Significado de Isaías 30

Significado de Isaías 30

Significado de Isaías 30


Isaías 30

30.1-33 — No capítulo anterior, Isaías denuncia os que procuram a ajuda de homens, em vez de se colocarem na dependência do Senhor. Nos capítulos 30 e 31, Isaías trata da tolice de depender do Egito. Esse ai consiste de uma condenação aos que depositam sua confiança no Egito (v. 1-17) e da promessa de que o Senhor salvará Israel e destruirá a Assíria (v. 18-33).

30.1-17 — O ai aos rebeldes de Judá, que teimavam em confiar no Egito, em vez de depender do Senhor, consiste de uma reprimenda por depositar a confiança no lugar errado (v. 1-7) e de uma sentença judicial por desprezar o aviso de Deus (v. 8-17).

30.1-7 — A reprimenda consiste da acusação de que eles repudiaram a fé em Deus para confiar no Egito (v. 1,2) e de uma previsão de que o Egito os abandonará (v. 3-7).

30.1 — Trata-se do quarto ai, em 28.1-35.10. Os filhos rebeldes são os conselheiros de Ezequias. A injustiça que praticam eles acrescentaram o pecado de fazer planos sem consultar a Deus. Meu Espírito é outra forma de se referir a Deus (Is 11.2).

30.2 — A sombra do Egito. O contraste, é claro, seria confiar na sombra do Onipotente (SI 91.1).

30.3 — Vergonha significa uma profunda humilhação.

30.4 — Seus embaixadores podem ser as pessoas de Judá que foram de Zoã (Is 19.11-13), no Delta, a Hanes, a cerca de 80 km ao sul do Cairo.

30.5 — Vergonha e opróbrio referem-se a uma humilhação intolerável.

30.6 — O peso dos animais deve-se ao fato de eles terem transportado inutilmente, pelo deserto, presentes de Judá para o Egito (v. 7-11).

30.7 — A palavra original para Egito, Raabe, significa literalmente tempestade ou arrogante. Raabe era um dragão da mitologia pagã que se imaginava ter resistido à criação. Tanto Raabe quanto o Leviatã simbolizam as forças do mal no Universo, as quais Deus destruirá (Is 51.9).

30.8-18 — A frase consiste de duas partes: (1) reprimenda pela rejeição à mensagem de Deus (v. 8-11,15); (2) relação dos castigos a serem aplicados (12-14,16,17).

30.8 — As placas de texto mais antigas já descobertas até hoje datam de cerca de 1350 a.C. Foram encontradas em 1986 d.C. num navio naufragado na costa sudeste da Turquia. Até essa descoberta, as placas mais antigas que se conhecia tinham sido encontradas em um poço de Ninrode, perto de Nínive, e datavam de cerca de 700 a.C. A superfície de escritura original era uma camada de cera.

30.9 — A lei é a orientação dada pelo profeta, que provém diretamente do Senhor (v. 15).

30.10 — Não vejais. Veja uma ocorrência semelhante do termo em Miqueias 2.6.

30.11 — Deixe de estar. Das palavras maldosas do povo, essa era a mais flagrante.

30.12 — Não se decidir a obedecer ao Senhor é o mesmo que rejeitá-lo. Equivale também a rejeitar Sua palavra. Confiais na opressão. Veja uma ideia semelhante em Isaías 1.15-17; 29.20,21.

30.13,14 — Parede [...] que já forma barriga e como se quebra o vaso do oleiro significam que o juízo sobrevirá absoluta e subitamente. Pedaços são os cacos do vaso quebrado.

30.15 — Converterdes implica arrepender-se. Repousardes. Veja uma ideia semelhante em Isaías 28.12. No sossego e na confiança pode ser reformulado como em absoluta confiança. Confiar na força de Deus, em vez de na própria capacidade, é a única forma de encontrar o verdadeiro repouso.

30.16 — Em vez de confiar no Senhor, o povo prefere depender dos cavalos e das carruagens do Egito para defender a terra (Is 31.1).

30.17 — Mil homens fugirão. A mensagem é de que a nação será completamente dispersa (Dt 32.30).

30.18-33 — Essa promessa de salvação consiste: (1) na base da bênção que se encontra no juízo de Deus (v. 18); (2) na promessa da libertação de Judá (v. 19-26); (3) da ameaça da destruição da Assíria (v. 27-33).

30.18 — A equidade de Deus requer que os opressores assírios sejam punidos (Jz 2.16). A misericórdia de Deus e sua compaixão são equilibradas; elas interagem com Sua justiça e com o fato de Ele ser exalçado.

30.19 — Não chorarás mais. Uma promessa parecida é feita em 25.8. Á voz do teu clamor. Veja uma ideia semelhante em Jz 2.18.

30.20 — O Senhor vem concedendo aos israelitas o pão de angústia, isto é, rações ínfimas, como se estivessem na prisão (1 Rs 22.27). Depois do juízo, porém, o Senhor concederá a salvação: os olhos de Israel verão isso (Is 29.24). Os mestres provavelmente são os profetas (v. 10).

30.21 — Andai nele contrapõe-se a desviai-vos, no v. 11. O povo está de maneira tão errada que já não escuta seus líderes espirituais (v. 20). Agora, o Espírito do Deus vivo em pessoa os ensinará.

30.22 — Terás por contaminadas significa profanar pela destruição (2 Rs 23.4-14). Um pano imundo é algo como um pano sujo de menstruação. A ideia é livrar-se dele.

30.23, 24 — As promessas que faziam parte do pacto original com Moisés passam a vigorar outra vez. Chuva. A bênção estender-se-á do campo ao rebanho (Dt 28.11,12).

30.25, 26 — Em todo monte alto e a luz do sol, sete vezes maior, são expressões que ressaltam a magnitude da futura salvação. Águas. A queda da grande chuva e os rios caudalosos estão associados à bênção que resulta da fé em Deus (Is 32.2; 41.17,18). Quando caírem as torres é uma expressão associada ao colapso do orgulho humano (Is 2.12-17).

30.27-33 — A previsão da destruição da Assíria consiste de dois ciclos: (1) um ciclo de ataque (v. 27,28 e 30,31); (2) um ciclo de júbilo (v. 29 e v. 32). Conclui com uma menção à pira funerária do rei (v. 33).

30.27 — O nome do Senhor corresponde ao Seu caráter, celebrado em Seus feitos de salvação em toda a história. O Senhor vem montado numa tempestade (Is 29.6).

30.28 — A sua respiração descreve o som da voz do Senhor como um rio transbordante e turbulento. Pescoço. Veja uma imagem semelhante em Isaías 8.8.

30.29 — Cântico [...] na noite. Em ocasiões festivas, cantava-se madrugada adentro. Rocha é uma tradução literal (SI 144.1).

30.30,31 — Aqui, a voz de Deus é comparada com o trovão (SI 29.3,4; compare com v. 28). O abaixamento do seu braço. O braço forte de Deus livrou os israelitas do Egito, e agora descerá para julgar (Ex 6.6). Assíria. Só aqui, nessa seção, a nação inimiga é mencionada pelo nome.

30.32 — Tamboris. Veja mais referências ao instrumento em Êxodo 15.20; 1 Samuel 18.6. Trata-se de soldados-músicos, habituados com combates, os quais devem estar prontos para lutar ou para executar seus instrumentos musicais, conforme seja necessário.

30.33 — A fogueira é Tofete, cidade localizada ao sul de Jerusalém que era o ponto de encontro entre os vales de Hinom e Cedrom. Provavelmente era um buraco profundo e largo que continha uma fogueira alimentada com madeira. Ali, ocasionalmente, crianças eram queimadas como oferenda a divindades pagãs (2 Rs 23.10; Jr 7.31,32; 19.6,11-14). Essa área, ao longo dos séculos, foi bastante aterrada. O enxofre lembra a destruição de Sodoma pelo fogo (Is 34.9,10; Gn 19.24).