Is 15.2).

16.13,14 — Uma antiga profecia contra Moabe (Is 15.1) será cumprida em três anos, talvez uma referência ao sufocamento de uma revolta contra Sargão, em 715 a.C. Contudo, haverá um resíduo do povo de Moabe (Is 15.9), que alimenta a esperança de ser salvo, muito mais que a Babilônia ou a Filístia.